segunda-feira, janeiro 26, 2009

O anjo caído

O anjo caido

«O Primeiro-ministro reafirma que não teve envolvimento directo na decisão sobre o empreendimento do Freeport, quando era ministro do Ambiente. José Sócrates diz que as notícias e as fugas de informação se destinam a atingir a sua honra, em ano de eleições: “Quero dizer que aqueles que pensam que me vencem desta forma, estão enganados, porque eu vou lutar para defender a minha honra e a minha honestidade”.»

Claro que é um Engenheiro diplomado, honrado e honesto. Há alguém que tenha duvidas?

14 comentários:

  1. Em defesa da honra e honestidade?
    Como é possível defender o que não existe?!

    Uma pessoa que não consegue falar verdade, que obtém as habilitações académicas como obteve (mesmo que não tenha cometido ilegalidades) que assinava projectos de cruz por meia dúzia de cêntimos para tornear a lei, etc, etc como pode ter honestidade e honra?

    Mas pelo visto a educação adquirida no seio familiar gerou uma pessoa sem qualquer sentido de honra.

    Nota: alguém explique a este sr. que o filho do tio é mais conhecido por primo.

    ResponderEliminar
  2. Undertaker26/1/09 14:34

    Todos já percebemos que Sócrates despachava dezenas de empreendimentos desta dimensão todos os dias.
    Assim,nem era ele pessoalmente que tratava destes casos.

    No Casapiagate há vítimas e não há culpados.
    Aqui cheira-me à mesma dose.Os 4 milhões foram-se,mas ninguém os recebeu.

    Só uma aberração genética poderá dar o voto a este crápula,pero los hay...

    ResponderEliminar
  3. Quem não tem vergonha todo o mundo é seu e o nosso país é habitado por um povo de bananas atrasados mentais.

    ResponderEliminar
  4. O meu caro amingana-se. Infelizmente.
    O anjo ainda não caiu, nem está cadente.
    O anjo já apresenta projectos para a próxima legislatura.

    ResponderEliminar
  5. levantam-se os monstros no lodaçal e mostram os tentáculos...
    Como sempre, fantástico e actual :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. O pudor é a última homenagem que o vício presta à virtude.
    Aqui já nem há pudor

    ResponderEliminar
  7. Romeiro! Romeiro! Quem és tu?
    Ninguém!

    Cai o pano

    ResponderEliminar
  8. Não será isto tudo uma gigantesca manobra de diversão?

    Publicidade, fazer-se de coitadinho, etc.?

    Sim, em 2005 foi a mesma treta, depois, bem, depois foi o que se sabe, desta vez vai ser o mais do mesmo.

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Meu caro

    O poder não pode cair na rua

    Há uma hierarquia para os condenados

    até às urnas

    ResponderEliminar
  10. Já é mas é hora de derrubar estes gajos! Venha o golpe de estado! Só é pena que no nosso país, a única coisa que tenha sido capaz de motivar tal coisa, tenha sido o cansaço das tropas no Ultramar. Se assim não fosse ainda cá havia ditadura!

    P.S. O meu receio, como disse Manuel Alegre, é que volte o fascismo!

    ResponderEliminar
  11. Se um freeport vale 5.000.000€ em «luvas» conseguem imaginar quanto vale um TÊGÊVÊ? É por isso que ninguém vai parar este «comboio» do gamanço...

    ResponderEliminar
  12. Que «fugas de informação»?! Se são fugas de informação é porque existe INFORMAÇÃO que deveria manter-se «secreta» e alguém, indevidamente, divulgou. Então havia algo a esconder. Ou será que eu estou bêbado e a ver coisas...
    JFrade

    ResponderEliminar
  13. "Há diversas modalidades de Estado: os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que isto chegou! Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos. De maneira que quem quiser, vem comigo para Lisboa e acabamos com isto. Quem é voluntário sai e forma. Quem não quiser vir não é obrigado e fica aqui."

    …Salgueiro Maia minutos antes de dar início à Revolução de 74.

    ...Curioso, como passados mais de 30 anos da revolução de Abril, estas palavras de Salgueiro Maia, não se encontram fora do contexto em que vivemos!!

    ResponderEliminar
  14. Visite o blogue: http://portaria-59.blogspot.com/ e veja como se fazem portarias ilegais em Portugal

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo