quinta-feira, setembro 06, 2012

Crise matrimonial


A ausência de acordo na nova lei eleitoral autárquica veio lançar mais achas para a fogueira que começa a arder entre PSD e CDS, partidos que sustentam a coligação no poder. Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, garante ao Diário Económico que não será este caso a "por em causa a coesão da coligação", mas são cada vez mais as vozes dissonantes entre os dois partidos do poder. O processo de privatização da RTP, o projecto de combate ao enriquecimento ilícito, a ameaça de mais austeridade no sector privado, a clarificação quanto à limitação dos mandatos autárquicos e mesmo a nova lei das competências, que será discutida nas próximas semanas em conselho de ministros, ameaçam voltar a fazer brechas na coligação.

O CDS disse ontem claramente à troika que recusa mais aumento de impostos, além do previsto no acordo de ajuda externa.

1 comentário:

  1. Anónimo6/9/12 08:53

    É pena que não andem à "porrada" para revelarem o seu baixo nível!
    Isto de "joguinhos" de secretária, para ficar tudo na mesma, só demostra que só querem o PODER!
    Aprendem e praticam rápidamente o que é mau!...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo