domingo, fevereiro 26, 2006

Se precisam de mais profissionais, contratem-nos!


O PSD quer que os professores desempregados possam ajudar nas escolas, no combate ao insucesso escolar, e junto das comunidades de imigrantes, para integração na sociedade, contando esse trabalho para o tempo de serviço. (Diário Digital, 25/02/2006)

O PSD QUER. Os professores no desemprego, FAZEM! – assim vê as coisas o nosso pequeno iluminado Marques Mendes, de dedinho no ar, pondo-se tremeliques em bicos dos pés para se fazer grande. E vão trabalhar como professores nas escolas, com os alunos mais problemáticos, combatendo heroicamente o malfadado insucesso escolar. Outros professores pertencentes aos quadros da escola poderão sentir-se até mais aliviados com turmas só de alunos de sucesso. Talvez até o governo ache bem estas brilhantes propostas do Marques Mendes e se ofereça para colocar esses professores-missionários-que-recebem-o-subsídio-de-desemprego a dar aulas em escolas consideradas problemáticas. E pode até canalizar alunos com insucesso escolar todos para essas escolas. O que poderá fazer com que as outras escolas sejam cada vez mais as escolas-modelo. “Isto é que é o modelo” - já estou a ver o primeiro-ministro a vender o seu peixe, assegurando-nos que é muito melhor para todos nós se se criar um fosso destes (porque as tuas políticas neo-liberais, ó menino Marques Mendes, lhe convêm a ele também) . Um fosso entre sucesso/insucesso profissional e financeiro: senão vejamos - uns passam a ser professores de primeira, outros passam a ser professores de segunda, os quais tu consideras beneficiários desta tua proposta tão pim-pam-pum.
Um fosso que se abre debaixo dos pés de milhares de professores em situação desesperada de desemprego, que vem adequar a sua insegurança, institucionalizando-a numa contingente semi-escravatura assalariada. Um professor desses, missionário, D.Quixote-em-demanda-pela-sua-vez-de-ser-colocado-nos-quadros-de-uma-escola em vez de passar a ter a digna profissão de professor, vai trabalhar como tal, mas ganhar… o subsídio de desemprego! Enquanto os outros, que trabalham na sala ou lado da sua ou na tal escola-modelo, vão fazer o mesmo que ele e ganhar como... professores! Mas mesmo estes, será que estão em segurança? Será que com tantos desempregados a poder fazer o seu serviço por menos dinheiro (sem custos para o país, como tu dizes) não deixarão eles de ser precisos a ganhar como professores? Já tens os outros a trabalhar, não é? Quantos mais professores desempregados, mais gente tu pões a trabalhar ao preço de um subsidiozito de desemprego (isso é que é ter uma visão economicista, vais ganhar o Nobel, ou ainda te põem como ministro das finanças!). E esses professores desempregados ainda te devem ficar imensamente gratos pela benesse que lhes dás de contarem os anos de serviço, dizes tu, o que faz com que o prolongamento da idade da reforma para os 65 anos só lhes traga mais hipóteses de um dia ainda virem a ser professores como os outros, dirá o Sócrates. Mais a vantagem de se sentirem úteis à sociedade (tu sabes como é importante sentir-se útil ao país, não é meu inútil?)

“Já são milhares os professores que estão no desemprego e portanto recebem subsídio de desemprego.”

Segundo Marques Mendes, estas duas propostas «praticamente não têm um custo financeiro» e iriam beneficiar profissionais qualificados que são úteis à sociedade.

E está tudo dito, ó Marques Mendes, são desta natureza as conclusões a que chegas. Agora é pôr essa malta a trabalhar, não é ó g’anda nóia? E por que não pôr esses malandros dos professores desempregados também a apoiar as comunidades de imigrantes? Mais uma boa ideia tua! São professores no desemprego mas também podem servir para tapar-buracos, não é? Olha, põe-se os gajos a render, já que recebem o subsídio de desemprego, passam a ter a profissão de “desempregados” mas vão fazendo os trabalhinhos que o país precisar. Porque é que não sugeres pôr uns gajos desses na Assembleia da República, a ganhar menos do que tu e assim já se podiam mandar para casa uns quantos deputados insignificantes como tu que saem bem caros ao país? E acabavam-se as reformas para pessoas com rendimentos como os teus e o país poupava e tu poupavas-nos com as tuas soluções abjectas e já escusávamos de te ouvir propor coisas destas. O que nos vale é que os do teu partido estão a tratar-te da saúde e tu para aí a debitar propostas como se tivesses um GRANDE futuro político à tua frente, um meia-leca como tu… (Poasted by Kaótica)

2 comentários:

  1. Ainda bem que vemos a nossa oposição a ter boas ideias. Transformar os empregados em desempregados para lhes garantir um emprego.

    ResponderEliminar
  2. Com uma oposição destas até este governo parece bom.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo