quinta-feira, dezembro 25, 2008

Bom Natal para todos

Natal

Infelizmente as prendas que nos oferecem neste Natal para o ano de 2009 não são muito animadores. Vem aí um ano cheio de aldrabices, de mentiras e enganos. Vêm aí mais ataques às nossas liberdades e aos nossos direitos. Vão-nos convencer a aceitar e da necessidade de sermos cada vez mais pobres enquanto olhamos para outros sempre e cada vez mais ricos. Um ano que começa mal e que muito possivelmente vai estar muito pior quando acabar.
Eu, pessoalmente também pouco tenho para oferecer a quem me visita aqui no meu Jardim a não ser os bonecos que vou fazendo, mas no próximo post que aqui publicarei vou colocar um filme que está na net e que todos devem ver do principio ao fim. Talvez faça alguns repensarem a forma como encaram o mundo, como ouvem as notícias, como descodificam a realidade. Essa será a minha prenda para todos e que espero seja reveladora para muitos.
Bom Natal a todos e que venha 2009. Cá estaremos para o receber.
#Kaos

15 comentários:

  1. Apesar de tudo ...UM BOM NATAL PARA TI !!!!!

    ResponderEliminar
  2. Caro Kaos,

    Recentemente chegado ao seu blog, pude facilmente constatar que, mais do que um espaço de debate, é um local de consensos, em que o consenso assumido é dizer mal, em primeiro lugar do governo e, a talho de foice, de todos os politicos, uma cambada de aldrabões, todos eles, no vosso entender. Ora acontece que se essa atitude é a mais simples, poderá nao ser sempre a mais justa ou sequer a mais util. É que as vezes vale a pena parar para pensar se as afirmaçoes que se fazem, ainda que graficamente atraentes, correspondem à realidade. Peguemos, pois, nalgumas das prendas que, segundo o Kaos, o Sócrates nos trás:
    - "uma escola publica chumbada": desculpe mas nao vejo porquê. Porque milhares de professpres saem à rua a reboque de sindicatos que nada propoem de construtivo? Parece-me fraco...
    - "uma crise económica em forma de Adamastor": talvez... mas será ela uma prenda do Socrates ou uma inevitabilidade da conjuntura internacional? Poder-se-à dizer com legitimidade que a culpa é do governo ou sequer que este tem agido erradamente no sentido de a minorar? Nao me parece.
    - "mais impostos e mais altos": esta é daquelas faceis de atirar para o ar. Soa sempre bem quando se quer dizer mal dum governo. Ninguem gosta dos impostos portanto dizer que estes vao aumentar é receita segura para colher alguns aplausos. O unico problema é que, que eu saiba, o governo nao anunciou qualquer aumento de impostos, nem em numero nem em valor. É so um pormenor...
    - "salarios mais baixos": esta é outra que soa sempre bem aos ouvidos de quem busca razoes para se indignar. So que nao é verdade. Em que medida é que os salarios vao baixar? Isso esta previsto no orcamento de estado? Que eu saiba o governo ate anunciou o aumento do salario minimo acima da inflaccao, em concordancia com um acordo previamente estabelecido com os sindicatos.

    Enfim, tudo isto para dizer que brincar com o Photoshop é muito engraçado e que arremessar chavões é muito eficaz, mas por vezes convem ponderar a justeza e a veracidade das afirmacoes que se fazem. Nao para dizer que o governo so faz coisas boas, mas para credibilizar as criticas às coisas que realmente faz mal. É como a historia do Pedro e do lobo: se se critica tudo, o que esta mal e o que se calhar ate nao esta assim tao mal, a critica justa e objectiva perde relevancia. Eu bem sei que a mentira, quando bem aplicada, é muito eficaz. As pessoas leêm as "gordas" e retêm o que elas dizem sem questionar, assumindo-as como "verdades". Mas isso é desonesto e, sobretudo, presta um mau serviço à critica construtiva de que este pais tanto precisa.

    Cumprimentos

    P.S.- So para que conste, nao votei no actual governo e nao acho que este seja perfeito. Apenas acho que a coragem de algumas das suas politicas merece mais do que o bota-abaixo sistematico e desprovido duma analise objectiva e justa.

    ResponderEliminar
  3. Para o migprud

    O Kaos não necessita seguramente de defensor, mas eu como muitos que vem a este blog revê-se em muitas coisas que ele faz, e faz muito bem.

    O que acontece é que existe a necessidade de este País ter pessoas informadas conhecedoras e despegadas, para que os aldrabões os vigaristas os corruptos e os incompetentes dos politicos não continuem a assaltar os portugueses.

    Os politicos portugueses na sua grande maioria, são conhecedores dos atropelos das vigarices e das aldrabices que se fazem pelo cunho de alguns elementos do seu partido, e nem por isso tem a coragem de vir dizer o que se passa, e é por isso que este e outros espaços de pensamento livre devem existir.

    Os relatórios da OCDE relativamente a alguns dos items que o Kaos escreve vem dar-lhe a razão e não é o senhor nem ninguem que os poderá contrariar porque são factos e estão provados.

    A perda de poder de compra desde à 8 anos o desemprego a precaridade a chantagem sobre os trabalhadores a falta de competência dos politicos para encontrar ideias que possam ajudar ao desenvolvimento do País não surgem.
    Surgem sim, noticias de gestores corruptos como o do BPN do BPP do BCP e outros que se encontram na penumbra mas que são tanto ou mais que estes, poderiamos estar a falar horas dos problemas que existem e talvez o senhor não percebesse. Porque as pessoas tem ideias mas eu gostaria que me dissesse onde se podem apresentar sem amarras nem mentiras ouvidas de peito aberto?? Serão nos partidos politicos, agremiações de interesses e de capelas de amigos??? É por isso que ele escreve e que continue por muitos e bons anos.

    Talvez seja a indignação a revolta mas é com pessoas com espirito critico que podemos melhorar o Mundo e não com os comodistas e lambe-botas que vamos mudar o Mundo.

    Se quiser falar em termos de Economia também se pode fazer, veja-se a forma como aplicámos os muitos milhões que vieram da União Europeia. E já agora que apesar de todo esse dinheiro, o comum dos portugueses pergunta-se onde está esse dinheiro??? Se continuamos na cauda da Europa enquanto outros aproveitaram para evoluir.



    Se para si tudo bem, para mim está muita coisa mal e enquanto houver fome e amargura neste País e no Mundo é necessário que se questionem tudo e todos.

    ResponderEliminar
  4. migrud:
    Tens razão quando dizes que neste blog se critica tudo e todos. Infelizmente vivemos numa sociedade cheia de mentiras e de falsidades. Mas vamos olhar para os factos onde dizes serem injustas as minhas criticas:
    -Escola Publica: Tenho dois filhos em idade escolar e vejo a degradação a que está a ser votada a escola. Os professores são vitimas de uma ataque onde a principal razão é economicista e não pedagógica. A escola está a ser transformada numa prisão onde os nossos filhos vão ser enfiados durante 11 horas diárias, habituados a serem constantemente vigiados por câmaras e ensinados à obediência cega. Daqui só sairão para as novas oportunidades e para o trabalho precário e mal pago. Para as faculdades seguem os alunos dos colégios privados.
    - A crise económica. Quem lhe chamou cabo das tormentas foi o próprio Sócrates e é claro que tem culpa. Esta como outras crises são fabricadas para alguns ficarem ainda mais ricos do que já são. Claro que Portugal só por si não pode impedir que aconteçam, mas quem defende o sistema e se alimenta dele não pode depois queixar-se das suas consequências.
    -Impostos mais altos é um facto. O Sócrates foi eleito com a promessa de ir baixar impostos e a sua primeira medida foi aumentá-los. Assim tem continuado e para o ano vamnos pagar mais impostos na gasolina, no tabaco, nos automatizeis e de muitas outras formas escondidas. Basta a actualização dos esclões do IRS para o mostrar.
    -Salários mais baixos. Outro facto. A mentira de os salários irem crescer mais que a inflação faz oseu caminho, mas foi o Teixeira dos Santos quem indexou os aumentos ao valor da inflação do ano anterior e não à previsão do novo ano. Esta crise é que fez diminuir alguns preços e baixar a inflação, mas nos produtos essenciais (energia, pão) os preços vão aumentar quatro e cinco por cento. Olhe-se para o nível de vida que tínhamos antes e depois desta legislatura e veja-se a realidade.
    Seja como peço ao meu amigo que veja um filme (que publico o Link no post que publiquei posteriormente) sobre a mentira em que vivemos e sobre a forma como os Senhores do mundo nos tratam. O Socrates e todos os outros que agem em seu nome são tão culpados como os seus donos.
    Posso parecer o Pedro que grita lobo, mas a verdade é que eles andam por aí em todo o lado e estão a matar o nosso futuro. Se me calasse é que estava aprestar um mau serviço aos meus filhos pois este é o país e o mundo que lhes vou deixar.
    Continuação de boas festas

    ResponderEliminar
  5. E eu que pensava que já ninguém acreditava no Pai Natal! Eis, senão, que surge alguém que dá pelo nome de migprud(?). E, se não acredita no Pai Natal, é voz interessada na coisa. Neste momento a coisa é tão reles que só pode haver duas posições - ou se é ingénuo ou se é interessado. Não há terceira via, salvo seja.

    ResponderEliminar
  6. Bem, creio que o nosso amigo migprud tem alguma razão quando diz que há coisas que se dizem que não correspondem à verdade e que são apenas bonitas para se dizerem.

    Não questiono números, nem as verdades ou mentiras que aqui são ditas. Penso que o Kaos já se defendeu dizendo aquilo que pensa, e penso que o migprud não mudará a sua opinião por tal ter acontecido.

    Também penso que muita coisa vai mal neste país, muitas coisas por culpa do governo, outras nem por isso e outras apenas porque estamos em Portugal, o que, só por si, conta muito. Não quero puxar assuntos sem importância para aqui, mas basta ver o que os portugueses pensam sobre a atribuição do prémio da FIFA para melhor jogador do Mundo. Os argentinos cerram fileiras em redor de Messi, os brasileiros cerram fileiras em redor de Kaká, os portugueses cerram fileiras em torno de Messi e Kaká... Faz lembrar algo. Mas isso são histórias dos contos de fada.

    Certa vez, um dos posts do Kaos continha (há uns 15 dias) uma expressão que fica sempre bem: os combustíveis estão mais caros que quando o barril do petróleo estava a este nível e mais não sei o quê. Alertei-o para a mentira que acabava de dizer, pois era, de facto, mentira, e, se bem se queiram lembrar, não tínhamos combustíveis abaixo do euro Há já quase 3 anos. São coisinhas como estas, que ajudam a construir slogans de protesto, que deitam por terra todo o esforço de dizer verdade.

    Mas também não acredito nos políticos, é um facto. Penso serem todos, sem excepção, mais ou menos corruptos. Uns mais, outros menos.

    No meio estará a virtude. No entanto, penso que o trabalho do Kaos tem tido o enorme mérito de nos pôr a pensar sobre os assuntos, e ele tem estado atento a tudo o que se passa, apesar da insistência quase sado-masoquista na temática dos professores, onde pouco se passa de novo desde o início do affair...

    Trabalho para continuar, caro Kaos. Tem o meu apoio. Quanto ao amigo migprud, tem observações pertinentes, com um ponto de vista divergente da maioria dos comentadores. Por mim, é bem-vindo, pois acrescenta pluralidade ao espaço. Não ligue muito aos insultos, discutamos os assuntos em tabus. A terceira via pode ser a do debate livre das ideias, não precisamos de acreditar no Pai Natal para sermos diferentes uns dos outros. Ou somos todos admiradores do Ratzinger?

    ResponderEliminar
  7. Manuel Costa25/12/08 18:39

    Na qualidade de professor gostaria de explicar porque é que o ensino piorou nos últimos anos :


    a)Falta de investimento nos recursos/equipamentos materiais

    Visitem as escolas dos vossos filhos, apreciem os edifícios… se este não está velho e degradado, menos mal, está a contemplar uma excepção, entrem agora numa sala o que é que encontram lá dentro ? basicamente o mesmo que existia à uns séculos atrás : quadro e giz. As salas de aula portuguesas não têm recursos de ensino do seu tempo nem qualquer conforto físico ou térmico, frias no inverno quentes no verão … experimente agora uma visita aos gabinetes do pessoal da 5 de Outubro no Ministério da Educação e ou das direcções regionais de educação e descubra as diferenças, veja lá se eles se sentam em cadeiras de pau como obrigam os nossos filhos a fazer durante horas a fio nas escolas ! E pergunte-se : “porque carga de água essa gente que não dá uma única aula tem tudo o que deveria existir numa sala de aula ?”. A saber: computadores, projectores multimédia, climatização, edifícios bem conservados, mobiliário confortável , etc , etc

    Dir-me-ão vocês mas este problema não é de agora. Pois não, só que à medida que tempo passa agrava-se e esbarra nas hipocrisias e propagandas do “choque tecnológico” , que prefere piscar o olho às famílias com os milagrosos “Magalhães” cujo o efeito para a prática pedagógica é praticamente nula porque nada foi preparado para o receber. Acabamos por ficar com a ideia de que o dinheiro até existe só que muitíssimo mal gasto !


    b)Falta de autoridade docente


    Desde à alguns anos que o professor tem perdido autoridade na sala de aula, por via de estatutos mal elaborados, alheados das realidades educativas.


    c) Desinvestimento nos recursos humanos. Falta de formação contínua dos docentes.

    Ao mesmo tempo que o governo acena com estatutos e metodologias de avaliação castradoras, absurdas e por vezes humilhantes, a aproveita para congelar a progressão em carreira dos quadros das escolas. Refira-se que o novo estatuto da carreira docente e o novo modelo de avaliação é antes de mais um ninho de conflitos entre profissionais que devem antes de mais colaborar ! A lógica da competição pode ser boa para vendedores de aspiradores, mas é desastrosa em meios colegiais.

    A formação que os professores fazem nas universidades é boa, mas a formações continuas que recebem ao longo da vida profissional é péssima. É uma formação escassa, de faz de conta, e sem qualquer utilidade. Quando este governo resolveu alterar o estatuto da carreira docente e o modelo de avaliação docente, todos pensamos que a oferta formativa iria melhorar, lamentavelmente sucedeu o contrário. É que a boa formação custa dinheiro. Será que alguém acredita que a qualidade de ensino melhora apenas alterando a forma de se avaliar os docente e não gastando nem mais um cêntimo na sua formação … acordem !!!



    d) Diminuição do rigor , exigência e qualidade do ensino


    Actualmente os professores são pressionados a facilitar a passagem dos seus alunos. Isto pode parecer coisa menor, com consequências apenas ao nível da avaliação, mas na verdade não é assim. Quando se exige ao professor que relaxe a avaliação, passando tudo e todos, o que acontece de seguida é que a própria qualidade do ensino é relaxada também. A avaliação dos alunos é um importante indicador da eficácia do ensino ministrado, se as avaliações são artificialmente boas, então não é preciso melhorar as práticas pedagógicas. Aqui faço mea culpa pois os docentes acomodam-se a esta lógica perversa mais depressa do que se possa imaginar.

    Imaginem agora as consequências que este ensino terá no futuro dos nossos filhos !!!

    Neste gravoso domínio : “diminuição do rigor , exigência e qualidade do ensino” eu culpo directamente este governo, pois os outros problemas que eu assinalei foram herdados e ampliados (com a ineficácia/inexistência de respostas) , mas este simplesmente não existia, foi um brinde criminoso trazido por um governo liderado por um engenheiro apostado em trazer para o ensino público os vícios facilitistas da sua própria formação.



    Conclusão:

    A avaliação dos professores é um “fait-divers” empolado pela máquina de propaganda do governo, que tenta virar a opinião pública contra os professores e ao mesmo tempo esconder os reais problemas da educação em Portugal. Também não deixa de ser verdade que estas questões do estatuto, da divisão artificial da classe (em titulares e professores) e o novo modelo de avaliação foram a gota de água que fizeram transbordar o copo da indignação no seio da classe docente.

    ResponderEliminar
  8. Kaos, quero agradecer as visitas que fizeste no Blog da Nalga, e os comentários que por lá deixaste. O meu blog chegou ao fim, obrigado por lá teres passado e comentado. Continua com a tua crítica mordaz

    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. Caros Bloguistas,

    Antes de mais quero agradecer os comentarios construtivos do Kaos, do Cirrus e do Manuel Costa. Quanto ao Sr. que assina como "anónimo", sinceramente destoa demasiado do tom construtivo das outras contribuições para ter credibilidade. É que se pode discordar sem recorrer às ofensas e às ironias que reduzem o mundo aos bons e aos maus, sendo que se nao se pertence àquilo que esse bloguista considera serem os primeiros, entao inevitavelmente ou se faz parte dos segundos ou se acredita no Pai Natal. Para si, o meu desprezo.

    Para os restantes bloguistas que se dignaram responder duma forma louvavelmente construtiva, deixo alguns esclarecimentos quanto à minha posição:

    1- Longe de mim questionar o mérito do trabalho do Kaos. É importante e é feito com dedicação e piada, e merece todo o crédito. Aquilo contra o que me insurjo é a utilização de frases feitas e (in)verdades no minimo discutíveis para tudo arrasar, sem distinguir o trigo do joio.

    2- Apesar de visitar o blog há pouco tempo, era-me evidente que um comentario do tipo acima expresso por mim iria claramente contra a corrente da maioria dos contribuintes para este blog. Mas nao sera mais util debater pontos de vista dissonantes do que dizer amen a tudo, sem nada questionar. Ninguem pretende ser dono da verdade absoluta, mas penso que todas as opinioes, desde que expressas com elevação, deveriam ser benvindas. Se de cada vez que alguem discordar do que se escreve tiver de ser insultado por um qualquer "anonimo", o debate deixa de o ser e nao vale a pena aqui estar.

    3- eu nao considero que o governo seja perfeito ou que o Socrates seja o Pai Natal. Como tive oportunidade de dizer, nem votei nele. Mas enquanto observador que se considera minimamente atento às realidades, nao posso deixar de assinalar que o actual executivo tem pelo menos tido a coragem de actuar em areas que todos reconhecemos necessitarem de actuacao, apesar da sua previsivel impopularidade.

    4- No presente contexto, é inevitavel comparar o que temos com o que tivemos ou o que poderiamos ter tido. Nao me esqueco que o anterior primeiro ministro se chamava Santana Lopes e o vice se chamava Paulo Portas. É aterrador pensar que esses senhores possam liderar este pais. Se é verdade que, como o Cirrus diz, todos os politicos sao mais ou menos corruptos e mais ou menos incompetentes, nao é menos verdade que nao o sao todos por igual. Dizer que "sao todos a mesma cambada" é, quanto a mim, redutor e perigoso, pois presume que tanto faz ter o Socrates como o Santana Lopes como PM ou que é a mesma coisa ter um governo escolhido com um minimo de criterio ou um escolhido para distribuir pelouros pelos amigos, independentemente da suas competencias ou adequacao para as respectivas pastas. Quanto a mim HÁ diferencas e, se nenhuma das opcoes é perfeita, uma é claramente pior que outra. Negar isso apenas pode conduzir a um discurso derrotista e, paradoxalmente, conformista.

    5- Em jeito de resumo, apenas gostaria de dizer que, enquanto participar neste blog, procurarei nao cair na tentacao de meter tudo no mesmo saco e de analisar com um minimo de isencao as realidades. É claro que, por má fe ou ignorancia, TUDO pode ser transformado no pior dos males, na pior das politicas, na pior das actuações. Da mais trabalho analisar cada coisa duma forma isenta e imparcial, mas so assim se pode avaliar com o minimo de eficacia a actuacao dum governo e compara-la com as alternativas que se apresentam.

    Boas Festas

    ResponderEliminar
  10. contestatária25/12/08 21:49

    É-me muito difícil, para não dizer impossível, encontrar alguém em quem possa depositar alguma confiança para lhe entregar a condução da minha vida, enquanto cidadã portuguesa.
    Quanto a este governo, talvez tenha andado distraída, mas não me apercebi de nenhuma acção que possa ter realizado que se venha a traduzir num real desenvolvimento para Portugal, muito antes pelo contrário, pois o aumento do desemprego (como o algodão) não engana.

    ResponderEliminar
  11. migprud:
    Agradeço as úteis discussões que a tuas e a dos outros colaboração criam aqui no meu blog. Considero muito saudável a troca de ideias e de pontos de vista de cada um. Compreendo que para muitos este governo possa parecer mais empreendedor e como está apoiado num bom discurso mediático e num controlo da comunicação social acabam por vender competência e trabalho onde só há politicas de direita e de serviço aos grandes senhores do poder via Comunidade Europeia. Não tenhamos duvidas que com estas politicas e estes governos de alterne que temos tido em Portugal nada mais podemos esperar que mais gente a viver ao nível da pobreza e um futuro pior para os nossos filhos. Não é só este governo, mas toda uma politica à qual obedece que coloca em causa a nosso futuro mas também dos nossos filhos e netos. Lutar contra o sistema deve ser visto como um dever de todos os que não estão a soldo desses senhores. É por isso que critico tudo e todos, porque todos acabam por cumprir um papel nessa peça global de que somos vitimas todos os dias. Podes pensar que sou paranóico, que sou um maluquinho vitima da teoria da conspiração. Talvez, mas e se não sou? E se tenho razão?

    ResponderEliminar
  12. Ola Kaos,

    Mais uma vez obrigado pela tua mensagem. Sabes, eu nao sou tao ingenuo como possa parecer e compreendo perfeitamente aquilo que dizes. Tambem tenho a minha quota parte de teorias da conspiracao embora o meu alvo preferncial das mesmas seja o Capitalismo e, em particular, os Estados Unidos da América, nação que considero, de longe, a mais perigosa, mais terrorista e mais hipocrita ao cimo da terra. Ao pe deles somos um grao de areia, mas infelizmente um grao de areia que aspira a ser como eles. Os grandes culpados dos males deste mundo (e deste pais) nao sao os governos, mas as mega-coproracoes que estabelecem as leis em funcao dos lucros e para quem a palavra solidariedade nao existe. O filme que recomendaste mostra bem isso e poder-te-ia recomendar muitos outros que o demosntram inequivocamente. Mas recomendo-te, se me permitires, a leitura de Noam Chomsky, para mim o mais importante intelectual e politologo vivo. Se queres apontar as tuas baterias a alguem, penso que estas deverao virar-se para o capitalismo, consumismo e corporativismo desenfreados que regem o nosso mundo. Independentemente disto tudo, e no nosso pequenino pais, continuo a achar que nao sao todos iguais, que ha governos piores que outros, que ha primeiro-ministros mais crediveis que outros. O Socrates nao é nenhum santo... mas como tudo na vida, é relativo. Num pais onde existem Valentim Loureiros, Alberto João Jardins, Pedro Santana Lopes, Paulo Portas e outros que tal, é preciso nao se querer ver a realidade para perceber que podia ser bem pior. É a minha opiniao.

    Um abraço,

    ResponderEliminar
  13. Há desprezos que são uma honra para os desprezados. Mas estas coisas nem toda a gente entende...

    ResponderEliminar
  14. migprud:
    Pelos vistos os teus alvos são idênticos aos meus. Também eu já li Chomsky e há muito que sei que quem manda neste mundo não são os governos mas os poderes que se escondem por detrás do muro do silencio e do anonimato. Isso não nos deve impedir ou retirar a força e vontade de lutar contra os lacaios desses grandes senhores e, nos nossos países de lutar contra os governos e sistemas vendidos a esses poderes. Quem escolhe o Primeiro Ministro em Portugal são os Senhores do Clube de Bilderberg que tem como representante máximo em Portugal o Balsemão. Por a culpa maior estar mais acima devemos combater os seus lacaios locais pois só assim poderemos atingir esses poder oculto, tão inacessível para nós. É por isso que todos os que defendem o sistema são inimigos da verdade e da justiça e servem outros interesses. Não há boas politicas feitas por essa gente, só dominio, mentira e opressão.
    um abraço

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo