quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Desalojados da fortuna


Quando fiz este boneco era minha intenção escrever um texto sobre a nova lei das rendas e falando do último caso conhecido, daquela senhora de 79 anos que foi despejada, mesmo tendo as rendas em dia, só por não ter respondido a um inquérito e alertar para mais uma desgraça que se aproxima. No fundo, algo desnecessário, pois não é numa altura de crise e de austeridade profunda, em que o desemprego bate recordes, as pensões e salários são cortados que se criam ainda maiores dificuldades às pessoas alterando leis que lhes criem ainda maiores problemas e em nada contribuem para a resolução da dita crise. O Estado que devia ser o garante da ajuda em tempos de dificuldade, que devia procurar ser a mão que nos apoia nas dificuldades é ele próprio a calamidade que nos atinge e o carrasco da nossa desgraça. Ia falar sobre tudo isto mas já não consigo manter os olhos abertos e daqui a pouco, às 6.3o horas tenho de me levantar. Boa noite, quem desejar que escreva o que aqui falta e não foi dito.

5 comentários:

  1. Parece que aqui, (link abaixo) está bem respondido !

    http://www.youtube.com/embed/lNt7zc6ouco

    ResponderEliminar
  2. eu pergunto até quando?
    Até quando este povo vai continuar sereno e estático.
    até voltarem as barracas dos anos oitenta e a miséria, quando nos andarmos a matar uns aos outros por uma codea de broa!
    Já chega! Basta!

    Ps:Kaos a antiga caixa de comentários numa pequena janela, a meu ver era mais funcional.

    ResponderEliminar
  3. Durma descansado, porque mesmo com muita gente posta na rua, à custa de uma nova lei de arrendamento leviana e desrespeitadora dos reformados e dos pensionistas deste nobre país. Na verdade, os velhos - com todo o respeito e admiração - ainda vão pedir para trabalhar de novo, pois as migalhas que ganham de nada valerão para os remédios, médicos e um serviço de Saúde, que de nada ou pouco servem. Em resumo: cada medida pior que a anterior.

    ResponderEliminar
  4. Estou farto de dizer que para esta gentalha do desgoverno as pessoas deixaram de contar.
    Agora são todos números seja qual for a idade.
    A insensibilidade e arrogância que demonstram é de gente que nos é estranha que não presta.
    Por mim e com certeza por muitos milhares de Portugueses que vão todos abaixo de braga mas com uma pá bem grande para se afogaram na merda que cavarem.

    ResponderEliminar

  5. O CDS-PP, através da ministra Assunção Cristas, é também responsável por uma outra calamidade que em breve, irá afectar milhares de portugueses e que infelizmente, não é suficientemente abordada pela comunicação social, que é o facto de o seu ministério, ter dado indicações ao Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana ( IHRU), para alterar os arrendamentos sociais existentes nos cerca de 12 mil fogos de habitação social do IHRU, espalhados pelo país, para o regime de renda apoiada.

    A renda apoiada é um sistema de arrendamento injusto, permitindo valores de renda muito elevados para os agregados familiares dos fogos de habitação social, sendo desfasados da realidade económica e social dos agregados, já comprovado, inclusive pelo anterior Provedor de Justiça, Nascimento Rodrigues, em 2008, que sugeriu ao Governo, na altura, para alterar a fórmula de cálculo da mesma renda apoiada, por ter considerado como um sistema de arrendamento injusto.

    Mais inadmissível se torna a posição da ministra Assunção Cristas e do IHRU, tendo em conta o facto de em Setembro de 2011, ter sido aprovado na Assembleia da República, uma moção do PS, PSD, CDS-PP e do Bloco de Esquerda, que recomenda ao Governo a alteração do regime de renda apoiada, definido pelo Decreto- Lei nº 166/93 de 7 de Maio.


    Se existe um verdadeiro exemplo da máxima: O que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira, é o CDS/PP e a ministra Assunção Cristas.

    Em 2011, era o próprio CDS-PP, que reconhecia na Assembleia da República, a renda apoiada como um sistema de arrendamento injusto e propunha a alteração da renda apoiada.

    Agora, é o próprio ministério da ministra Assunção Cristas, do CDS-PP ( que anteriormente, como deputada, reconheceu a renda apoiada como um sistema de arrendamento injusto) que dá indicações ao IHRU para aplicar a renda apoiada nos seus fogos de habitação social, mesmo depois de Assembleia da República ter aprovado 4 resoluções ao Governo para a alteração da renda apoiada!



    http://contrarendaapoiada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo