terça-feira, julho 03, 2012

Enfermeiros em saldo. 3.96 Euros por hora


Os enfermeiros dos centros de saúde de Lisboa e Vale do Tejo que sejam contratados através de empresas de prestação de serviços passam a ganhar 3,96 euros por hora a partir de hoje, quando até aqui recebiam seis.

Não se compreende que o Estado contrate qualquer funcionário através de Empresas de prestação de serviços, pois se faz falta devia ser contratado pelo próprio Estado, mas muito menos que trabalhadores que mexem com a saúde de todos nós, Enfermeiros e Médicos, sejam contratados a empresas de serviços sem haver uma preocupação da qualidade desses profissionais em troca de os contratarem ao preço da uva mijona.
se este é o exemplo que o Estado dá em relação ás relações de trabalho que podemos esperar do comportamento daqueles patrões que só procuram o maior lucro possível? Tenho vergonha desta gente que nos governa e deste sistema que não só permite como até incentiva este tipo de relações de trabalho.
Quanto ao pagarem menos de 4 euros por hora a enfermeiros nem vale a pena falar por ser simplesmente mais uma vergonha.

21 comentários:

  1. Anónimo3/7/12 13:04

    Kaos, de facto o valor hora não lembra ao diabo, mas na lei da oferta e da procura assim se faz.......quem não gosta não aceita e procura melhor.....PERCEBES ?

    ResponderEliminar
  2. Não, não percebo, porque num país decente os seus quadros mais qualificados não são tratados como lixo. Na vida nem tudo é custo/beneficio, há a dignidade e a decencia. Um Estado de direito não contrata tecnicos qualificados em empresas de trabalho temporário, mas faz contratos e respeita quem trabalha. Mesmo olhando para o argumento de quem não gosta não aceita assusto-me porque corremos o perigo de um dia destes ver esta gente toda a emigrar e os serviços com falta de profissionais qualificados. Este empobrecimento forçado em nome dos mercados e da competitividade é uma falácia pois se os profissionais ficam piores há "amigos" das empresas contratadas que ganham o que os outros perdem.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo3/7/12 13:20

    São as demandas de Bilderberg: Escravizar o povo!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo3/7/12 13:36

    Anónimo das 13:04

    Não se trata da lei da «oferta e da procura». Isso aplica-se (ou devia aplicar-se) às batatas.

    Trata-se da prestação de serviços de saúde.

    Talvez o caro anónimo queira, deseje ou goste de ser atendido por profissionais de saúde pagos a 3,96€ à hora? Eu não.


    E já agora, gostaria de saber quanto paga o Estado às empresas de outsourcing que contratam os enfermeiros?

    Parece que ainda ninguém entendeu que estas empresas não andam a fazer caridade. E, pior ainda, é se considerarmos as questões sociais que advêm deste tipo de gestão do Estado. Sem falar ainda da fuga dos profissionais.

    O que chega a ter alguma graça é o facto do nosso país exportar quase todo o tipo de profissionais mas não exportar gestores. Porque será?

    A questão fundamental é que este modelo de desenvolvimento economico-social já não serve os interesses da maioria da população e, quer se queira quer não, tem os seus dias contados.

    Islândia; Irlanda; Grécia, Portugal, Espanha, Chipre... e a seguir Itália, Bélgica, Holanda.

    Será que os políticos e gestores destes países são todos gatunos e incompetentes? Ou será algo mais?

    Duarte.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo3/7/12 15:01

    Kaos a tua mulher a dias ou anda a ganhar muito bem(7,00€/Hora?) ou então faz-te uns servicinhos extra!
    Malandreco.....!

    ResponderEliminar
  6. Kaos :
    É mais um escândalo, sem dúvida!
    Para qê pagar a empresas de outsorcing se podiam contratar directamente? É só para dizer que "cortam nas gorduras" do Estado e têm menos funcion+arios a cargo?
    Pois é mentira! Assim fica tudo mais CARO ao estado e isto é mais um famoso contrato escandsloso de PPPs!!!
    POis fiquem a saber que o Ministério alegou que pagava a essas empresas de contartação o equivalente a 10 Euros por hora( até mais um pouco) e, se só chegavam menos de 4 E aos enfermeiros, era problema dessas empresas!
    Ou seja, admitem que esses outsorcings COMEM mais entre 60 a 75 % do "bolo" e lavam as suas mãos!
    Devem ser mais uns amiguitos! Isto é que é poupar em despesa? Palhaçada!
    Recebem 10 Euros e pagam menos de 4 a quem trabalha deveras.
    Qual "lei da oferta e da procura"!!
    Assim eu crio uma empresa dessas, ofereço os meus serviços ao MS ,mais baratos, e ainda saio a lucrar pagando mais uns euros aos enfermeiros! O "meu trabalho" e dessaa empresas da treta? Ler uns currículos e ter listas de interessados em trabalhar para sobreviver.
    Isto é racionalidade de meios?
    Que vão atirara areia aos olhos de outros!
    Agora a técnica é pagar salário quase escravo aos mais qualificados e entregar os lucros e salários chorudos a profissões do "faz de conta", de serviços cada vez mais abstractos, obtidos em cursecos de gráficos e de preenchimento de formulários informáticos ,do tipo "Controlo informático da qualidade do toque de campainhas".
    Os que observam quem trabalha a suplantar quem trabalha e produz realmente!
    Beijinho, Kaos.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo3/7/12 15:34

    Mais 2 descobertas alentejanas









    1.ª descoberta

    Depois de observar como trabalha a troika, conclui-se que trabalha a pilhas:

    Pilha tudo.



    2.ª descoberta



    Sócrates, afinal, é um exemplo a seguir:

    Se todos os políticos o seguissem e fossem viver para o estrangeiro...
    vivia-se muito melhor em Portugal.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo3/7/12 15:38

    Kaos, este tema só tem uma solução......quem não quer procura melhor e ponto final.......se aceita tem que trabalhar e mais nada......o resto são pieguices.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo3/7/12 15:56

    Se é verdade que o estado contrata uma empresa que cobra 10€/Hora e só paga 3,98€ aos enfermeiros, a questão deve ser colocada noutros moldes. Trata-se de especulação por parte da empresa que fornece o pessoal e esta sim deve ser questionada no sentido de explicar a razão de lucros tão elevados.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo3/7/12 15:58

    Alguem sabe de que empresa se trata? Gostava de fazer uma pesquisa para saber quem está aos comandos

    ResponderEliminar
  11. Anónimo3/7/12 17:51

    Volta Sócrates.
    Estás perdoado.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo3/7/12 17:55

    O Sõcrates ao pé destes gajos é um menino de coro.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo3/7/12 18:27

    Socrates destruiu este país. Como é possível estes comentários anteriores?

    ResponderEliminar
  14. Anónimo3/7/12 19:32

    Também digo!
    No meio de toda esta MERDA, volta Sócrates que estás perdoado!...

    ResponderEliminar
  15. Anónimo3/7/12 19:53

    O Sócas ao pé desta gente é um filantropista.Estes são os verdadeiros fdp!Mais o ps/cds,é claro-o esterco da nossa nação,clientela dos bancos`.É mentira o amado da cia,já foi pó Banif

    ResponderEliminar
  16. Uma vergonha, o que se está a fazer com a mão de obra qualificada neste País. Neste caso, acabam de vez com o SNS e quem não puder pagar seguros de saúde, apodrece.
    :((

    ResponderEliminar
  17. Noto que o preço de 3,96€ / hora é abaixo do que se paga num Call Center.

    1º) Não invoquem as leis do mercado porque com estes salários não se conseguirá, no futuro, assegurar a formação adequada, em qualidade e número, de profissionais de enfermagem. O salário de 3,96€/hora é insuficiente para pagar a formação que consiste em curso superior de três anos. A uma média de gasto de 6500€/ano, dá cerca de 20000€. Usando como bitola para a relação custo/benefício de cursar enfermagem um empréstimo típico para estudos, isso corresponde a uma taxa de esforço superior a 50% do salário bruto durante pelo seis anos. Comparando com o trabalho num Call Center ou no comércio, onde só é necessário o 12º ano... façam as contas, é muito fácil de ver que, com esses salários, cursar enfermagem não compensa.

    2º) Portanto, e USANDO AS LEIS DO MERCADO, com esses salários os jovens NÃO VÃO ESCOLHER O CURSO DE ENFERMAGEM. No entanto, e dada a projectada expansão dos seguros de saúde e medicina privada, sim, eles vão continuar a escolher o curso, mas vão evitar trabalhar no SNS!

    3º) Então por que razão o mercado (de trabalho) da enfermagem do sector público funciona destas forma disfuncional? Porque o mesmo está a funcionar em regime de monopólio do lado da procura, por regulação dos concursos públicos. Conheço bem o problema, que passo a explicar.

    4º) As empresas prestadoras de serviços necessitam de ganhar concursos cujo critério dominante para a concessão é o salário do trabalhador -- e não a relação qualidade / preço, como deveria acontecer caso o interesse fosse a qualidade e racionalização do serviço. A qualidade dos enfermeiros e auxiliares de enfermagem dos hospitais públicos já hoje é sensivelmente inferior à dos seus congéneres do privado.

    5º) Aos que dizem que "e quem não quer que vá resolver o problema noutro lado", essas pessoas são coniventes com a AUTORIA MORAL DE UM CRIME EQUIPARÀVEL A GENOCÍDIO. Este crime é designado pelo neologismo "SOCIOCÍDIO", e consiste na eliminação física dos pobres (mesmo se na forma tentada). O socicídio pode facilmente ser provado à posteriori, analisando a evolução da esperança de vida de cada estrato social de uma população. Um exemplo conhecido de sociocídio foram as políticas para a saúde da presidência de Yeltzin, na década 1990-2000, na Rússia, que conduziram a uma baixa da esperança de vida de 10 anos.

    6º) Os reformados pobres de Portugal não se poderão tratar noutro lado senão no SNS assim desqualificado. Por outro lado, o plano actual de manter a qualidade do SNS por via de PPPs na área da saúde -- vai falhar pela mesma razão que falhou na Rússia: crescimento exponencial da dívida pública e crise financeira.

    ResponderEliminar
  18. Anónimo4/7/12 12:19

    José Sócrates declarou às Finanças 44 mil euros de rendimentos em 2011, o que lhe daria para manter o estilo de vida que tem em Paris por apenas tês meses.

    Calcula-se que o ex-primeiro-ministro está a viver gastando uma média de 15 mil euros mensais. Na declaração de rendimentos de Sócrates constará apenas o vencimento dos seis meses de 2011 em que esteve no Governo, fazendo um total de 44 mil euros, o que não dá para viver mais de três meses na capital francesa.


    O GAJO ESTÁ PODRE DE RICO!

    ResponderEliminar
  19. Anónimo4/7/12 15:26

    12h de 3ª feira, Largo Camões. Alguns (alguns mesmo) manifestantes estão concentrados, sossegados, no Ministério da Economia. De repente irrompem palavras de ordem, apitos e apupos. Tento perceber porquê e ouço uma manifestante dizer ao telemóvel: "Oh filha tenho de desligar; estão aí as televisões e já começaram a filmar...".

    Estes profissionais das manifes ganham mais que os enfermeiros!

    ResponderEliminar
  20. Anónimo4/7/12 15:30

    Outra ainda melhor que a anterior:

    Mário Soares diz que o povo não é tão sereno quanto parece e que Pedro Passos Coelho vai perceber isso nos próximos meses (qualquer semelhança entre isto e encorajar manifs é mera coincidência).
    Soares diz também que a Troika trata Portugal como um protectorado.
    Curioso: ainda me lembro do 1º ministro Soares, com ministros vaiados na rua, bandeiras negras por todo o lado, fome (sim, fome) e do próprio Soares agredido na Marinha Grande. Tudo isto porque a receita do FMI foi tão dura (mais dura do que a da Troika!) que o país ficou a pão e água durante dois anos.
    E o pior é que não havia outra solução. Senão Soares teria optado por ela… Soares deve andar muito desmemoriado (ele e o Presidente da República).

    ResponderEliminar
  21. Anónimo7/7/12 00:19

    Profissionais licenciados que aceitam trabalhar nas suas profissões por 4€/hora (como é agora este caso dos Enfermeiros) estão na prática a prostituir-se e os proxenetas são essas empresas intermediárias que actuam no setor. Se tiverem alguma dignidade dirão NÃO nem que para isso tenham de emigrar.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo