domingo, junho 17, 2012

Os namoros de costume


O Governo quer chegar ao próximo Conselho Europeu "com uma posição conjunta sobre os instrumentos que Portugal deve usar para enfrentar a crise", pelo que vai fazer "uma aproximação" ao PS.  O líder do PS, António José Seguro já garantiu a "disponibilidade total" para tentar chegar a um acordo com o Governo.

Fazem-se as malfeitorias,  aquilo a que chamam de "reformas estruturais", acabando com direitos laborais, direitos sociais, privatizando tudo, da electricidade às águas e depois, quando estão mais aflitos, vendem a ideia da inevitabilidade, depois dos acordos, (entre falsas zangas de namorados), da concertação e dos largos consensos. Disto tudo o que acaba sempre por acontecer é mais austeridade para muitos e mais riqueza para alguns com as injustiças sociais a agravarem-se e a fome a bater à porta de muitas casas (quando ainda há casa). Infelizmente, se há muito PS e PSD são duas faces da mesma moeda agora cada vez mais são as faces da vergonha de uma politica que esquece os povos em nome dos mercados e da ganancia de alguns.
A busca de alternativas há muito que deixou de ser uma necessidade e se tornou uma urgência que não pode ser adiada. Uma alternativa nova, que não seja uma reciclagem deste modelo falido mas que repense conceitos e objectivos, que não aceite direitos "inalienáveis" quando se trate do grande capital e a inevitabilidade para todos os outros. Uma alternativa que não fique estagnada no poder vigente que a controla com as suas leis feitas à medida para o servir. Uma alternativa em que as politicas sirvam as pessoas e não uma classe dirigente de vendidos e dos seus lacaios. Isto é possível se houver a vontade e sobretudo a determinação de construir essa nova sociedade, esquecendo os egoísmos, as invejas e os medos.

8 comentários:

  1. Cambada de paneleiragem, todos enfiados no parque eduardo VII a dar o cú para pagarem a dívida do banco, ainda era pouco!!

    ResponderEliminar
  2. tens toda a razão, Kaos!
    E a imagem do casalinho está um primor...

    ResponderEliminar
  3. É A TAL HISTORIA PS(D) ORA ENTRA ORA SAI O D QUE O RESTO É SEMPRE A MESMA MERDA.

    sÓ NO FUTEBOL SE BATE EM LARANJAS?
    PUTA QUE PARIU AS LARANJAS

    ResponderEliminar
  4. É A TAL HISTORIA PS(D) ORA ENTRA ORA SAI O D QUE O RESTO É SEMPRE A MESMA MERDA.

    sÓ NO FUTEBOL SE BATE EM LARANJAS?
    PUTA QUE PARIU AS LARANJAS

    ResponderEliminar
  5. É A TAL HISTORIA PS(D) ORA ENTRA ORA SAI O D QUE O RESTO É SEMPRE A MESMA MERDA.

    sÓ NO FUTEBOL SE BATE EM LARANJAS?
    PUTA QUE PARIU AS LARANJAS

    ResponderEliminar
  6. É A TAL HISTORIA PS(D) ORA ENTRA ORA SAI O D QUE O RESTO É SEMPRE A MESMA MERDA.

    sÓ NO FUTEBOL SE BATE EM LARANJAS?
    PUTA QUE PARIU AS LARANJAS

    ResponderEliminar
  7. E, entretanto, por baixo das saias, lá vão coçando uns acordos para uma revisão das leis eleitorais de modo a reduzir a democracia ao sistema de dois partidos que se amam - uma especie de partido único com duas faces.
    Um abraço alternativo

    ResponderEliminar
  8. Com brincos de coração a condizer com os óculos... vai formosa e não Segura...

    Está um primor, Kaos!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo