quarta-feira, outubro 17, 2012

Angela Merkel, persona non grata em Portugal


Depois da Grécia, Angela Merkel deve visitar Portugal no próximo dia 12 de Novembro. Depois de conseguir vergar os governos dos países do sul da Europa chegou a vez de vir exibir-se nas suas novas colónias. Cabe-nos a nós mostrar-lhe que os nossos governos lhe podem lamber as botas cardadas mas que os povos não se vergam à sua arrogância nem ao seu poder. Somos gente pobre mas somos gente honesta, mas não aceitamos que os nossos filhos passem fome, os nossos vizinhos desesperem por não terem trabalho e os nossos idosos morram mais cedo por não terem dinheiro para comprar medicamentos só para sustentar o império do IV Reich. A Frau Merkel não é bem vinda a Portugal. A nossa dignidade não o permite.
É por isso que lhe temos de preparar uma boa recepção onde ela compreenda que não nos verga e que estamos disposto a lutar pelo nosso futuro contra ela e contra todos que nos queiram condenar à miséria. Que cada um pense em alguma forma de lhe mostrar isso e a partilhe com os outros de forma a que de uma maneira organizada e unidos lhe digamos Não. Se o poder tem medo e fecha as portas aos cidadãos, como aconteceu no 5 de Outubro, então vamos para as ruas que são nossas. O medo e a resignação não nos leva a lado nenhum e só a luta e a determinação nos podem garantir um futuro.

30 comentários:

  1. COM MUNIÇÕES CRAVO E PR's CIVIS FICOU O PAÍS NESTE ESTADO!


    COM MUNIÇÕES CRAVO E PR's CIVIS FICOU O PAÍS NESTE ESTADO!


    COM MUNIÇÕES CRAVO E PR's CIVIS FICOU O PAÍS NESTE ESTADO!

    ResponderEliminar
  2. antes do 25A avionetas largavam panfletos do ar

    Agora um helicóptero dos incêndios (com balde) cheio de merda....

    DAVA UMA BELA FOTOGRAFIA!

    ResponderEliminar
  3. O que é surpreendente é que esta puta de merda vem cá ostensivamente humilhar a nossa soberania. É tão evidente que é SÓ isso que vem cá fazer. Não vem ajudar, não vem aconselhar, vem apenas - notem bem - dizer-nos que estamos tão mal, tão mal que nem sequer conseguimos reagir a esta derradeira provocação. E nós vamos assistir passivamente. Nunca este país foi tão humilhado ao longo da sua História. Acho inclusive que durante a dinastia filipina éramos tratados com mais respeito pelos castelhanos. Isto é triste de mais para ser verdade.

    ResponderEliminar
  4. Temos de mostrar a esses nazis de merda de que fibra somos feitos!Todos unidos contra essa porca nazi!

    ResponderEliminar
  5. João Leal17/10/12 09:18

    Vi esta imagem e depois li o texto.
    Fiquei deprimido com o grau de estupidez e de birra de puto mimado de que está carregado.
    Cresça e deixe-se de birras.
    Um dia uma merda a sério bate-lhe à porta e você muito espantado.

    ResponderEliminar
  6. Olha olha,este deve ser do sis,quanto é que te pagam para dizeres essas barbaridades?Se gostas tanto dela vai-te embora que merda já cá temos muita.Kaos já sabes um dia destes batem-te outra vez á porta...

    ResponderEliminar
  7. João Leal17/10/12 10:21

    Comparar a Merkel com Hitler é uma idiotice.E não, espero mesmo que um dia não tenhamos mesmo nazis ou comunistas estalinistas a bater-nos à porta.
    Aliás, porque não substituir a fotgrafia por uma fotografia do Brejnev com cara de Merkel a visitar uma das provincias da URSS, digamos, a Polónia?
    POis. Nem sequer sabe quem é o Brejnev, pois não?


    ResponderEliminar
  8. João Leal:

    O meu caro é que está mimado à moda da imperatriz romana Licínia Eudóxia, que abriu as portas de roma ao SAQUE do germânico do líder dos Vândalos, Gensérico. Abertas as portas de Roma -- por pura cobardia dos seus líderes imperiais e do papa Leão I -- Gensérico saqueou tudo e queimou igrejas. A seguir raptou Eudóxia, para a casar à força com um filho seu e assim roubar "legalmente" o tesouro imperial. A pobre da Eudóxia, ainda a refazer-se da desonra, foi levada para uma Cartago ocupada pela trupe germânica, em conjunto com o saque de TREZE dias de pilhagens exaustivas de Roma e um sem número de cativos, que depois acabaram vendidos em África, como escravos.

    Esta é a QUALIDADE GENÉTICA dos vossa ama Angela Merkel...

    ResponderEliminar
  9. O tipo alem de só dizer barbaridades é pouco inteligente.Então diga-me cá uma coisa, quem é que nos está a mamar o país?são os comunas russos ou os alemães?Ou você é daqueles que acredita que a alemanha nos está a ajudar?

    ResponderEliminar
  10. além disso quem invadiu a polónia e quebrou o pacto de varsóvia, não foi o brejnev foi o hitler.

    ResponderEliminar
  11. João leal17/10/12 12:18

    Patéticos. Infantis e patéticos. Os alemães é que são os maus, vamos vaiá-los! Que grande pancada.
    Enquanto isso, nas sedes dos partidos que nos trouxeram até aqui, nem um vidro partido.
    Pela vossa ferocidade aparente, todos os dias devia haver noticias de incêndios e motins.
    Bora brincar ao Photoshop com o pc que o papá pagou. Bora!

    ResponderEliminar
  12. O senhor João Leal deve estar muito bem instalado... Que sorte tem ser adepto do regime, pois poderá vê-lo cair de podre, meter-se debaixo das saias da alemã e surgir mais tarde com uma farda diferente...

    ResponderEliminar
  13. João Leal
    Nada tenho que consideres que a Angela Merkel uma boa pessoa, que até lhe queiras agradecer a ajuda que nos dá. É um direito teu. Mas, para tua informação se calahr sou bem mais velho que tu e quem pagou o PC onde escrevo fui eu com o dinheiro que ganhei honestamente a trabalhar (e depois de pagar todos os impostos e até os juros dos empréstimos de uma divida que não fiz mas que dizem tenho de pagar). Isso não são argumentos de uma discussão séria pelo que imagino que não existirão pelo que continuo a dizer à Herr Merkel que não é bem vinda ao meu país.

    ResponderEliminar
  14. João leal17/10/12 14:56

    Kaos, antes de mais, parabéns pelo trabalho. Diverti-me muito a ver o blog (que não conhecia).
    Quanto aos argumentos, quem começa por dar uma presidente de uma república democrática de nos fazer inveja uma conotação com Hitler e depois diz" Somos gente pobre mas somos gente honesta, mas não aceitamos que os nossos filhos passem fome, os nossos vizinhos desesperem por não terem trabalho e os nossos idosos morram mais cedo por não terem dinheiro para comprar medicamentos só para sustentar o império do IV Reich." ou está em estado de negação ou outra coisa qualquer. A culpa de estarmos aonde estamos é nossa, portugueses. Somos um país democrático e escolhemos os nossos governantes. Eles governam mal? Deveríamos ter escolhido outros, os que escolheram porque com uma taxa de abstenção brutal como temos, como se pode alguém queixar?
    Insurgimo-nos agora, mas porque é que nunca o fizemos quando a porcaria ia sendo feita?
    Custa-lhe a verdade? A mim também. A questão da honestidade é importante, mas a de inteligência também. Em 30 anos necessitámos de 3 resgates. Nós, como povo, temos sido burros até ao infinito.
    Quer culpar este ou aquele? Culpe,se o faz sentir melhor.Ponha as culpas em quem quiser que a lucidez não será tomada em conta.
    Brincar com o nazismo é que é sério demais, quanto a mim.

    ResponderEliminar
  15. João Leal
    Se temos culpa? Claro que temos, mas não somos os maiores responsáveis pois nunca fomos perguntados se queríamos ou não queríamos o caminho seguido. Não nos esqueçamos que muito daquilo que foi feito, como a destruição do nosso tecido produtivo, foi imposição dos nossos "amigos" lá de fora. Não nos esqueçamos que a crise internacional se deve mais ao grande capital e à gula dos mercados que à vontade dos povos. Não nos esqueçamos que como vivemos no simulacro daquilo que devia ser uma democracia um grupo de gatunos tem pilhado o país com a conivência das instituições internacionais. Não nos esqueçamos que quem está a ganhar milhares de milhões com as crises dos países do sul da Europa é a Alemanha e por isso cada vez mais espreme os povos. Não nos devemos esquecer que foi a Comissão Europeia e a Sra Merkel quem em 2009 nos disse para gastarmos à larga, que o défice não era importante porque o que era necessário era evitar a recessão. Não me esqueço que quem comprava carro ainda recebia um bónus para que assim a industria automóvel da Alemanha e França não fossem à falência. Não nos esqueçamos que, como aconteceu ainda hoje, o estado se continua a endividar nos mercados e que mais tarde nos vão dizer que é mais uma divida que temos de pagar mesmo que não saibamos a que bolsos foi parar todo o dinheiro. Não posso aceitar que digam que tenho uma divida, para a qual nunca me pediram a opinião e me obriguem a pagá-la à custa da fome dos meus filhos. Ou, está bem eu pago esta, mais uma vez, mas não aceito que seja pedido mais um cêntimo que seja emprestado sem eu ter o controlo sobre ele. Uma democracia mais participativa e honesta é necessária porque assim eu não posso aceitar ser responsavel por aquilo que vendidos ao grande capital fazem para ficar cada vez mais ricos. Não aceito este liberalismo económico que está a destruir tudo e todos. Isto eu não pago.
    Quanto ao brincar com o Nazismo é coisa que não me incomoda. Foi um período negro, mas se posso brincar com a inquisição ou o salazarismo também o faço com o Hitler. Para mais porque a verdade é que as duas grandes guerras do século passado tiveram sempre o mesmo protagonista e esta Senhora não é de confiança.

    ResponderEliminar
  16. Muito bem, Kaos. E digo mais: quem são os financiadores das PPPs? São os nossos credores estrangeiros...

    Os gastos de 2007 - 2010 com PPPs, que engolimos por ordem de Bruxelas -- perguntem ao Paulo Campos, que ele já começou a miar tudo, há-de ser aí um tsunami quando a verdade vier ao de cima -- serviram para capitalizar a banca estrangeira, que ficou a receber as rendas das PPPs. Por que é que pensam que os contratos das PPPs são "blindados" e "intocáveis", no dizer do PSD?!

    ResponderEliminar
  17. João Leal17/10/12 18:07

    Faço-lhe uma vénia e concordo entusiasticamente com quase tudo o que disse.É lúcido.
    O "quase" está só na parte de nos ter sido "imposto" a destruição do tecido produtivo. Foi uma calamidade a que poderíamos ter batido o pé.
    Claro que a Alemanha manda, como outros mandaram antes dela.Mas nem todos os estados estão na nossa situação. Porque deveríamos pedir agora compreensão se não acautelámos a nossa própria autonomia?
    Quanto ao brincar com o nazismo, continuo a achar que não vale a pena. A realidade de hoje ainda se recente demais desses tempos.
    E claro, retiro o que disse no inicio.Fiz um pré-julgamento em parte infundado.
    1 abraço!

    ResponderEliminar
  18. É verdade que nós votamos neles,mas a culpa não é nossa por isso,porque se esse srs fossem pessoas honestas, competentes,com valores e ideias,e capacidade,nada disto estaria assim!
    Se eu voto num socialista e ele trai o próprio socialismo,tirando aos + pobres e favorecendo os + ricos,e pagando dividas de bancos privados com dinheiros públicos a culpa não é minha,não sr!!

    ResponderEliminar
  19. NÓS? eu nunca votei nesses CABRÕES e quando não tenho dinheiro não tenho vícios agora que exista um país de iletrados que os governos à conta das TV's bombardeiam o povo com novelas futebol fátima noticias do jornal do incrível gouxas fatimas lopes joões baioes etc REALMENTE AS TV's têm prestado todas um bom serviço público de estupidificação e engordado como 760... até os desenhos animados para os garotos não valem um chavelho como até são depreciativos para um ser em formação depois para aumentar o índice de escolaridade do povo formam pessoal à pressa RVCC UM POVO ASSIM ESTÁ BEM MANIETADO PARA VOTAR SEMPRE NOS MESMOS PS(D) pançudos mas coitados infelizmente ainda vêm para aqui dizer bem deles. HÁ GAJOS QUE TÊM METADE DAQUILO QUE MERECEM

    ResponderEliminar
  20. Só por curiosidade, como é que se diz puta em alemão?

    ResponderEliminar
  21. serviço publico é a marcia rodrigues estar á conta da rtp nas americas e durante esta semana só tem falado do puto gay que deixou de ser gay por ter matado um paneleiro velho e asqueroso.

    ResponderEliminar
  22. Caro João Leal,

    Você disse: “Quanto ao brincar com o nazismo, continuo a achar que não vale a pena”.

    As interpretações, como é óbvio, são subjectivas e individuais.

    A sua interpretação da imagem criada pelo KAOS é a de uma brincadeira.

    Tomando como ponto de partida a sua interpretação, concordo consigo – não vale a pena brincar com o nazismo.

    Mas eu não interpreto, de forma alguma, a criação do KAOS como uma brincadeira.

    Interpreto-a acima de tudo como um aviso, um avivar de memórias e de factos, que pelo incómodo que causam, muita gente prefere ignorar e tentar esquecer. Alguns tentam encerrar esses memórias num baú guardado a 7 chaves na mais profunda das caves da consciência.

    Essa conduta é perigosa!

    A realidade de hoje ainda se recente demais desses tempos.”

    Precisamente, meu caro! Precisamente!

    E perante isso podemos adoptar uma de duas atitudes distintas. Podemos fazer como a avestruz – enterrar a cabeça na areia e fingir que não percebemos o que se passa à nossa volta ou podemos enfrentar a realidade e tentar percebê-la, por forma a estarmos mais bem preparados para lidar com ela.

    Eu adopto a segunda!

    ResponderEliminar
  23. Entre 1936 e 1939 a Europa “quis” ignorar a intervenção da Alemanha Nazi na Guerra Civil Espanhola, usando a infame Legião Condor – responsável pela destruição da cidade de Guernica, entre outras – cena imortalizada pelo quadro de Pablo Picasso com o mesmo nome.

    Em 1938, Ingleses e Franceses ignoraram o Anschluss, a anexação da Áustria por parte da Alemanha. E em 1939 voltaram a não dar a devida importância ao facto dos alemães ocuparem os Sudetas e pouco depois a restante Checoslováquia.

    Quando “acordaram” na madrugada de 1 de Setembro de 1939 já era tarde demais. A Alemanha Nazi acabara de invadir a Polónia e tinha início a hora mais sombria do mundo! A II Guerra Mundial tinha começado!

    De facto o que a realidade nos mostra, é um assustador paralelismo em termos comportamentais (salvaguardando as respectivas distâncias) dos actuais líderes germânicos (com Angela Merkel em evidência – mas não só) e alguns dirigentes Nazis do início dos anos 30 do séc. XX.

    Mas esse paralelismo alastra-se, sob a forma de indiferença e uma estranha letargia, a outros países da Europa.

    Tipicamente um alarmante Déjà Vu.

    A Alemanha foi o primeiro (O PRIMEIRO) país a violar o Pacto de Estabilidade Orçamental em 2002, não lhe sendo aplicada qualquer penalização por parte da Comissão Europeia, como seria de esperar. Aliás, voltou a repetir a “proeza” nos dois anos seguintes. Nenhum dos seus pares da zona Euro reclamou!

    Desde o início da actual crise, a Alemanha é sempre o primeiro país a apontar o dedo aos “incumpridores”. É de longe, o país europeu que mais ganhou com a criação do Euro e com a dita crise – para a qual o Euro, em parte, também contribuiu. Assumiu-se como o arauto da virtude e da disciplina e autoincumbiu-se de enviar recados de cariz moral – e não só - a países soberanos que são membros da União. Como a infame iniciativa de alguns deputados do Bundestag, que sugeriram à Grécia que vendesse algumas ilhas do mar Egeu!

    Reacções de governantes dos outros países da União – nem vê-las!

    Sistematicamente aponta medidas a tomar, metas e números a outras nações. Tomou virtualmente conta da condução da política Económica, Comercial e Industrial da União Europeia, relegando (de forma imposta) para 2º, 3º, 4º plano o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia, os quais deveriam ser os reais responsáveis pela condução e fiscalização dessas políticas. O que fazem perante este facto os outros países da União? Nada, absolutamente nada! Ficam calados. Mostram-se conformados, resignados, amedrontados!

    Angela Merkel e os seus ministros têm NITIDAMENTE tiques ditatoriais e a Alemanha – na sua localização geográfica, bem no centro da Europa – comporta-se como um Elefante numa loja de porcelanas!

    Nos últimos anos, Angela Merkel, Wolfgang Schauble e outros têm dito muitas coisas intoleráveis aos seus parceiros europeus.

    E precisamente hoje, 18/10/2012, Angela Merkel “brinda-nos” com mais uma demonstração dessa tendência ditatorial, que ela tanto tenta disfarçar mas não consegue de todo!

    Diz ela: “…quero (ela não gostava – ELA QUER) que a União Europeia possa chumbar Orçamentos Nacionais…” e acerca de Portugal “…vejo progressos nos custos do trabalho em Portugal…”.

    E aposto, que perante isto e muito mais e o que virá ainda, os governantes dos outros Estados Membros nada vão fazer ou dizer. Nem um simples “…a senhora não deve e não pode dizer isso…”.

    Até chegar o dia em que, tal como em 1 de Setembro de 1939, já será tarde demais!!!

    Como vê, caro João Leal, isto não é certamente “assunto” com que valha a pena brincar. É “assunto” ao qual devemos dedicar muita atenção, para o qual devemos estar alertas e alertar; porque se o III Reich acabou, o embrião do IV já está bem vivo e a respirar!!!

    ResponderEliminar
  24. Caramba, isto não só tem a ver com a Europa como também tem a ver com os EUA.
    Para aqueles que continuam a não fazer o paralelismo entre a Merkl e Hitler e que ficam muito escandalizados, gostaria que reflectissem bem sobre este assunto que vos mostro com este video.
    È que o problema, não é a Merkl, porque a Merkl, tal como o nosso Passos Coelho, não manda nada...limita-se a abedecer directrizes superiores.
    Então, onde está o link que liga os EUA á Alemanha e a grande finança internacional que também aparece sempre ligada ao complexo militar Americano?
    Ele está aqui...e já muitos esqueceram.
    Mas não se esqueçam...porque tal como o Lone wolf referiu e muito bem, a estas intervensões pela parte da Alemanha, constataram-se na 1ª WW, na 2 WW e agora com a invásão tecnocratica aos paises da Europa.

    Ora reavivem lá a memoria e vejam até ao fim para perceberem a gravidade dos tempos que ai vêem

    http://www.youtube.com/watch?v=zkEUv6z20qo

    Nuno

    ResponderEliminar
  25. È dificil perceber, qual é o objectivo?
    Então eu pergunto, o Nazismo foi irradicado ou apenas mudou de lugar e de tática militar visando a sua conquista mundial como o Hitler quis?
    Cuidado, pois eles têm isto muito bem planeado e estudado.

    ResponderEliminar
  26. Lone Wolf ande lá mais para trás no tempo e na história e começe pelo sacro império...guerra 100 anos...

    ResponderEliminar
  27. rectifico:
    Lone Wolf ande lá mais para trás no tempo e na história e começe pelo sacro império...guerra 30 anos...

    ResponderEliminar
  28. para o anonimo que nao sabia dizer puta em alemao " hure " ... vivo no pais desta gaija...compatriotas fazende bombas e bolas de merda para lhe mandarem á focinha.. ja nem os proprios alemaes a podem ver á frente acreditem

    ResponderEliminar
  29. Hmm! Gostei! Acho que é conveniente! Será que, algures, já se prepara uma espécie de Plano Marshall ?

    ResponderEliminar
  30. Outro cartaz aqui

    http://comunidade.sol.pt/blogs/contramestre/archive/2012/10/23/Lisboa-Limpa-tem-muita-pinta-_2D00_-recep_E700E300_o-_E000_-senhora-Merkel.aspx

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo