quinta-feira, novembro 29, 2007

O viajante

Socrates Indian dancer

Não sei se foi porque o Sr. Silva que era um país que valia a pena visitar, ou se foi só por inveja, mas lá vai o Engenheiro para a Índia. Bruxelas, Xangai, Deli, Moscovo, Brasília, Nova Iorque, Londres, Santiago do Chile, …., e de vez em quando uma passagem por Lisboa para trocar de roupa suja, limpar as broncas que o seu governo tenha dado entretanto, ir a S. Bento dar uma “esfregadela” ao PSD e lá vai ele outra vez. Não que lhe sinta a falta, mas quem se lembra do Marocas e das suas tão faladas viagens. Este bate-o aos pontos e milhas não lhe devem faltar no Cartão de Crédito. Ao menos bem as podias distribuir por todos nós, afinal, quem lhe paga as viagens somos nós.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

6 comentários:

  1. Em tempos de globalização é preciso viajar muito pela aldeia global, assinar contratos, fazer negócios.
    Só os tansos é que julgam que a globalização é devida ao progresso tecnológico.

    ResponderEliminar
  2. O Guardião29/11/07 19:23

    Foi lá para o Oriente para aprender o Kama Sutra...eheheh
    Cumps

    ResponderEliminar
  3. Shiva, shivex!
    Que susto!
    E o pobre do Zé Povinho, a arder...

    ResponderEliminar
  4. Excelente ilustração! O Zé em cima do Zé...
    Aposto que o Sócretino vai dar uma corridinha ao quarteirão do Taj Mahal.

    1 Abraço!

    ResponderEliminar
  5. ..vai mas é para a Índia profunda fazer jogging. Adeus.

    ResponderEliminar
  6. Pois!
    Vem aí o Natal.
    Nunca se imaginou que houvewsse tantos vasconcellos com dois elles.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo