domingo, setembro 30, 2007

Bandeiras de um Pacheco invertido

Pacheco Pereira, no seu blogue Abrupto, escreveu já cinco comentários a esta vitória de Menezes, e, em todos eles, a bandeira do PSD aparece invertida. "Em matéria do PSD este é o blogue do mau perder. Direi mais ainda, do péssimo perder. E continuará assim até a bandeira ficar direita, se é que alguma vez fica direita", assume Pacheco Pereira.
in "JE"

Agora é que o Pacheco Pereira me lixou. Será que agora sempre que lhe fizer um boneco vou ter de pôr a bandeira do PSD invertida? Aquela bandeira, como a maioria das bandeiras, nada me diz, mas andar a pôr bandeiras de pernas para o ar parece-me uma parvoíce. Esta ideia do “Cristo” invertido para dar a dimensão do mal é no mínimo um simbolismo simplório. Como não me apetece, pelo menos hoje, ir por aí, a solução é inverter o Pacheco. Mas aí surge um novo problema, não me parece bem dar a ideia que o Pacheco é invertido. A resposta surgiu-me na forma de um morcego, animal que vive pendurado de cabeça para baixo, gosta de se movimentar em zonas sombrias e é atraído pela luz brilhante. Assim fica a bandeira direita, o Pacheco e o morcego direitos e eu resolvi o meu problema. Isto, embora não me pareça que nada anda direito no PSD, mas isso já é um problema que não é meu.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

16 comentários:

  1. Duas palavras:
    BRI
    LHANTE
    Acrescentando que se nada andava direito no PSD, a partir do congresso palpita-me que tudo vai passar a andar torto.

    ResponderEliminar
  2. sarcástico30/9/07 13:44

    Dado que o teu blog é tão popular, será que alguém o vê na Nova Zelândia? Aí perderá o efeito esta questão da imagem de pernas para o ar! (digo o teu blog, pois o do Pacheco menos o vêem)...

    ResponderEliminar
  3. LAMENTAVELMENTE PARA MIM - SÓ HOJE DESCOBRI O SEU BLOG QUE VOU ÓBVIAMENTE RECOMENDAR.

    EXCELENTE
    INCONTORNÁVEL

    ResponderEliminar
  4. Excelente solução para um problema candente. Ou cão-dente. Ou com dente.
    Ou sem dentes.
    Arf! Arf!
    :-)

    ResponderEliminar
  5. Que eu saiba, ninguém é obrigado a militar num partido mas, se é "sócio", fica sujeito às regras estatutárias e, sobretudo "ÉTICAS".

    Não sou partidário de coisa alguma, mas suponho que é MUITO FEIO um destacado elemento de uma tendência política criticar os seus companheiros ; ou mal ou bem escolhido, o Pacheco Pereira tem que aceitar o que a maioria entendeu ser o melhor e, se não quer aceitar ... saia para outras "guerras" : ficando para criticar, descredibiliza a "bandeira" onde milita e adjectiva-o de hipócrita.

    Não pense o Pº.Pª. que é o dono da verdade ou o que pensa é o que está certo : esses são os princípios dos ditadores e não de quem lutou (?) contra eles.

    Inteligente como é, devia aperceber-se de que as respostas dos seus visados são ... mudas, o que faz deles "senhores de punhos de renda".

    Os apelos, as anotações e as frases bíblicas que faz em latim não bastam para ter razão : é necessário alguma humildade dissolvida no respeito pelos outros.

    Por vezes, ficar calado, é o "discurso" mais sábio !

    ResponderEliminar
  6. resposta ao excrente.
    era o que faltava! que uma criatura por ser militante nao possa manifestar a sua opiniâo. Então, pela sua lógica, tinhamos que estar todos caladinhos e nao criticar nenhum governo maioritário. isso é que era bom. pode ser EXCRENTE MAS NAO SABE RACIOCINAR. há tantos assim!!!!!!

    ResponderEliminar
  7. Uma coisa que me faz confusão é o facto de estes democratas valorizarem eleições quando existe 60% de abstenções ou, por hipótese, nenhuma abstenção. Ou seja, seguem a ideia de que o povo votou e não se atrevem a dizer, ganhando ou perdendo, que o povo não votou bem. Publicamente, não me lembro de nenhum acusar o povo de ter errado.

    Ora bem, goste-se ou não do resultado das eleições no PSD, o que se passou foi uma eleição como qualquer outra eleição nacional só que à escala de um partido. Estão estes senhores a chamar labregos aos seus militantes só porque não elegeram aquele que eles queriam? E nos outros partidos os comentários afinam pelo mesmo diapasão. É como se os espanhóis ou franceses criticassem os portugueses pelas suas escolhas. O que é que eles têm que ver com isso?

    Isto é apenas uma análise pela rama, porque penso que é possível extrair muito mais ilações sobre a situação. Quero ainda acrescentar que não sou PSD, por isso não votei em nenhum. Agora, enquanto cidadão posso construir um raciocínio sobre tudo isto, não tenho é o direito de criticar os militantes do PSD pela sua escolha. O mesmo deve acontecer com os militantes perdedores.

    Mas que valores democráticos são estes?

    ResponderEliminar
  8. Invertido não será
    desiludido talvez
    Pacheco reconhecerá
    muda-se de quando em vez

    Começou seu trajecto político
    num partido de estrema esquerda
    corrompido o seu sentido crítico
    é por estes caminhos que envereda

    ResponderEliminar
  9. O Pacheco Pereira "enviou" o Santana Lopes para disputar as eleições autárquicas na Figueira da Foz.

    O Santana deu "uma bofetada de luva branca" no Pacheco que, até hoje, ALÉM DE BLÁ-BLÁ, ninguém o viu fazer coisa alguma.

    É que o Santana ganhou a Câmara da Figueira, fez um óptimo trabalho e, posteriormente, ganhou Lisboa ; contudo, na opinião do Pacheco, o Santana não presta.

    Será que o Pacheco "ainda" não foi a Gaia vêr o que o Menezes já fez ?

    Será que o Pacheco "sabe" fazer algo de concrecto ou é só blá-blá ?

    Ou pensa o Pacheco e OUTROS TANTOS ANONIMOS COMO ELE, que um país se constrói só de conversa e de crítica ?

    Possivelmente o país está no "péssimo" porque se dá muita importância a quem critica, aos teóricos.

    O que acima digo não serve de resposta a comentários ; mas não posso deixar de acrescentar que não valorizo - absolutamente NADA - os críticos e comentaristas .

    ResponderEliminar
  10. Brilhante resoluçao do problema...

    ResponderEliminar
  11. Na primeira vez em que passei alguns dias na Alemanha, em casa de amigos, fiquei muito intrigado com a geometria interior das sanitas.
    Nas nossas sanitas, os dejectos vão quase directamente para o cano de esgoto, o único obstáculo é o
    sifão e quando se carrega no botão desaparece tudo.
    As sanitas alemãs são diferentes, têm um patamar horizontal, uma espécie de bacia, onde são
    armazenados os resíduos da combustão. E para quê? Pergunte-se a um Alemão e ele diz logo que é para analisar se o organismo está a carburar bem, nada como ver os resultados da intensa laboração.
    O Kaos neste dias deve estar cheio de trabalho, tanta coisa tem acontecido e está certamente por
    acontecer e, por isso, peço desculpa de estar a escrever este texto que não tem nada a ver com o
    post.
    Só me lembrei disto por causa da Engenharia Sanitária, ciência altamente científica e sociológica, para não dizer esotérica.

    Saudações

    Ugh

    ResponderEliminar
  12. Há quatro horas, + ou -, opinei sobre o que EU ENTENDO, serem muito lamentáveis as observações do Pacheco Pereira sobre a eleição do Menezes.

    Há pouco, estive a ouvir o ilustre Rebelo de Sousa comentando a vitória (quase derrota, no ponto de vista dele !)do Presidente da Câmara de Gaia.

    Não ligo a comentários e análises (pouco credíveis, no MEU ENTENDER) do professor mas, ou porque não ouvi bem o que disse, ou porque o analista em questão deu mais uma cambalhota e já não se lembra do passado - muito recente -, fico sem saber (não é que me interesse) em que equipa jogam os atrás identificados.

    Disse o professor que o Mendes foi penalizado na votação por "não ter abandonado" as políticas santanistas.

    Ora foi, precisamente, o contrário : quando o ex-primeiro Santana convidou o Mendes para a equipa governativa, este virou-lhe as costas, resguardando-se de um hipotético cataclismo, ressurgindo, qual fénix, para a frente do poletão.

    E, segundo o professor, o Menezes foi a vitória do "populismo" : se assim foi. é uma questão de direitos do povo (as tais ditas bases) ... já que os barões, além de muita conversa, pouco ou nada sabem quanto custa viver com dificuldades, essas, por vezes, impostas por eles (eles, os barões).

    Embora nada tenha com o PSD, sempre vou dizendo que está bem recheado de figuras muito singulares : fazem oposição às avessas (entenda-se, aos sócios do partido em que militam).

    Assim sendo, o Sócrates não precisa de contestar as opiniões da oposição (PSD) ; os "agentes infiltrados" tratam dos assuntos.

    A democracia, assim, é mais colorida !

    ResponderEliminar
  13. contribuinte30/9/07 23:50

    Por estes dias andam todos invertidos. É o caso da proposta de mudança de local do IPO de Lisboa. Até o Zé - aquele do Bloco que se diz da esquerda verdadeira - bebeu um chá de cueca e aceita a sua instalação no Parque da Belavista, amputando-lhe um cantinho… Fica por se perceber: (1) qual a vantagem para os doentes, (2) qual a vantagem para os contribuintes, (3) se o Zé Fanam quer converter (e depois se convertem mesmo!) os terrenos do IPO num jardim... Pois é: mais um a fazer pela vidinha.
    Mais uma excelente nota KAOS!

    ResponderEliminar
  14. Eu ao principio até gostava de ouvir o Pacheco Pereira mas cada vez está mais cretino.

    Lamentável. Nem é Comunista nem Social Democrata... já só é um intelectualóide decadente no seu pior, sem imaginação nem estilo.

    Nisso o Marcelo soube evoluir e manter um estilo que refinou.

    Na Quadratura do Circulo já só as poucas opiniões do Lobo têm algum interesse.

    Estes são os "barões" do PSD dos quais o LFM se queixava e por isso é natural que umas eleições directas, sabotadas ao máximo e em que milhares de filiados, especialmente os rurais e mais idosos, não puderam pagar as quotas e votar porque nem têm cartão multibanco -- única forma autorizada pelo "baronato" para se pagar quotas -- e mesmo assim perdidas, lhes tenham deixado um sabor amargo na boca.

    É mesmo muito mau perder.
    Com gente desta o partido (este ou outro) nem precisa de oposição externa.

    Vamos a vêr como isto corre porque nós precisamos mesmo de uma oposição ao socretismo (venha de que quadrante vier) e que permita acabar com este regabofe.

    ResponderEliminar
  15. Santana fez obra na Figueira, dizem. Pois e deixou uma dívida ainda maior do que a obra. isto não dizem.

    é tudo tão engraçado. só afirmam o que lhes da jeito, ou sabem, sei lá.
    analfabetos

    ResponderEliminar
  16. Convém que se saiba que, o anterior a Santana, deixou UMA ENORME DÍVIDA E NADA, MESMO NADA FEZ.

    Se Santana deixou dívidas, também deixou OBRA FEITA, o que o OUTRO NÃO DEIXOU.

    A única coisa que o OUTRO deixou, foi uma cidade PORCA, MUITO PORCA.

    O OUTRO não teve tempo para mais nada ... senão MAMAR.

    O anónimo das 14.42 se quer ir banhar os pés, hoje anda por uma passadeira decente e, quando regressa, pode adoçar os ditos pés ; no antigamente, o comentarista anterior, andava em "passadeiras de cimento" e ia lavar os pés a casa ; após o carnaval, no tempo do OUTRO, a cidade ficava IMUNDA, até que a chuva se encarregasse de a limpar ; quando o Santana das "dívidas" tomou conta da cidade, no mesmo dia dos corsos, a cidade é TODA limpa.

    ETC., ETC.

    Só me resta dizer que não sou adepto de qualquer partido. Contudo, gosto de apreciar e dou valor a quem, pelo menos, tirou do marasmo e limpou a minha bonita cidade.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo