sábado, abril 28, 2012

Se não é ilegal é imoral.


Jardim Gonçalves que beneficia de uma pensão mensal de 167 650.73 euros, exige 765 118,62 euros mil euros ao BCP de despesas com seguranças e de transporte, nomeadamente deslocações em avião particular, automóveis e motoristas.

Que todos se lembrem disto quando nos vierem dizer que andamos a viver acima das nossas possibilidades. Será que andamos todos ou só uma elite de gente, muita da qual devia estar atrás das grades, que se tem banqueteado com com aquilo que deveria ser de todos? Será esta divida que nos atiram para cima em austeridade e pobreza é realmente nossa ou será de quem a contraiu e dela se vem alimentando há muitos anos?
Dizem-nos que os sacrifícios são para todos, mas quem vive realmente uma vida de sacrifícios? Quem recebe uma pensão de 300 euros ou quem recebe uma de 168 mil euros.

5 comentários:

  1. deixa estar que o Magina trata dele ao 'amandá-lo' para a prisa,Kaos.

    P.S.:Magina,my hero.

    ResponderEliminar
  2. Que todos se lembrem disto quando nos vierem dizer... o dia em que vamos votar.

    Abraço livre

    ResponderEliminar
  3. Nunca nos esqueçamos que todos os grupos paramilitares conhecidos em putagal implementam o vómito dos ladrões de são bento.
    Por mim o magina pode ir procurar bombistas suicidas que estão dentro da vagina da mãe dele.

    ResponderEliminar
  4. OS ABUTRES ANDAM AÍ! MÁFIA PODEROSA
    Ao ouvir os cabeçalhos dos jornais hoje pela manhã na TV e respectivos
    comentários, fiquei, e cada vez mais, com a sensação de viver num qualquer país africano em que os
    "sobas" de hoje manipulam e roubam o povo vivendo como "nababos" deixando-o na miséria sem dó nem piedade!
    Não é possível, não quero acreditar que muitos, todos juntos, tenham ROUBADO biliões deixando o Povo nesta situação dramática e sem punição!
    Pelo andar da carruagem assim vai ser!
    Portugueses acordem para a realidade!

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar
  5. E quando o BCP falir, o Zé Tuga paga tudo...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo