sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Grande Europa

Milhões para galifões

«O Parlamento Europeu está a ser abalado por um escândalo que envolve pagamentos fictícios, fugas à segurança social e transferências ilegais para partidos políticos.
Segundo uma auditoria de 2006, foram gastos 140 milhões de euros em operações indevidas, um documento que alguns eurodeputados não querem ver publicado. »
in Tsf
«O porta-voz dos eurodeputados socialistas portugueses, Paulo Casaca, já lamentou a denúncia feito pelo eurodeputado britânico: "Aquilo que fez o meu colega britânico, que veio para imprensa dizer que há colegas seus que deveriam ir para a prisão, armando-se em investigador, procurador e juiz" é "lamentável", ainda mais porque faz acusações sem dar oportunidade aos acusados de se defenderem, fazendo uma "justiça popular instantânea"».
in Tsf

Pois é, e isto parece que origem numa auditoria que investigou as contas de 160 eurodeputados tirados à sorte. Se pensarmos que são mais de 700 e se mantiver a média a coisa vai muito para cima dos 500 milhões. Curioso que este parlamento necessite de dois meses para estudar a auditoria para só depois decidir se deve ou não ser aberto um inquérito. Até lá nós, aqueles que eles dizem representar, não devemos saber de que aldrabices são aquelas gentes acusadas. Já a minha avó me dizia que quem não deve não teme, pelo que esta vontade de secretismo não deixa de ser estranha, ou talvez não. Lá como cá, parece que o monstro burocrático está instalado para atirar para labirintos infinitos aquilo que se quer silenciado. Será que fomos nós que lhes transmitimos o vírus da impunidade ou é doença que sempre reinou na bela Europa?
Há muito que não me revejo nas políticas e nas posições deste governo e mesmo deste Estado que é Portugal, mas nasci cá, é a minha terra, onde está a minha língua, a minha história e a minha gente pelo que não posso desistir dela, mas à Europa não devo nada porque nunca lhe pedi nada. Não tenho de aturar a sua autoridade, as suas directrizes nem o seu capitalismo. Se esta é a Europa que têm para partilhar então não a quero. Basta ver que uma União em que nomeia o Durão Barroso como Marioneta de Presidente da Comissão Europeia, diz tudo.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

6 comentários:

  1. É só vigaristas, aldrabões, gajos à procura de tacho para eles e para filhos, filhas, noras, amantes e quejandas, é um fartote, é tudo a sacar.

    Até logo

    ResponderEliminar
  2. Nao entendo o espanto! Haverá algum país, nalgum continente, onde coisas destas não se passem? Acham que nós somos originais?
    E tanto faz o regime. O mundo está assim! Fazer o quê?
    Continuar a refilar e a opinar nos blogues. Pelo menos desabafamos, mas mais nada

    ResponderEliminar
  3. Correcção a parte do texto do Kaos. Nao pediu nada à Europa, mas recebeu, como todos nós, benefícios decorrentes da aplicaçao pública de ALGUM do dinheiro europeu. Nem que sejam as auto-estradas, mas há mais.
    Quanto a não se rever neste governo nem neste país etc, eu tb não. mas tb não conheço outro em que me reveja e já pensei muito no assunto. Talvez uns 2 lá para o norte da Europa, mas não estou segura

    ResponderEliminar
  4. Qual será a cenoura à frente do nariz do burro, para a esmagadora maioria dos que fazem piruetas, caretas e macacadas para alaparem o rabo nas cadeirinhas do poder?
    O trabalho, a preocupação e o desgaste ligados à responsabilidade de um bom desempenho do papel não deve ser!? Não vejo que esta gente seja masoquista, muito antes pelo contrário...

    ResponderEliminar
  5. Que justificação haverá para cabelos brancos antecipados? Poder, dinheiro, satisfação pessoal ... vício do poder, trabalho e satisfação pessoal?
    Estes viciados, inteligentes sem dúvida, podiam gastar energias para produzir algo que se coma, arroz, batatas, trigo...
    JSerra

    ResponderEliminar
  6. marinela1/3/08 10:08

    o fdap, pra esse já dei, ca lá sa f. cum carago!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo