segunda-feira, maio 28, 2007

Pobreza Ilegal, um sonho para ter

Quase metade das famílias portuguesas - exactamente 47% - passou por uma situação de pobreza pelo menos durante um ano entre 1995 e 2000. Das famílias que estiveram em situação de pobreza, 72% acharam-se nessa condição durante dois ou mais anos. No mesmo universo, 40% tinham os seus membros empregados - ou por conta própria ou por conta de outrem - enquanto outros 30% dessas famílias eram de pensionistas.
Pierre Sane, subdirector-geral da UNESCO, afirmou que a pobreza deve ser abolida e declarada ilegal, tal como aconteceu com a escravatura, o apartheid ou a violência doméstica.

Com o meu pessimismo, não me posso deixar de perguntar se, com a forma como temos sido governados e miserabilizados desde então, e já são sete longos anos, que números existirão hoje. Não pelos números, mas pelo que isso implica de pobreza e miséria para cada pessoa representada por cada um deles. Num mundo perfeito, a ideia de Pierre Sane, já seria uma realidade e todos os Sócretinos, de todo o mundo, já estariam presos. Neste mundo, só podemos imaginá-los a representar esse papel, porque a realidade é bem outra, em que detêm o poder e a força, não só aceitando a pobreza, como também a criando. A proposta de Pierre Sane é sem duvida nenhuma extraordinária e fazer-nos-ia dar um enorme salto quantitativo na evolução de homens para seres humanos. Uma ideia em que acreditar e um sonho pelo qual vale a pena lutar.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

12 comentários:

  1. Kaos:
    Pobreza é que iremos ver nos próximos anos. Nasci no nordeste trasmontano (ZONA DE BRAGANÇA) e hoje, quando vou visitar os meus pais vejo com enorme dor e tristeza as urgências a fechar, as maternidades, as escolas, e pergunto: que vai ser desta região daqui a 20, 30 anos? Bom, teremos que pagar um dia para que a mesma seja reabitada. Ou então, os espanhóis far-lhe-ão o mesmo que a Olivença.
    Por essas e por outras é que faço diariamente minhas as palavras do poeta: A mim, niguém me cala.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Eu acho é que eles vão aproveitar para declarar também a pobreza ilegal. Como o Manel Pinho, o nosso Mnelinho, quando declarou o fim da crise. É ilegal, não há ... E os pobres que se cuidem, porque se arriscam a ser presos.

    ResponderEliminar
  3. juizsentado28/5/07 12:27

    Ainda que sejam pobres devem pagar mais e mais impostos. Há quem diga que é para corrigir o défice, eu acho que é para construir coisas importantes como a Ota. É pena que não chegue para desertificar a margem sul.
    Uma coisa é certa, estes imbecis vão matar a galinha e nem sequer conseguem ver que a fonte vai secar, a economia vai se desgraçar cada vez mais e os pobres serão ainda mais pobres.

    ResponderEliminar
  4. um dia destes ainda damos por nós a ver sol aos quadradinhos apenas por sermos pobres...
    a maior pobreza é sem dúvida a de espirito de quem governa o mundo. jinhos

    ResponderEliminar
  5. Jack:
    Esse é o espírito. Nunca nos calarmos perante a injustiça. Se muitos falarmos talvez o sim os assuste.
    abraço

    ResponderEliminar
  6. anonimo:
    Sim, porque ricos nunca aos vemos condenados.
    abraço

    ResponderEliminar
  7. Juizsentado:
    O capitalismo é como o fogo. Quanto mais brilha mais rapidamente se consome e apaga.
    abraço

    ResponderEliminar
  8. tb:
    Mas seria um mundo muito melhor se este sonho fosse realidade
    bjs

    ResponderEliminar
  9. como é óbvio, os números de hoje são ainda mais dramáticos...
    por isso, a luta contra a corja que produz a miséria, é um dever!
    abraço

    ResponderEliminar
  10. hahaha. esta foto é da peça D. Quixote da Companhia do Chapitô da qual sou fundador. E no original são os meus colegas zé e jorge. que agradável surpresa...

    ResponderEliminar
  11. Luikki:
    Bastava que cada um cumprisse a sua parte e eles saiam daqui de calças nas mãos.
    abraço

    ResponderEliminar
  12. Rui:
    Fundador do Chapitô. Os meus parabens e o meu obrigada por teres ajudado acriar um tal espaço. Quanto à foto, sabes que não há imagem que eu não destrua :)
    abraço

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo