quinta-feira, maio 31, 2007

O filme da greve

Ainda sobre a greve geral de dia 30 há uma ou duas coisas que devem ser ditas. Primeiro constatar que também o governo já guarda as suas conferências de imprensa para a hora da abertura dos telejornais como se já não nos bastassem os partidos fazerem o mesmo. Isso e destacar sete membros do executivo para e os distribuir pelas televisões para que nenhum terreno ficasse por cobrir. Eu, por exemplo, tive de ouvir a estopada da história da carochinha contada pelo Ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, durante longos minutos a mostrar uma enorme desonestidade intelectual. Não quero sequer discutir os números apresentados pelo governo ou pelos sindicatos. Provavelmente ambos estão a “puxar o rabo à sua sardinha” pelo que pouca credibilidade lhes dou. Desonesta, no entanto, foi a sua conversa sobre os efeitos e o impacto da greve. Quando tem a distinta lata de dizer que os seus efeitos só se fizeram sentir no Metro de Lisboa e na Transtejo e que tudo o resto correu normalmente mostra uma hipocrisia revoltante. Se a greve foi mais sentida nessas duas empresas, isso deveu-se ao facto de terem sido as únicas em que os trabalhadores não acataram os serviços mínimos (por exemplo no Metro eram de 50%). Gostava de saber se quem teve de andar na CP ou em qualquer outro meio de transporte público poderá dizer que não sentiu diferença, que não demorou mais tempo ou que não foi afectado. Ele certamente não, afinal anda sempre de cu tremido numa bela carripana do estado com motorista e já nem se deve lembrar do que é andar de autocarro. Muitos milhares de trabalhadores fizeram greve e não fosse o clima de medo, de perseguição, de ameaça que se “cheira” neste país e o estabelecimento de uns serviços mínimos inaceitáveis, muitos mais a teriam feito.
Todo este trabalho tido pelo governo, primeiro em procurar evitar e depois desvalorizar a greve, mostra bem o socialismo deste governo e a consciência que têm do impacto negativo que as suas politicas liberais estão a ter na vida dos portugueses. Há que correr com eles e tem de ser para breve. A cada dia que passa estaremos mais indefesos nas mãos desta gente que não olha a meios para atingir os seus objectivos. A cada dia que passa este país está mais pobre e menos livre.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

27 comentários:

  1. E mais, não fora a bolsa do povo estar depauperada muitissimos mais fariam greve.
    O descontentamento popular é o maior de sempre, como maior de sempre é o desemprego, as fábricas falidas e encerradas, os trabalhadores despedidos... os canudos comprados...
    etc. etc.
    Por isso o povo revolta-se contra estes políticos que só dizem, e pior do que isso, só fazem borradas.
    Não fora o rídiculo das situações anedóticas criadas por esta gente: canudo do Zé, Kalinadas do Mário, cretinices do Pinho e nós morriamos de tédio.

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo a frase que remata o texto!

    ResponderEliminar
  3. Querido Kaos, a luta continua. Não podemos desanimar. Hoje, sinto uma espécie de "ressaca" ... Julgo que é normal, pois foi com muita adrenalina que vivi (julgo que muitos de nós) estes dias.
    Eles são mentirosos e nós já o sabíamos. Assim, resta-nos continuar, com honestidade e coragem. E aí, tu estás perfeitamente à vontade. Eles, não ...
    Bjos

    ResponderEliminar
  4. De facto estes ignorantes destes falsos socialistas não têm a mínima noção da ridicula figura que fazem ao vir para o horário nobre da TV desvalorizar sindicatos, greve e suas consequncias....

    Estamos perante a nata da corja politica nacional... é triste mas verdade

    ResponderEliminar
  5. e também concordo contigo, infelizmente é a triste realidade.
    Mas que algo abanou, lá isso... :)
    jinhos

    ResponderEliminar
  6. Mas qual gás pimenta?!
    Napalm mesmo...

    beijão

    ResponderEliminar
  7. e uma pouca-vergonha sem limites!
    a greve foi sentida em todo o rectangulo e em todos os sectores.
    claro que os paspalhos (com o circo que montaram denotaram grande necessidade minimizarem a greve) de serviço contam para as estatisticas com os mais de um milhao de trabalhadores
    que estao em situaçao precaria e nao podem fazer greve.
    e, inedito e com ar de ter sido uma atitude concertada, e o facto de durante a conferencia de imprensa da cgtp, o carvalho da silva ter sido constantemente impedido de falar com as continuas interrupçoes dos reporteres...
    abraço

    desculpem a falta de acentos...

    ResponderEliminar
  8. Ó Kaos!
    Por causa da adrenalina de ontem não te esqueças que hije é quinta-feira.

    Cumprimentos ao pessoal
    Jorge Sarmento

    ResponderEliminar
  9. Quando tiveres tempo,dá uma olhadinha no PEDECABRA.
    Rematei o dia de ontem com o PAPAGAIO DA GREVE.
    O "papagaio" é o mesmo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  10. SÁBIAS PALAVRAS! Há que correr com eles. Mas eu era capaz de apostar como depois das próximas eleições lá estarão eles outra vez, com algumas modificações quiçá mas com a mesma essência...
    Reflexos do país que somos.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  11. A desvalorização e sobrevalorização dos números da greve não é novidade. Mas o que ressalta neste governo é a enorme disparidade entre ambos. E entre uns e outros faço a média e subo mais uns quantos pontos para o lado dos sindicatos...

    PS: Kaos, roubei a imagem da greve, mas também era mesmo para roubar, né? ;)

    ResponderEliminar
  12. António1/6/07 00:35

    Quando a unanimidade impera, caímos no erro de apreciação de pensarmos que todos pensam como nós o que é grave. Depois de ler os comentários apetece-me dizer que se juntou a oposição mas agora falta saber a opinião dos outros. É que parece haver aqui um paradoxo probatório ao dizer que a greve foi um sucesso mas que se lamenta que as condições dos portugueses não a facilitam. Parece que estão a justificar o insucesso. C'um caraças, já disse que sou visceralmente a favor do conceito de greve mas que o mesmo não tem viabilidade em Portugal porque os sindicatos não sabem defender os seus clientes. Os trabalhadores receberam os seus salários ? Claro que não mas essa seria a obrigação do sindicato ao ser o instigador à greve ! Mantendo-se o figurino conceptual de greve, continuaremos a tê-las sem qualquer resultado prático para além de fins-de-semana prolongados ou meros intervalos à rotina diária. Sendo assim para que serviu esta greve ? Não me digam que se alterou alguma coisa !? Para mal dos grevistas que podem ter dado mais um tiro nos pés !!

    ResponderEliminar
  13. Al mutamid:
    A politica de amedontrar os trabalhadores e do trabalho precário impediu muta gente de fazer greve. Mas, ou lutamos pelos nossos direitos ou acabamos sem ter nenhuns. Esta gente não presta
    abraço

    ResponderEliminar
  14. a chamus cadela:
    Já alguém se lembrou disso no metro de Lisboa
    abraço

    ResponderEliminar
  15. Capitão merda
    Obrigado
    abraço

    ResponderEliminar
  16. Moriae:
    Também ainda estou um pouco tonto, mas não vou parar de lutar contra esta canalha. Juntos podemos contribuir para correr com eles
    bjs

    ResponderEliminar
  17. O profano:
    Não tens de agradecer, estamos juntos todos nisto.
    abraço

    ResponderEliminar
  18. manuel:
    O pior é que ainda há por ai muita gente que acredita neles. Temos de desmascarar as suas mentiras.
    abraço

    ResponderEliminar
  19. tb:
    E ainda vai abanar mais para no fim cair. tem de ser.
    bjs

    ResponderEliminar
  20. Laurentina:
    daqui a pouco ainda chegas ao nuclear :)
    bjs

    ResponderEliminar
  21. Luikki:
    Como se diz, a mentira tem pernas curtas e por mais que neguem eles sabem que a coisa está a ficar pior para eles. Hão-de cair
    abraço

    ResponderEliminar
  22. Sarmento:
    Não me esqueci, não tive foi possibilidades de fazer o post. Fica para amanha
    abraço

    ResponderEliminar
  23. aminhapele:
    Eu vi. Pelos vistos escolhemos o mesmo alvo
    abraço

    ResponderEliminar
  24. Corcunda:
    Até podes ter razão, mas que isso não nos detenha na nossa luta por mudar para melhor
    abraço

    ResponderEliminar
  25. António:
    Aqui, neste blog, todos têm o direito de comentar. Esteja-se de acordo ou contra todos podem falar. Este não é um blog de oposição, simplesmente aqui cada um diz aquilo que pensa.
    Quanto à greve concordo contigo em algumas coisas. Como os nossos sindicatos não podem pagar os dias de ordenado perdido sempre defndi greves só de uma ou duas horas diárias mas feitas na altura que mais impacto tivessem. Por exemplo, nos transportes entre as 7 e as 9, nos restaurantes à hora de almoço,... Assim não se perdia o salário de todo o dia e podia-se prolongar a greve por varios dias. Haja vontade de o fazer.
    abraço

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo