sábado, março 22, 2008

Simbiose

A Vicentina

Gosto da blogosfera pelo espaço de liberdade que representa mas também pelas simbiose que propicia. Um caso desses, e que muito me honra, acontece com o meu amigo “Arrebenta”, mentor do Blog “As Vicentinas de Bragança” e que escreve dos melhores textos da blogosfera e consequentemente do melhor que se fazem em Portugal. Muitas vezes já me inspirei em textos deles para muitos dos bonecos que aqui faço e sei que também alguns deles lhe deram o mote ou o ajudaram a gerar alguns dos seus brilhante textos. Contrariamente ao parasitismo, muito em voga na nossa sociedade, a simbiose é algo que permite a dois seres evoluírem em conjunto, ambos se aproveitando das capacidades do outro numa partilha de iguais. Talvez, quando todos entendermos que é na partilha, na troca livre de calculismos desnecessários, na simbiose das ideais que está muita da razão para sermos seres sociais, este país e esta gente possa finalmente avançar para um estádio civilizacional em que, o egoísmo, o ganhar a todo o custo e o poder pelo poder deixem de fazer sentido. Até lá aproveitemos os pequenos espaços e oportunidades que nos surgem, para deles usufruir, afinal tão poucos e raros neste mundo onde vivemos.
Aqui fica o link para mais uma prosa brilhante.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

5 comentários:

  1. Boa Páscoa!!!

    abr...prof...

    ResponderEliminar
  2. sanjoseph22/3/08 18:59

    Eu vi um sapo no colo da sinistra, que não pode ser dela, autêntico, ou seria mau e torto.

    ResponderEliminar
  3. DESEJO-LHE UMA BOA PÁSCOA E SEMPRE COM O ESPÍRITO CRIATIVO/CRÍTICO BEM AFINADO !

    ZENDO_55

    ResponderEliminar
  4. Pois, com uma imagem daquelas, lá vou ter de desancar mais nos coitadinhos... e eu que acho o Valter tão caniche, coitadinho, vou fazer como nos filmes do Charlot, dar-lhe um chuto, e depois continuar a rodar a bengalinha no ar, e a manquejar, como se não tivesse sido eu... :-)

    ResponderEliminar
  5. MLR pergunta se o Código da Estrada impede os acidentes! Não, não impede, mas a pena máxima a aplicar aos infractores poderia ser não conduzir mais naquela estrada e passar a fazê-lo numa outra?! Boa pedagogia!

    ResponderEliminar