quinta-feira, dezembro 27, 2012

Quem é mais aldrabão?


Artur Baptista da Silva deu várias entrevistas à comunicação social, apresentando-se como coordenador de um suposto Observatório Económico e Social criado no âmbito do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, informação que se veio a revelar falsa. Baptista da Silva, afirmava ser também consultor do Banco Mundial e professor de Economia Social da Milton Wisconsin University e participou também como orador convidado num debate organizado pelo International Club de Portugal sobre a crise europeia. A associação admite agora recorrer aos tribunais, caso se comprove ter sido enganada por um falso especialista.
Questionada sobre se está prevista alguma diligência relativamente a Artur Baptista da Silva, uma vez que podem estar em causa crimes como os de usurpação de funções e burla, a Procuradoria Geral da Republica esclarece que “está atenta, a analisar as notícias publicadas e a recolher elementos que complementem os que, de forma genérica, foram até ao momento divulgados”. “Oportunamente serão tomadas as medidas adequadas e convenientes”.

Tanto barulho por causa de um homem que enganou uns jornais e umas televisões onde deu umas entrevistas, por acaso com muito mais bom senso, inteligência e conhecimento, que a maioria dos nossos políticos e comentadores, defendendo a renegociação da divida com argumentos e lógica. Chamam-lhe vigarista, que pelos vistos é, mas porque não chamam também vigarista e também não está também a PGR a recolher dados sobre o Passos Coelho, (e toda a canalha que o rodeia)? Mentiu, aldrabou, usurpou, roubou, e traiu todo um país, o que no seu caso parece ser normal e não digno de indignação.  Para o outro desgraçado não faltam adjectivos e gente com vontade de o crucificar, para o gatuno até o deixam mandar Mensagens de Natal. 

12 comentários:

  1. Já agora recomendo que faça a melhor imagem de natal deste anos que seria: Nicolau Santos e Ricardo Costa com dois BARRETES de pai natal enfiados até ao pescoço.

    ResponderEliminar
  2. Exactamente!
    O homem pode ser aldrabão mas quem o ouviu como eu na rádio, falando com tanta fluência e conhecimento, acertou na "mouche" dando um grande lição a muitos que nos desgovernam!
    Não quero "adivinhar", mas as VERDADES devem ter INCOMODADO MUITOS OUTROS ALDRABÕES NESTE POBRE PAÍS QUE JULGANDO NÃO SEREM, SÃO BEM PIORES!
    O homem tem apresentação e até se "gosta" dele!
    GRANDE BARRETE PARA OS ESPERTOS!

    ResponderEliminar
  3. Obvio...Dispensa comentários...

    ResponderEliminar
  4. Ehehehehe !!

    Então e para os aldrabões de alto coturno que nos "governam", não há investigação nem tribunais ?
    Quem não cumpre e nem faz cumprir a Constituição, não vai de choldra ?

    Vai bonita a festa pá !

    ResponderEliminar
  5. Estes são aprendizes ao lado dos consagrados Vale Azevedo e o engenheiro formado num domingo e que ninguém o chama à ordem.

    ResponderEliminar
  6. Alberto Lemos27/12/12 19:11

    Aparece um indivíduo afirmando-se cumulado de títulos e funções (ex-bolseiro da Gulbenkian, consultor do Banco Mundial, coordenador mandatado pelo Secretário-Geral da ONU, professor universitário), desdobra-se em entrevistas à imprensa, a reuters certifica-o, senta-se nas mesas redondas das intermináveis parlapatanices televisivas, é orador convidado em jantares promovidos pelas mais desvairadas instituições - umas sérias, outras nem tanto - ganha respeitabilidade sentando-se com Bagão e Maria Barroso, é coqueluche de blogues. 

    O país rende-se-lhe, ouve-o, exulta com o tom de milagre no ar das boas novas que debita. A crise não existe, a dívida é uma ilusão, quem tem culpa é o governo. O Cagliostro de trazer-por-casa, o Rei da Ericeira, o novo pasteleiro do Madrigal continua, alarga-se a multidão de seguidores. Para mais, é de esquerda, cidadão empenhado, abaixo-assinante em tudo que envolva amanhãs cantantes, senador da esquerda revolucionária, defende um onírico "ministério da Felicidade; tudo aquilo que faz pergaminhos e confirma brasão e título. O português, maioritariamente semita ou berbere, acredita em elixires, em sinais e presságios, curas milagrosas. É contra tudo e de tudo duvida, não ouve a razão, desdenha da clareza, mas se lhe surgir pela frente um António Conselheiro - e tantos têm sido os messias ao longo dos quarenta anos que levamos deste regime - transfigura-se, adere cegamente, não balbucia. O fim do mundo passou, e com o alívio do não cumprido armagedão, o falso Dom Sebastião é posto a descoberto. Seixas da Costa ainda protesta a presunção de inocência, outros descalçam as botas que ajudaram a fabricar para o novel marquês de Carabas. Mas para este caso não vai haver uma cela na Bastilha, uma galé ou uma carnificina no Paço da Ribeira. Isso era dantes. No paraíso da Dona Branca, de Vale e Azevedo, Alves dos Reis e Duarte Lima, permite-se que haja mágicos, conquanto seja apenas um de cada vez.
    Ao longo da vida todos temos conhecido a mais diversa casta de aldrabões, mentirosos e falsários aos pés dos quais são depostos os mais sonoros pachões e os mais cheirosos pivetes. Já o meu saudoso pai me advertia: "não te aproximes demasiado", "isto não é gente de confiança", "estão sempre prontos para todo o tipo de habilidades e, depois, paga quem foi ingénuo". É altura, caros leitores, de duvidarmos por princípio, duvidar sempre, até prova em contrário. Bom Natal no grande Rilhafoles em que se transformou Portugal !

    ResponderEliminar
  7. BALAS CRAVO E O PAÍS ESTÁ NESTE ESTADO

    RATATATATATATATA

    ResponderEliminar
  8. BALAS CRAVO E O PAÍS ESTÁ NESTE ESTADO

    RATATATATATATATA

    ResponderEliminar
  9. BALAS CRAVO E O PAÍS ESTÁ NESTE ESTADO

    RATATATATATATATA

    ResponderEliminar
  10. BALAS CRAVO E O PAÍS ESTÁ NESTE ESTADO

    RATATATATATATATA

    ResponderEliminar
  11. BALAS CRAVO E O PAÍS ESTÁ NESTE ESTADO

    RATATATATATATATA

    ResponderEliminar
  12. Not just that, you can indulge in more works though wearing this.


    My web blog; communitychurchsite.info

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo