segunda-feira, dezembro 31, 2012

A Ratoeira do euro


Confesso que a preparar uns bonecos para o ano novo e para o aniversário do blog deixei passar o tempo e quando queria um para colocar na manhã de hoje não tinha feito nada. Havia duas possibilidades, saltava e não colocava nenhum ou ia aos restos que aqui tenho guardados e nunca publicados. Escolhi este sem saber muito bem porquê ou melhor simplesmente porque me apeteceu. Tirando isso, não tenho texto para o acompanhar nem razão nenhuma porque foi este e não outro.Cada um que faça a leitura que desejar ou então não faça. Claro que podia falar da ratoeira que foi a entrada no euro ou coisa do género, mas fica mesmo só assim.

4 comentários:

  1. O Boneco está muito bem e é elucidativo q.b.

    O único reparo, é no cabelo do gajo..., é que cada vez tem menos, o que é tal e qual como o meu dinheiro.

    ResponderEliminar
  2. Muito bem escolhido, como sempre!
    Realmente à custa das "peocupações governativas" o homenzinho está a perder o cabelo daí o Kaos ter-lhe oferecido esta farta cabeleira que não vai sair do bolso de todos nós, espero!
    Para Kaos o melhor possível de 2013!

    ResponderEliminar
  3. Ao gatuno mentiroso anda-lhe a cair o cabelo porque anda borrado de medo...qq dia limpam-lhe o sebo...

    ResponderEliminar
  4. Não há dúvida que foi uma ratoeira, foi a maneira de nos colonizarem sem precisarem nem de hitleres nem de campos de concentração.

    Quanto a nós, e como eles não têm cá nenhum exército, nem quererão mandar para cá os filhos deles para morrer. Por isso, só precisamos de uma coisa para nos livrarmos da ocupação, uma coisa que bem podíamos reaprender, pois os nossos antepassados de 1383-85 a tiveram com fartura: coragem para mandar o euro às urtigas.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo