terça-feira, maio 30, 2006

Tantos "Prós" para nenhum "Contra"

Como na vida nem tudo pode ser mau, vamos começar por uma boa noticia. O programa “Prós e Contras”, de Fátima Campos Ferreira, acabou, pelo menos por agora. E, se estou contente com isso, tal não se deve simplesmente ao facto de o considerar um programa de propaganda neo-liberal, mas sobretudo por ser um programa “mentiroso”. O que semanalmente ali se passava, era um “Prós e Prós”, sobretudo quando o assunto era economia, em que sob a capa de divergências, aquilo que se acabava por observar era uma concordância, uma quase uma unanimidade de opiniões. Assim não vale.
Um bom exemplo disso foi este último programa, onde a única diferença nunca esteve no modo de fazer ou na crítica ao que tem sido feito, mas sim na intensidade com que deve ser feito. Do catastrófico Medina Carreira ao mais optimista Silva Lopes, passando por Administradores da Sonae (o Belmiro em pessoa), da Galp, mais uns “yes men” comentando das cadeiras da plateia todos tocavam a mesma música.
Concluindo, o Sócrates até é fixe, embora esteja na altura de dar mais umas fortes machadadas na função pública e na política social, as condições para o fazer são as ideais e claro há que mudar a constituição, grande empecilho da nossa economia. Liberalismo puro e duro com muitos “Prós” e nem um único “Contra”.
O tons mais coloridos foram dados pelo Belmiro quando depreciou e desprezou aquilo a que chamou de comunistas dizendo que nada mais representam que 15% da Assembleia da Republica. Com Cavaco em Belém, Sócrates a dominar o partido Socialista e o governo e uma oposição aflitinha para fazer a mudança, era aproveitar para alterar a constituição, emagrecer a Função Pública e desbaratar o estado social.
Só em pequena nota de “Contra”, digo eu que a maioria dos 85% dos deputados a que se refere para aprovar a mudança, quando foram eleitos, não defenderam essas ideias. Não têm por isso a legitimidade democrática para as fazer aprovar, isto se ainda nos queremos considerar uma democracia.
A outra nota de cor veio da parte do ex-socialista Medina Carreira, que apresentou um cenário de fim do mundo, do qual será sempre um dos responsáveis, por, também ele, já ter ocupado o cargo de Ministro das Finanças. Dai, partiu para a afirmação de que nenhum dos partidos do actual espectro político português, ter a capacidade de resolver o problema. Mais grave, foi quando se afirmou capaz, acompanhado de mais 30 pessoas escolhidas, de resolver o problema fora do actual sistema político. Dessa afirmação à ideia de um novo regime ditatorial vai uma distância que não vislumbro. Quando tais afirmações são proferidas em publico, e não são contestadas por nenhum dos presentes, só senti muitos “Prós” e nenhum “Contra”.
.
Contribuição para o Echelon: THAAD, package

25 comentários:

  1. Toda a razão meu caro, foi muito mau, muito mau!
    Silva Lopes e Medina Carreira, será que não existem mais especialistas em finanças em Portugal?
    É que são sempre os mesmos a dizerem a mesma coisa.
    E como dizem o gato (R.A.P.) "falam falam falam mas não os vejo a fazer nada"
    Boa Noite

    ResponderEliminar
  2. Acho que o mal é substituirem programas que não prestam por outros exctamente iguais...
    Como já falámos num outro dia, são sempre os mesmos sentados à mesa partilhando o banquete...
    Concordo contigo porque também tenho um sentimento inquietante que ainda vamos acabar mal. A ditadura não está assim tão distante...
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Esses "tiques totalitários" são comuns em Medina, especialmente adulado pelas televisões pelas declarações bombásticas e frequentemente infundadas que de quando em vez arrota cá para fora: ainda me lembro de uma em que dizia que em Portugal havia mais de 2 milhões de pessoas a viverem directamente de rendimentos do Estado. Exacto. 2 milhões... Mas podia também ter dito 9 ou 12, que o jornalista continuaria a não se atrever a questioná-lo.

    ResponderEliminar
  4. O jornalismo em portugal está absolutamente corrompido (salvaguardando-se poucas mas honrosas excepções), e então nas televisões públicas, esqueçam!
    E depois com mundial à porta quem quer saber de 2 milhões de portugueses no limiar da pobreza?...;).

    Gostei do blog. E parabéns por essas imagens espectaculares.

    BeijInha

    ResponderEliminar
  5. Carminda:
    O mal é que nestes programas escolhem sempre gente que defende o mesmo tipo de ideias. Apresentam-se como se as unicas alternativas fossem as que ali são mostradas. Não é verdade, mas há muita gente que acaba por "engolir" a mentira.
    um beijo

    ResponderEliminar
  6. tb:
    Embora sob a capa da democracia as nossas escolhas já são demasiado condicionadas. A comunicação social está nas mãos dos grandes grupos economicos que nos impingem histórias de embalar. Quem defende opiniões realmente diferentes não tem qualquel hipotese de as apresentar. Vão valendo algumas vozes ainda livres na net para podermos ouvir algo de diferente. Temo é que não seja o suficiente.
    um beijo

    ResponderEliminar
  7. Rui:
    O medina é uma alma parda que foi para a televisão apresentar-se como o anunciador do apocalipse. Eu também acredito que vamos no mau caminho, mas aquele que ele defende ainda é pior. O fim de todas as liberdades direitos e garantias que ainda temos. Se o Salazar estivesse ali não teria falado de forma diferente. Pior aquela vendida que faz figura de moderadora não se farta de lhes dar ainda mais força. Um pessimo programa que espero nunca mais volte à televisão publica.

    ResponderEliminar
  8. Inha:
    É com grande prazer que te recebo aqui no meu cantinho.
    Tenho procurado batalhar contra aquilo que considero um dos maiores perigos contra a nossa liberdade; a comunicação social. Vendidos ao poder e aos grandes grupos económicos enganam aqueles que os ouvem sem realmente procurar descodificar o que é dito. Sou maluco? talvez, mas acredita que todos os dias noto silencios e opiniões que não deixam espaço para duvidas.
    Também já fui até ao teu blog e gostei muito. Espero passar a visita-lo com mais frequencia. Tu, serás sempre bem vinda ao meu
    bjs

    ResponderEliminar
  9. comoveram-me, especialmente, os elogios do ti belmiro ao sócrates e ao cavaco!

    ResponderEliminar
  10. luikki:
    Com papas e bolos se apanham os tolos e há neste pais quem deve muitos favores.

    ResponderEliminar
  11. Um excelente texto para acompanhar uma excelente imagem!

    ResponderEliminar
  12. Alien:
    Obrigado meu ET amigo
    bjs

    ResponderEliminar
  13. neste país toda a gentalha gosta de parir comentários....especialmente depois de terem passado em lugares de decisão..e nada terem feito.....são uns idiotas engravatados!!!

    ResponderEliminar
  14. cavaleiro:
    O que me assusta é que não o fazem só por fazer, mas porque fazem parte de uma ideia que nos querem vender
    um abraço

    ResponderEliminar
  15. Zé Leitão31/5/06 01:25

    Ó pessoal, quando se propõe que os Pais avaliem também os professores, eu compreendo perfeitamente o péssimismo do prof. Medina.
    Quando ele diz que um político deve dizer a verdade tem toda a razão.E nós como ele sabemos que, neste momento,em política, cá como lá fora, os políticos são grandes mentirosos. O prof Medina foi ministro do Guterres, mas por pouco tempo. Demitiu-se. Vários estudos que lhe foram encomendados, durante os "estados gerais", e outras compilações de dados, feitas já no ministério, foi tudo parar ao fundo de uma gaveta...
    A Fátima entrou de facto em plano inclinado desde o primeiro programa. Uma pena porque o programa teve momentos muito bons. Já vi programas semelhantes em Espanha e são um espectáculo.
    Agora na 2ª feira e pela enésima vez voltou a dizer-se que sem educação não há jovens, não há empresários, não há pessoas inteligentes, não há pessoas com conhecimento, não há desenvolvimento. E sem tudo isso o futuro apresenta-se cada vez mais triste e sombrio.

    ResponderEliminar
  16. Zé:
    Quanto á Fatima estamos de acordo, mas já em relação ao Medina nem tanto. O homem está farto de esperar por um avanço ainda mais rápido do liberalismo que acabou por perder a cabeça. Ir ali fazer-se arauto da verdade e do saber não lhe ficou nada bem. Mas isso ainda é o menos (não esperava outra coisa), mas o que realmente quero criticar é a lavam de cerebro a que somos submetidos diariamente.
    um abraço

    ResponderEliminar
  17. olha eu praticamente não vejo porque simplesmente não aguento a voz da criatura..

    e com esta constelação("um presidente um governo"), bem podes protestar meu amigo, que a FP vai mesmo levar um encontrão...

    bjuzz

    ResponderEliminar
  18. Cristina:
    Disso tambem eu não tenho duvidas, mas o mais triste foi ver o espaço daquilo que é a diferença de opiniões. É tipo um diz que é amarelo o outra tambem mas ligeiramente mais claro. Assim não vale.
    bjs

    ResponderEliminar
  19. eric:
    obrogado
    um abraço

    ResponderEliminar
  20. Nice colors. Keep up the good work. thnx!
    »

    ResponderEliminar
  21. I really enjoyed looking at your site, I found it very helpful indeed, keep up the good work.
    »

    ResponderEliminar
  22. I find some information here.

    ResponderEliminar
  23. Num sei purquéque tiscrebem im inglês mas sendo assim tamém bou iscreber cumo na minha terra. Cuma difrença: é queu nasci mesmo no Puorto, nus tou a fingir que sou amaricano. Quanto ó cumentário já num me lembra o quia a dizer... Ah, era por causa daquela do prós. A gaja é da minha terra mas o Da Costa tamém é e a gente subrebibe. Mas tens razón, é só o que te posso dizer. Força, carago. Dá-lhe mais queles merecem - imbora num simportem porque sabem que pouca gente lê isto. Mas é por isso queu aquistou, pra te dizer que já somos dois! E que as maiorias começam sempre por ser minorias. E tal.

    ResponderEliminar
  24. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo