quinta-feira, março 30, 2006

A Vampira, Margarida Rebelo Pinto

Quando penso em Margarida Rebelo Pinto, faz-me sempre lembrar a anedota do vampiro, que fazia cházinhos terapêuticos com um chávena de água escaldante e um penso higiénico apanhado no caixote de lixo mais próximo.

10 comentários:

  1. MANUAL DE LITERATURA LIGHT

    “Porque há sempre espaço para aprender, vamos aqui colocar algumas pequenas lições sobre a arte da escrita!” MRP no s eu Blog

    A partir dos exemplares seguintes, construa um texto para os jogos florais de literatura light. O segundo texto é para ilustrar a densidade literária (“Se gostava de escrever mas ainda não se sente à-vontade, passe primeiro pela escola de escrita” MRP)



    ANITA NA LITERATURA LIGHT

    “Anita era a devassidão com forma humana! Não havia em Lisboa criatura, homem ou mulher, morta ou viva, em pé ou deitada, que Valéria não tivesse já experimentado, no sentido absolutamente sexual da conversa, claro!

    Um dos seus muitos fetiches era usar apenas a casa-de-banho dos homens nas discotecas. Certa noite, juntou-se a um grupo que estava a dar na branca e, após terem despachado umas vinte gramas cada um e já ter lambido os restos do saquinho de plástico, deu por si em pleno acto sexual com cinco homens. Entrou o segurança da discoteca na casa-de-banho e Valéria, ainda com o nariz e a boca dormentes e cheios de coca, saltou-lhe para cima e, em vez de cinco, foram seis ao mesmo tempo.

    Para ela foi uma noite perfeitamente normal! Para a discoteca, foi uma noite memorável, tendo Anita ficado conhecida como a fodilhona Mor!

    Manhã em que Anita não acordasse nua no meio de dez ou vinte pessoas não era manhã! ... e certamente não seria Anita!

    A coca servia de antibiótico e nunca ficou doente, ou nunca passou mais que duas horas em casa. A tia obrigava-a a viajar com esperança que as viagens a ajudassem a procurar um objectivo na vida. Sem dúvida que a tia estava certa! Anita tinha descoberto que não havia nada melhor na vida que as orgias e a cocaína!

    Foi numa manhã, num palácio em Veneza, quando acordou na maior orgia em que alguma vez participara (cinquenta pessoas se bem me recordo), que tomou a decisão de mudar de vida! Tomou banho, vestiu-se, deu o último traço de coca e viajou para Lisboa.


    Chegou a Lisboa, foi ao médico e, nesse momento, descobriu ser seropositiva. "Foi o filho da puta do Diogo", pensou! Era o único que não usava preservativo! No entanto, recordou-se que em muitas das orgias não se recordava de todos os pormenores...e o uso de preservativo era um deles!

    Foi uma reviravolta na sua vida que a fez repensar em toda a sua existência.

    Ao sair do médico, decidiu! Iria viajar para Moçambique e iria trabalhar como voluntária nos Médicos do Mundo!

    Dois meses depois da descoberta, apanhou o avião no aeroporto da Portela para Maputo e desapareceu algures no sul de Moçambique, onde iria dar apoio psicológico às vítimas de guerra.

    Desde o embarque na Portela, ou seja há um ano, que a tia não sabe nada dela, mas presume-se que esteja bem e viva!”
    ( in Há Coincidências !)



    “Já há poucos homens como antigamente, daqueles porcos, feios e maus e a cheirar a cavalo. Pelo menos por fora, porque por dentro, é como diz o ditado do norte: o homem é como o porco, só se vê o que é depois de morto. Mas deixemos as análises psicológicas possíveis acerca de tão fascinante tema, porque o que me interessa falar é do aspecto exterior da rapaziada, que, citando o meu merceeiro quando elogia as couves e as alfaces comenta com orgulho como estão viçosas e com muito bom aspecto. E é verdade. Os homens em Portugal, pelo menos os das grandes cidades, andam com muito melhor aspecto, mais viçosos até. E é em grande parte uma questão de cosmética e de ginásio”
    (MRP In Espelho meu, espelho meu …)

    ResponderEliminar
  2. MRP julga que tem um iman sobre os leitores. Com a providência cautelar deu-se uma reviravolta na sua vida ( como a da Anita)- passou a ter hímen!

    ResponderEliminar
  3. recolham textos de MRP para avançarmos com uma providencia cautelar contra a cretinice. Nunca mais publicará !
    Vertigo

    ResponderEliminar
  4. Margarida Rebelo Pinto no Trânsito


    "Enquanto guio pela cidade e resolvo a minha quase infindável lista de tarefas, tu vais sentado ao meu lado, vejo-te de óculos escuros, oiço-te a cantarolar e sinto a tua mão esquerda sobre as minhas pernas. Nos sinais vermelhos, se fechar os olhos e me concentrar, a tua boca vai escorregar pelo meu pescoço acima até dobrar a linha do maxilar e percorrer a minha cara até chegar à minha boca para mergulhares em mim como uma onda salgada e doce, num beijo profundo e demorado."

    VERTIGO

    ResponderEliminar
  5. MARGARIDA REBELO PINTO ALTRUISTA

    "Tu entras sempre antes de mim, olhas em volta como quem visita a casota de um cão, fazes um ar de dó que me faz sentir um verme e depois deitas-te comigo porque te dou pena, porque te apetece ter sexo, porque sabes que ao menos em mim podes confiar, que nunca te vou bater e te empresto dinheiro sempre que precisares."

    VERTIGO

    ResponderEliminar
  6. AS ESCOLHAS GASTRONÓMICAS DE MARGARIDA PINTO REBELO

    ( com Santana Lopes)

    Agora olho para trás e percebo que andavas por aí ...Estávamos a jantar num restaurante tranquilo, tu tinhas escolhido linguadinhos fritos com arroz malandro e eu iscas com batatas quando te pedi sem te dizer nada para não saíres da minha vida, porque não quero voltar ao caminho dos refugiados, não me apetece desistir, deixar de acreditar, voltar atrás e ter de esquecer o que foi importante, quando tu me disseste, desta vez com palavras, que estavas igual a mim, um bocado farto da solidão povoada, de acordar e fingir que está tudo bem, que é só mais um dia para à noite mergulhares no casulo ao lado onde ninguém te via e tu não vias ninguém"

    VERTIGO

    ResponderEliminar
  7. MARGARIDA REBELO PINTO POLÍTICA

    "...porque preferem a guerra, o poder, o cheiro das armas e da luta à doçura de um serão à lareira com chá de cidreira e torradas com geleia."

    VERTIGO

    ResponderEliminar
  8. Khaos, Bem sei que nada tem a ver....mas corrige lá o link da tua assinatura nos comentários. Falta um t no final. Thanks. É que é mais fácil vir aqui dar.

    ResponderEliminar
  9. Nunca ninguém considerou, levando-se a sério, que a escrita detestável de Rebelo Pinto exigisse uma providência cautelar para evitar prejuízo público. Com que desespero ou infinita soberba exige agora ela da lei que proteja de ataques a sua magna obra? A que pedestal subiu recentemente ou que fraqueza súbita lhe patrocina a ideia de que cabe às instituições do Estado cobrir os flancos dos seus escritos? Afinal, contra toda a jactância e apesar das legiões de seguidores, eles não se bastam?

    RAA

    ResponderEliminar
  10. Cada um escreve como quer e sabe. Críticar é fácil e melhor consegues?
    Então porque não o fazes?

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo