sexta-feira, julho 20, 2012

Políticos. Como os vejo. Jerónimo Sousa


Coerente no discurso que há anos se repete incessantemente sem atingir nenhum fim. Tão preocupado com a legalidade de tudo o que faz que acaba por não fazer o que podia e devia. Preso ao sistema que ele próprio condena pelo que acaba por viver no seu seio. 

6 comentários:

  1. Grande elogio, numa época que só vemos gente a rastejar.

    ResponderEliminar
  2. Para quem como eu, se emocionou por 12 vezes com a peça "As árvores morrem de pé" vistas no Teatro Nacional D. Maria II e algumas na Televisão, com a saudosa Palmira Bastos, consideramos genial esta alegoria do blogue “wehavekaosinthegarden”, pelo simbolismo e pela portentosa força que irradia, colocando Jerónimo de Sousa, ligado por fortíssimas raízes à terra.
    No fundo não podemos deixar de relacionar essa força, com sua ligação ao povo e aos trabalhadores, numa homenagem aos valores da honra, da verdade e da dignidade, que são o “leit motif” dessa maravilhosa peça de Alexandro Casona .
    Não posso deixar de assinalar o pormenor do pau com que Jerónimo de Sousa se apoia, que recorda a cena final da peça, em que a gloriosa Palmira Bastos, impressionante de altiva dignidade, apoiada numa bengala… batendo energicamente com ela no chão, exclamava “As árvores morrem de pé!!!” .
    Ao autor, com os meus sinceros parabéns, lembrando o seu comentário final, aconselho-o a compreender que a paciência dos comunistas, é uma virtude revolucionária e dialéctica, que assenta na certeza da razão da sua luta. A forma como ligou de maneira tão poderosa o homem à terra, provou que sabe bem, que a alternativa é a morte da árvore, ou seja o fim da humanidade.
    Como comunista o meu obrigado!!!

    ResponderEliminar
  3. O Revisionismo do Revisionismo sempre se repetindo...

    E apesar de se Gritarem as palavras de 'ordem', ruas abaixo, Rossios adentro, para-se especados pela massiva realidade - O Real vai-se escapando sempre...Resta 'negociar'...(de revisão em revisão).

    Há uma 'antiga' contradição no PC que ainda vai perdurando; a Frente Operária é agora uma Pequena-Burguesia periférica.

    A luta já não é de Classes mas de Multidões que se sucedem aparentemente aleatórias.

    Não Ver Isto é estar Surdo.

    E das Multidões tem o PC uma visão 'conservadora'.

    Os 'Aventureiristas' não se domam em rebanhos e isso PC's e BE's não sabem 'gerir'. Estão já enredados na sua decadência...

    Lamento.

    É necessário Pensar e Observar muitíssimo mais o Momento histórico.

    Há uma 'Luta' muito mais importante a travar neste devir - Que Faire? -, desmontar/deslaçar o próprio modo de pensar.
    Rasgar a Opacidade.
    Só Agir depois.
    Nunca Ir Agindo porque se tem que 'fazer' alguma coisa.

    Cedo ou tarde isso terá que ser feito.
    ...

    ResponderEliminar
  4. TUDO DITO!

    POST FABULOSO, APESAR DAS FÉRIAS!

    ResponderEliminar
  5. GRANDE KAOS!

    ResponderEliminar
  6. É realmente um elogio (atenção que eu não sou comuna!) quando só vemos políticos rastejantes, rasteirinhos, daninhos, videirinhos, a gravitar na nossa política!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo