quarta-feira, abril 26, 2006

Prova dos nove contra os aldrabões

O Presidente identificou um Portugal de "dualismos" e de "profundas disparidades”.
Cavaco Silva identificou a "desigualdade na distribuição da riqueza”: "Não é legítimo pedir mais sacrifícios a quem viveu uma vida inteira de privação".
Cavaco Silva no discurso comemorações 25 abril (2006)

Estas generalidades cristãs foram prontamente apoiadas por Sócrates. Afinal quem não se preocupa com os pobrezinhos!
(até a Cartilha da escola primária do Estado Novo tinha um texto denominado de “Os Pobrezinhos”).

Contudo a conjuntura existencial dos benefícios dos que gravitam em torno das mordomias do Estado, que não tem meios para acudir a todos (dizem!), encerra uma descarada hipocrisia.
A começar por este novo defensor dos pobrezinhos:

2.679 Euros do Banco de Portugal
5.007 Euros da Universidade Nova de Lisboa
2.876 Euros por ter sido primeiro-ministro
+ Remunerações de Presidente da Republica.

Cavaco Silva, que no seu exercício se rodeia de dignatários do capitalismo mais selvagem e primitivo, apresenta-se como criatura do oratório, chupada, com um sorriso cínico e convicção de quem ofereceu a vida pelos interesses do Estado, a pensar nos pobrezinhos, tão engraçados... É demasiado sinistro! Humor negro... só alguns gostam!
A abordagem da desigualdade é a das relações que geram a pobreza e o privilégio. Cavaco Silva falou da pobreza como factor de desigualdade, escamoteando a organização social polarizada em torno do lucro e privilégios como factor de pobreza. Como se a pobreza caísse do céu !

Jorge Matos
.
Contributo para o Echelon: Kwajalein, LHI

7 comentários:

  1. Voltamos ao tempo da caridadezinha

    ResponderEliminar
  2. exactamente!
    a canalha que (se) tem governado e que, com as suas polícas criminosas, criou a situação de miséria que se vive, vem, agora, organizar um peditório!!!!!

    ResponderEliminar
  3. na verdade, até desconfiou que cavaco acredita naquele discurso. Embora a tese do "homem do povo, descendente de pobres" seja uma construção de marketing político, não creio que cavaco seja da mesma laia dos "tubarões" que o rodeiam.
    Reconheço nele alguma preocupação "social" sincera. Mas posso estar enganado...

    Assim, Cavaco não seria tão mau como a mafia financeira que o rodeia e que procura influenciar o rumo económico deste país a favor da Finança e contra a Economia.

    ResponderEliminar
  4. Rui: Ainda me lembro bem das grandes fortunas feitas durante o reinado de PM do Cavaco. É ele o pai do défice e talvez o maior culpada da situação actual. è um lacrau

    ResponderEliminar
  5. Foi o gajo que recusou a pensão à mulher do Salgueiro Maia e atribuiu pensões aos PIDE. É um mesquinho enfatuado.
    Veste a pele de académico mas é um ignorante trangénico de York.
    SOS

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo