quarta-feira, junho 26, 2013

Destruição da Horta do Monte


Por volta das seis horas da manhã, oito elementos da Polícia Municipal (PM) acompanharam os trabalhos camarários de destruição da Horta do Monte, localizada perto do Largo da Graça, em Lisboa. Ainda que o projeto comunitário nunca tenha recebido qualquer notificação formal e legal, a CML decidiu interromper o processo de negociação que tinha sido iniciado, com a marcação de uma reunião, e avançou com a intervenção. As cerca de cinco pessoas, membros do projeto comunitário, que se dirigiram ao local por volta das 7h foram alvo de agressões, sem qualquer justificação, por parte da polícia, segundo relatou a coordenadora da Horta do Monte, Inês Clematis. Entre encontrões e bastonadas, duas pessoas foram detidas e uma foi encaminhada para o hospital com a cabeça partida.

É fantástico o medo que o sistema mostra de ver surgir aoto-organização popular e o nascimento de projetos colectivos que não passem pelo pedido de subsídios ou  lambam as botas ao poder. Casas ou terrenos deixados ao abandono durante décadas, passam loga a ter um projeto e uma requalificação se alguém se lembra de os colocar ao serviço da comunidade. Como aconteceu na Escola da Fontinha no Porto, ou agora na Horta do Monte. Os projetos são desalojados á força, o trabalho feito destruído em nome das legalidades e dos procedimentos que criam para travar a ação popular livre e direta. Gostam muito de aparecer nas televisões a defender a cidadania, a necessidade de se possibilitar a participação dos cidadãos, mas só se forem em rebanho, bem direitinhos e a fazer vênias ao poder. P.q.o.P.











6 comentários:

  1. Revoltante!
    Os parasitas da policia municipal que fogem dos ladrões ,são uns valentes em grupo contra cidadãos
    A policia é mesmo assim ,ainda há pessoas naifes que gritaram que a policia estava com o povo
    A policia estará sempre com os regimes opressores .Só quando as coisas viram é que dizem que estavam com o povo , era o trabalho deles dar porrada.No 25 de Abril pareciam ratos de esgoto ,porcos e escondidos
    PQOP que é para não dizer asneiras

    ResponderEliminar
  2. consequências de ter metido cravos nas armas.

    ResponderEliminar
  3. https://twitter.com/Passos_PM/status/349859072708853763

    ResponderEliminar
  4. A propósito deste assunto recomendo a leitura to texto do autor do projecto "8 Verdades Inconvenientes": http://link2greenways.blogspot.pt/2013/06/8-verdades-inconvenientes.html

    Já agora, a bem da verdade era importante ouvir as pessoas do Bairro da Graca, que apoiam a iniciativa da CML da mesma forma que os restantes hortelões.

    Finalmente, eu estive no local e a única violência que presenciei foi dos extremistas que ocuparam o espaço.

    ResponderEliminar
  5. Se eu tivesse que ser policia pra pôr comida na mesa, não me restaria outra alternativa senão tomar um duche de merda e borrar bem a minha cara antes de sair de casa pro "trabalho"?, evitando assim simultãneamente ser reconhecido e avisar as pessoas da minha imimente pestilenta presença, não cometendo as injustiças e cobardias pras quais seria pago. Fica aqui a sugestão..
    Jovem se pertences ás forças policiais borra a tua cara com merda!

    ResponderEliminar
  6. Afinal, sempre é verdade que vivemos numa ditadura.
    Eu nem queria acreditar quando alguém o disse.
    Nestes últimos 10 anos, os portugueses têm apanhado cada surpresa!...
    E parece que está a piorar, pois cada vez mais os governantes, apoiados pela polícia que só sabe queixar-se quando lhes faltam as fardas e os carros, estão mais violentos com o povo indefeso.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo