quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Vergonha e impunidade


Portugal está entre 54 países que, ao terem permitido a passagem de voos da CIA pelos seus respetivos territórios, ajudaram o Governo norte-americano a perpetrar uma campanha "global de tortura", refere um relatório internacional hoje divulgado.
O relatório da Open Society Foundations "Globalizing Torture - CIA Secret Detention and Extraordinary Rendition", hoje divulgado, refere que um "total de 54 países", entre os quais Portugal, onde entre 2001 e 2006 foram identificadas "pelo menos 115 paragens suspeitas de aviões associados com a CIA", violaram assim normas nacionais e internacionais contra a tortura.
"Portugal autorizou a utilização do seu espaço aéreo e dos seus aeroportos em voos de rendição da CIA", aponta o relatório, que elenca a mais completa lista dos países que ajudaram os EUA a transportar suspeitos de terrorismo após os ataques de 11 de Setembro, para serem interrogados e torturados.

Há muito que tempo que aqui falo de uma das maiores vergonhas que governantes vendidos a interesses estrangeiros praticaram destruindo a nossa dignidade como seres humanos; a colaboração em odiosos actos de tortura e de total desrespeito pelas leis e normas internacionais. Tantos discursos inflamados ouvi eu das bocas de hipócritas lideres ocidentais em nome dos direitos humanos, tantas guerras se fizeram com esse discurso, tantos povos foram ostracizados em seu nome. Perante o protesto da vergonha que sentimos de saber que o nosso país colaborava com prisões ilegais de cidadãos tirados à força dos seus países, transportados em segredo para outros onde eram torturados para finalmente serem levados para prisões como Guantanamo, onde permaneciam presos sem direito a julgamento nem defesa, os no nossos governantes sempre optaram pela negação e os inquéritos nunca levaram a nenhuma conclusão. Uma realidade escondida como um gato com o rabo de fora. Vem agora uma organização internacional confirmar aquilo que já todos sabiam mas muitos procuravam esconder. Vai haver consequências? Infelizmente uma vez mais não as haverá. A vergonha continua assim como a impunidade daqueles que cometeram actos indignos contra a humanidade. Vergonha.

3 comentários:

  1. O Patriota6/2/13 22:30

    Se um islamita cortasse a cabeça aos vossos filhos com uma faca ou os mandasse pelos ares com um carro-bomba, eu aí logo vos queria ver a falar de "direitos humanos"...

    É muito bom falar de "direitos humanos" quando vivem na Europa dos confortos com o cu sentado em frente ao computador a brincar o dia inteiro...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo7/2/13 09:59

    Os islamitas e afins não sabem viver de outra maneira e não me parece que tenham noção do que são "direitos humanos"!
    Na europa sim, foram-nos ensinando o respeito que devemos ter pelos outros e não gostamos de ser "atropelados custe o que custar" por pessoas cuja idoneidade ponho em causa e em quem já não acredito precisamente por estarem a desrespeitar
    continuadamente esses mesmos direitos!
    Veja o snr Patriota que também com o cu sentado em frente ao computador ainda lhe vão dando o "direito" de comentar o que lhe apetece!...

    ResponderEliminar
  3. O Patriota7/2/13 15:08


    Só acho engraçado o facto de muitos dos ditos "defensores" dos direitos humanos, muitas vezes serem também grandes amigos e defensores da sinistra União Soviética e de carniceiros como Che Guevara, Trotsky, Lenine, etc...

    Termino dizendo apenas isto: há alguns anos atrás ouvi pessoalmente um membro do RUPTURA/FER agora também conhecido pessoalmente como Movimento Alternativa Socialista (MAS)dizer que quando chegasse a revolução (seja lá o que isso for...) os burgueses têm de ser todos fuzilados e que a oposição tem de ser "silenciada"...

    Curiosamente, a delirante personagem em questão era "apenas" um dos responsáveis por uma secção de direitos humanos dentro do RUPTURA/FER. Bem, se isto são os direitos humanos da esquerda delirante, então nem quero pensar no que serão os "desdireitos" humanos desta malta com o narizinho empinado...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo