sábado, abril 26, 2008

O Tubarão do Atlântico

O Tubarão

O presidente do PSD/Madeira, Alberto João Jardim, admite esta quinta-feira que não «enterrou» o projecto de candidatura à liderança social-democrata, mas está ainda a observar como se posicionam as «tropas». O líder madeirense, que antes tinha afirmado ser um «general sem tropas», acrescenta que elas «afinal até apareceram - até parece que estou a exigir mais - mas mesmo tendo tropas, o general tem de fazer o reconhecimento do terreno e depois colocar o dispositivo». «O PSD no continente é um partido balcanizado, está fragmentado em várias facções», com pessoas cada vez mais empenhadas nos seus «ajustes de contas pessoais». Jardim prevê «pancada» e afirma estar «convencido que se vão suicidar todos». «Conheço aquelas criaturas, vão entrar à pancada uns com os outros, eu estou aqui a observar o terreno».

Ainda há esperança. O Tubarão, saido das profundezas do Atlântico pode atacar a qualquer momento quem se lembre de andar por aí. O Jardim ainda pode vir a ser candidato à liderança do PSD. Realmente só lá falta o Bicho da Madeira para o espectáculo estar garantido. Não sou grande amante de circo, mas esta palhaçada quero assistir na primeira fila.

Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

9 comentários:

  1. As democracias burguesas têm destes cromos para o pessoal se divertir, numa democracia popular, feita pelo povo, para o povo e com o povo, nada destas tristes cenas aconteciam. Se tivesse-mos um presidente da república com eles no sítio, há que tempos este traste já estava na prateleira.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. A verdade é que seria um grande líder para o PSD e sem dúvida que iria fazer frente ao Sócrates...

    Mas como madeirense, espero que não se candidate, pois quero que fique na Madeira a fazer o bom trabalho que tem estado a fazer!

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente, este tipo de cromos encontra sempre eco numa sociedade ignorante e passiva, mais ainda quando a própria classe política é cobarde o suficiente para não o colocar no devido lugar.

    Nunca a nossa lança africana esteve tão patente quanto hoje, 34 anos após o 25 de Abril.

    ResponderEliminar
  4. A AR ficava muito mais animada!
    JSerra

    ResponderEliminar
  5. Que ninguém tenha dúvidas das capacidades governativas do homem em causa. É um animal político que ataca na altura certa, tal como o tubarão...
    O desenvolvimento da Madeira muito lhe deve e a política só se torna num jogo digno de ser visto quando os líderes em disputa são reais lutadores, refiro-me a Alberto João Jardim e José Sócrates.
    Até uma próxima oportunidade!
    Um abraço...

    ResponderEliminar
  6. Se eles são assimpara comos seus 'companheiros'imaginem o que são para o povo...Quanto à obra da Madeira,é feita `
    a custa do dinheiro do Contenente e para encher os bolsos dos amigos jaime Ramos,Sousas e restante Máfia.Não há camara nenhuma na Madeira em que o presendente não tenha tido 'atritos' com os tribunás(aliás,os juízes não estão acima das suspeitas....Eu conheço bem a Madeira e,faz-me tristeza que estes gajos estejam a cimentá-la de lés a lés e a encher de mamarrachos só pra encher o cú às amezades.Do Porto Santo já nem falo...
    Tive um amigo da Judite na ilha e dizia-me q a corrupção era mais q as mães.Claro q os pisdês deveriam pôr este palhaço pra presedente uma vez que ele é o ideal de sociedade pra esta gente pouco recomendável.Gostaria de falar de caminhos na Madeira feitos de encomenda para as clientelas e o joguinho q se faz por detrás,mas isto são peanuts comparados com as big negociatas em q o Estado fica com os prejuízos e os privados com os lucros...Last but not the least,fez agora um ano que vi um motocross na Zona Protegida da Madeira devidamente guardada pela GNR a controlar o trânsito(entre o Poiso e o Santo da Serra)

    ResponderEliminar
  7. Esse Baby Boy é facho não é ??? e idiota também não ???

    ResponderEliminar
  8. Meu caro anónimo
    Apraz-me dizer-lhe o seguinte: A crítica é o processo pelo qual e através do qual tudo fica tal e qual.
    Segundo, se acha que irá construir um país ideal, próspero, produtivo sem quesílias pela "fome" de poder e onde cada um terá o que merece e trabalhou para tal. Diga-me onde fica, que eu gostaria de mudar-me para lá e já...
    Um muito obrigado

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo