sexta-feira, janeiro 25, 2013

Eleições! São uma alternativa credivel para ti?



Neste momento, nos meios políticos deste Jardim à beira-mar plantado começa a existir um consenso alargado que está na hora deste governo acabar e de se fazerem novas eleições. É o PS que já se começa a ver à frente nas sondagens e o Seguro a já a ver os galifões do partido a cobiçarem-lhe o lugar, são os partidos ditos mais à esquerda que acreditam ser possível subirem a sua votação ganhando mais uns deputados e, mesmo dentro da coligação, o CDS, sem querer ser o responsabilizado pela crise politica quer lavar as mãos enquanto no PSD há quem pense que o partido corre o perigo de desaparecer eleitoralmente se não puserem um travão a isto. Só o Presidente, que é banana e cobarde, não pensa nada.
Este governo já fez o trabalho sujo, aumentar impostos e destruir direito, tem na forja a “Refundação do Estado” que, resumidamente quer dizer o desbaratar do Estado Social, do SNS, da Escola Pública e dos poucos direitos que ainda resistem. É hora de tentar travar a contestação social que se pode transformar em confrontação se nada for feito e de fingir de novo que algo vai mudar, para que no fim fique tudo na mesma. Nada disto é novo, os partidos do poder vão uma vez mais seguir a política do alterne, o Paulo Portas lá vai ter de usar o boné das feiras para o CDS voltar a ser o partido bonzinho que gosta de pensionistas e agricultores e os partidos à esquerda reclamar das políticas e das maldades da direita. Renegoceia-se a divida, faz-se mais divida, mais concertação social, mais austeridade, mais discursos de ocasião, umas greves e umas manifestações. De novo só a habilidade mais uma vez demonstrada pelo sistema em conseguir absorver e domesticar a contestação social. Em menos de dois anos, o grande movimento cívico e apartidário nascido da Acampada do Rossio é um cordeiro não a contestar o sistema mas só algumas políticas. Se o PCP utiliza a CGTP para a criação das grandes manifestações de rua, o BE tem os movimentos sociais. Basta ver que já para dia 2 de Março o que se pede é a demissão do governo não se falando mais em democracia verdadeira ou em contestar a classe politica. Onde a culpa era de “banqueiros e políticos” ficaram só os banqueiros que afinal os políticos não são todos iguais. Por este andar, mais dia menos dia, até os banqueiros o vão deixar de ser.
O que sobra então? Uma franja de gente que se mantêm fiel ao espírito das acampadas, que acredita que o mal não está neste ou naquele governo mas no próprio sistema. Gente que exige mais democracia, mais directa e mais participativa. Gente que acredita que quem governa serve o país e não se serve dele, gente que acredita que quem governa tem de prestar contas sempre e a qualquer momento, que a legitimidade num cargo não é um direito com um limite temporal definido à prior mas um dever escrutinado dia a dia. Gente que acredita que quem governa o faz para servir os homens e não os Mercados e os banqueiros. Gente que sabe que esta dívida não é nossa e é um embuste criado para assaltar os nossos direitos, o património e os dinheiros públicos. Gente que acredita em pessoas e não em números, que acredita no trabalho comunitário e não no escravo, que acredita na solidariedade e não na repressão. Felizmente gente que não se vende nem se cala.
 
PS: Sei que isto que escrevi não vai agradar a muita gente de partidos e movimentos sociais, nomeadamente àqueles que continuam honestamente a convictamente a acreditar que é ali que está a mudança. Talvez tenham razão, mas convém sempre ir fazendo algumas reflexões e perguntas a nós próprios ao longo de cada caminho que trilhamos. Porque às vezes também não temos razão.

12 comentários:

  1. gabinete que investiga acidentes ferroviarios está inactivo desde 2010 mas tem dotação de 300.000 € 1 secretária e 4 salas vazias num 7º andar em que paga renda de cerca de 4.500 €/mês PARA ONDE VAI O EURIO HEIM ???

    ResponderEliminar
  2. eladio climaco queixa-se que tem de contar dinheiro pois a reforma de 2.200 euros não lhe chega. eu por mim era como na suiça recebia 1.700 no máximo e já gozava e se na rtp pagassem ordenados decentes se calhar não iam haver despedimentos porque raio as privadas não recebem taxa de audiovisual e têm lucros e a rtp é só mamar e ainda dá prejuízo? porque raio não sofrem cortes como os outros (são funcionários públicos especiais) porque recebem aos 30 20 e 10.000 e tal euros ao fim do mês? puta que os pariu não tenho lá nenhum filho a trabalhar mas tenho que os sustentar também

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso da Suiça é MENTIRA. 1700€ é a pensão básica, que em terras lusas se chama de sobrevivência. Além disso os suiços têm um segundo pilar (obrigatório) de segurança social, regulado pelo Estado. O total da reforma de um suiço é, pois, bastante superior ao valor máximo da pensão básica.

      Eliminar
  3. eu vi isso ele alega que apresentava os jogos sem fronteiras onde trazia alegria ás pessoas...se calhar por isso é que o palhaço do jardim gonçalves recebe 170.000 e a do sr silva?
    http://www.rtp.pt/programa/tv/p29821/e3

    pena é que a maioria dos tugas devia estar a ver a casa dos bostas

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. A esperança de um povo é que as eleições possam ser alternativa. Quer dizer, não votei nestes, não votarei nestes, tenho-lhes uma raiva que nem os quero ver, nem ouvir zurrar sempre que tentam entrar-me em casa de surpresa, como ladrões que são, mas gostava que a minha alternativa fosse mais sólida, fiável e confiável.

    ResponderEliminar
  6. fecha-lhe a caixa e atira-o ao Tejo...

    ResponderEliminar
  7. Ehehehe.
    Finalmente começas a ver a luz,Kaos.
    O "consenso alargado" que existe,é o que sempre existiu,entre a oposição,os que nunca o quiseram lá.
    Ahaha.
    Desde comunas a centristas,ninguém quer o fim da festa.
    A dívida não existe?
    Pois não!
    Ehehehe!
    Tás como o Vígaro que fugiu para Paris,as dívidas não são para pagar.
    Vão mas é aos paraísos fiscais e à Suíça buscar o que a escumalha política e autárquica para lá levou.Acabem com os contratos que defraudam o Estado e prendam os gatunos.Verão,aí sim,que a dívida não existe mais.
    Mas acho piada que já comeces a perceber que os gatunos de esquerda não são diferentes dos de direita.
    É uma evolução.

    ResponderEliminar
  8. "Quer dizer então que os Excelentíssimos pretendem diluir metade dos meus subsídios para eu não sentir com tanta violência o aumento dos impostos que se destinam, entre outras finalidades meritórias, a financiar a Fundação Mário Soares,
    o INATEL e os pacholas que o Vítor Ramalho lá meteu,
    o Carnaval da Madeira,
    a árvore de Natal interactiva do Costa e do Leonel,
    a instalação do gajo dos dióspiros que bateu com a cabeça numa figueira em Guimarães,
    as senhas de presença do Jorge Sampaio,
    os custos de manutenção do Galambódromo de Beja,
    a sobreposição de cursos inúteis nas Universidades e Institutos Superiores públicos que infestam o país,
    os trezentos e não sei quantos municípios absolutamente necessários ao desenvolvimento harmonioso do território,
    os tachos dos boys no aparelho da Segurança Social, na Saúde e no IEFP que o Bilhim afirma que não existem,
    o AUDI A5 do Zorrinho,
    o BMW do Pedro Vespa Soares,
    os negócios do Duarte Lima pagos pelo Estado,
    o título honorífico de campeões do mundo das PPP financiadas pelo BES com o dinheiro que o Lula sacou do Brasil,
    a nacionalização do BPN e as férias do dias Loureiro em Cabo Verde,
    a tinta para o cabelo do Borges,
    os concertos do Carreira, do Abrunhosa e do Quim Barreiros no dia da elevação de Cabeço de Vide a parvónia,
    o relvado sintético do campo de jogos de Fronteira,
    os milhões dos pareceres que permitem ao Júdice andar a armar-se em parvo,
    a reforma da Esteves quando ainda tinha idade para concorrer a financiamentos como Jovem Agricultora,
    os F16 para uns tipos porreiros fazerem de conta que são o Tom Cruise e perderem um teco-teco que desapareceu misteriosamente algures sobre Vilar Formoso,
    a cidade das selecções,
    os jardins interiores e os mármores da Parque Escolar,
    o Magalhães sem teclas que o Toino vai vender na esquina da Rua do Loureiro,
    os 100 mil euros para o torneio de Golfe comemorativo do centenário da República,
    as caricaturas do António no Metro?

    Pois muito bem. Agradeço a preocupação e comunico que vou tomar medidas adicionais à prevista diluição. No início de Janeiro, segue carta para a minha entidade patronal informando que sou casado e único titular dos meus rendimentos. A Adélia dirá o mesmo à entidade patronal dela.
    O efeito imeditato é a retenção na fonte baixar durante o ano de 2013. Depois, em 2014, acertaremos contas e o Estado receberá a totalidade do imposto devido pelo ano de 2013. Se cá estivermos. Mas, até lá, o dinheiro fica deste lado. E eles que vão diluir e reter prá casa do Carvalho mais velho. Sim, esse: o Manuel Carvalho que mora aqui na casa ao lado."

    ResponderEliminar
  9. olhe que sim ; olhe que não... porém o BE e o PCP ..inviabilizaramo PEC IV e lançaram o poder na mão da direita...Portanto o PCP e o BE tem uma opção muito fácil..ou querem descaradamente que a direita fique no poder roendo o Povo até aos ossos... ou ajudam o PS aretomar o poder e seguir o socratismo, que era o caminho possivel..já que nunca o Povo lhes confiará a eles pCP e BE, o Poder de governar deixando-lhes porém o nobre e importante exercicio politico de oposição...

    ResponderEliminar
  10. Para quem diz que não tem jeito para escrever, é uma das melhores análises que li.
    Muito bem.

    ResponderEliminar
  11. Sócrates igual a passos igual a Portas igual a Seguro igual a António Costa. não me venham falar em PEC 4 porque o PS quer ser ele agora a cortar e a mudar a constituição. Continuem com a conversa de que não há outros partidos e votem CDS , PS e PSD e aguardem pela miséria generalizada.~E já agora, outros conselho: nada de lutar, seja dia 16 fevereiro ( meu deus eses comunuas...) , nem dia 2 março ( esses anarcas, ui medo). Assim o país regressará aos mercados e nós mais rápido para o cemitério.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo