domingo, fevereiro 24, 2008

A Educação e o futuro

A admirável nova educação

A semana passada foi com algum horror que tomei conhecimento da intenção de alterar os horários dos alunos do 1º, 2º e 3º ciclos, de forma a que passem a entrar na escola às 8.30h da manhã para saírem às 19.30h. São 11 horas de escola por dia o que dá uma coisa como 55 horas semanais de aulas.
Quando coloquei aqui um post sobre o assunto, pareceu mais importante discutir-se se a posição expressa pelo sindicato, (não sei qual deles), era aquela que os professores defendiam, do que as funestas consequências da medida governamental.
Durante esta semana coloquei esta questão a diversos colegas e amigos meus e a resposta mais frequente também teve pouco a ver com os nossos filhos e muito mais com a resolução dos seus problemas pessoais. Quase todos concordavam com a medida. Assim não têm de encontrar (e pagar) um OTL para colocar as crianças, estão melhor na escola do que na rua ou sozinhos em casa. Verdades, é certo, mas talvez seja olhar para o problema pelo lado errado. Primeiro porque é uma falsa solução, pois com a nova legislação laboral que para aí vem, nada nos garante que o patrão não nos faça ficar a trabalhar até às horas que ele desejar, mas a principal razão tem de ser as crianças, os nossos filhos. Eles são o mais importante mas parece que são esquecidos neste assunto. Não sou psicólogo, médico, pedagogo, professor nem engenheiro de nada, mas consigo entender que fechar crianças num local durante 11 horas, com regras, disciplina, vigiados por seguranças e câmaras de televisão, sem espaço para fazer aquilo que é natural na sua idade, brincar, correr, serem crianças, não é bom para um desenvolvimento saudável. Que tipo de homens, estaremos a criar com este tipo de educação? Como podemos nós pais aceitar, por falta de tempo, retirar-nos da educação dos nossos filhos? Quando poderemos conversar com os nossos filhos, transmitir-lhes os nossos valores, os princípios de vida, a nossa cultura, a história da família e a sua vivência? Não é isso fundamental no desenvolvimento saudável de uma criança? Admiram-se depois que quando crescem não tenham quaisquer laços familiares fortes e acabem a despejar os seus “velhos” num qualquer asilo.
Está tudo errado e é grave que nós pais aceitemos isso pacificamente. A solução que nos oferecem para o problema é errada e perigosa. Temos de colocar as crianças como o eixo principal da solução e não a produtividade e a competitividade das empresas, como está a ser feito. Sei que o Clube de Bilderberg defende que seja o Estado a tratar da educação das crianças e a sua separação da instituição familira, mas isso não torna obrigatório que lhes façamos a vontade. Quem tem filhos em idade escolar deveria poder estar à porta da escola à hora da sua saída. A lei deveria dar-lhes esse direito e nós devíamos exigi-lo, afinal é dos nossos filhos e do seu futuro que estamos a falar.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

12 comentários:

  1. Estas alimárias estão a destruir a Educação: pretendem gente acéfala para ser mais facilmente dominada e explorada. Uma das provas deste desiderato são os novos horários escolares para crianças de tão tenra idade - os futuros escravos assalariados - e outra, a destruição da qualidade do ensino público através da pressão aos professores para enveredarem, ainda mais, pela via do facilitismo e da descida do nível de exigência, única forma de se conseguir um sucesso escolar fictício para figurar nas estatísticas como convém para manter (ou subir) o valor do IDH.
    Continuemos na nossa mansidão bovina...

    ResponderEliminar
  2. Sem comentários. Tudo verdade. As escolas portuguesas parecem campos de prisioneiros, mesmo vistas por fora.
    JSerra

    ResponderEliminar
  3. Pois.
    E já agora um emprego ao pé da porta, que, por sua vez tem de ser ao pé da escola.
    Sim, não se vê como, de outro modo, conseguiria ir pôr, como no regime actual, uma criança à escola para começar as aulas às 8.20h e estar à porta quando sai quase todos os dias às 13.15h...

    ResponderEliminar
  4. Repito o que já aqui disse antes: aos olhos de muitos pais, as escolas são meros armazéns de crianças.
    Muitos pais lamentarão até que aos filhos, esses empecilhos, a escola não lhes dê TV, jantar, +TV, jogos e dormida. Uma espécie de internato que desobrigasse os pais de aturar diariamente os «pestinhas»! Que “seca” ter que acordá-los todos os dias, passar-lhes dois dedos de água pela cara, vesti-los, enfiar-lhes o pequeno-almoço pelas goelas abaixo e levá-los à escola. E aos fins-de-semana, quando esses pais querem dormir mais um pouco e os tais «pestinhas», os sacanas, acordam cedo e mais ninguém dorme com o barulho que fazem.
    Conversar e EDUCAR os filhos?! Transmitir-lhes valores, os princípios de vida, a nossa cultura, a história de família e a sua vivência?! Que ingenuidade, amigo Kaos! És, decerto dos últimos a preocuparem-se com esses “detalhes”. A GRANDE MAIORIA dos pais delega na escola, além da instrução, a EDUCAÇÃO dos seus filhos. Como se isso fosse possível. Cada professor tem a seu cargo dezenas de alunos desinteressados, sem EDUCAÇÃO, mal comportados, provocadores, que sistematicamente prejudicam os dois ou três que, com sorte, querem aprender. E o que é que o professor pode fazer perante uma realidade como esta? À luz das novas regras, fazer de parvo, ENGOLIR SAPOS, e dar positiva a todos para não ser penalizado na avaliação necessária ao prosseguimento na careira. Se é assim que querem que façamos, fazemo-lo embora certos de estarmos a praticar injustiças que «bradam aos céus». Mas, que alternativas têm os professores conscienciosos?
    Há poucos dias ouvi como um enfermeiro hospitalar, sem grandes canseiras, consegue os elogios dos chefes e a classificação máxima no seu desempenho. Trabalha numa enfermaria dum hospital e, quando está de serviço, tem que tratar de muitos doentes. Aos doentes que é necessário fazer novos pensos, limita-se a substituir o adesivo para ficarem com bom aspecto; aos que é necessário trocar uma sonda, por exemplo, com jeito, altera a data para ser um colega a fazê-lo, etc. Mas tem todo o cuidado na redacção dos relatórios que elabora porque, afirma ele sem remorsos: o que conta não é o que eu faço mas o que eu escrevo que faço.
    É isto que este governo quer? Relatórios muitos bonitos, embora falsos? Pois vai tê-los para estatisticamente provar que somos os MAIORES!!! (na burla e no faz de conta).
    JFrade

    ResponderEliminar
  5. os pais querem até que as escolas estejam abertas aos fins de semana para poderem ter tempo para si. não acreditam?

    ResponderEliminar
  6. Pois deixe-me dizer-lhe, meu caro KAOS, que para ter trabalhadores habituados a 60 horas de trabalho semanal - que é o que vem aí- tem que começar de pequenino. Tudo faz sentido e tudo tem um propósito. Já agora junte-lhe a vigilância por camara video desde o infantário, as fatiotas à floribela e os moranguitos, e diga lá que o ramalhete não está bem composto?
    Lena

    ResponderEliminar
  7. E quando é que se corre com esta gente que tem a mania serem democratas?Democracia alicerçada na grande propriedade em que as orientações são tomadas para sacar mais dinheiro(mais exploração,ilicitos,tráficos,falcatruas-tudo o que temos estado a observar-vide BCP,etc) e em que os únicos 'eleitores' são os 'donos',não faz nenhum sentido falar de democracia

    ResponderEliminar
  8. Olá Kaos

    Eu não tenho filhos mas consigo entender a situação pois tambem estudei.
    É inqualificável.
    Se calhar querem habituar as criancinhas desde cedo à isensão horários...

    Beijokas

    ResponderEliminar
  9. Concordo já com a frase do anónimo do cimo: "Estas alimárias estão a destruir a Educação:"

    Pretendem mesmo arrasá-la, arrasando os professores e tirando aos país a hipótese de inverter o processo de deseducação...

    Mas... anda tudo tão calado! Porra! Só nós é que vemos que o futuro pode estar a ser irremediávelmente comprometido??

    Abraço!

    ResponderEliminar
  10. Estive a ler mais e também concordo com o que diz: "Repito o que já aqui disse antes: aos olhos de muitos pais, as escolas são meros armazéns de crianças.
    Muitos pais lamentarão até que aos filhos, esses empecilhos, a escola não lhes dê TV, jantar, +TV, jogos e dormida. Uma espécie de internato que desobrigasse os pais de aturar diariamente os «pestinhas»! "

    Alguns pais são tão alimárias como a alimária da deseducação... Infelizmente... Uma vez ouvi uma mãe queixar-se de ter de levar com o filho nas férias de ´Verão. Era um aborrecimento! O miudo ia estragar-lhe as férias... Uma chatice... Devia haver um sítio onde o deixar...

    Parecia que estava a falar de um cão! E mesmo falando de um cão acharia sempre a senhora uma imbecil de merda!



    Mas felizmente os pais não são todos assim! Os que têm descernimento deviam unir-se e tomar uma posição contra estas leis e orientações!

    ResponderEliminar
  11. Mas felizmente os pais não são todos assim! Os que têm descernimento deviam unir-se e tomar uma posição contra estas leis e orientações!

    Pode contar comigo.

    ResponderEliminar
  12. Isso é completamente falso...

    Alunos nas escolas até às 19:30?~

    ouvi dizer...

    mas nunca verá tal coisa na práctica

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo