terça-feira, março 31, 2009

Riqueza instantânea

 inimputaveis

A responsável pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal, Cândida Almeida, defendeu hoje, no Porto, numa conferência sobre corrupção, a criação do crime de enriquecimento ilícito, na linha do pacote que foi apresentado o ano passado pelo deputado João Cravinho, chumbado pelos deputados socialistas.
"Se um político ganha 5 mil euros por mês e ao fim de um ano tem dois milhões ou três, teria que ser ele a explicar como é que ganhou este dinheiro", disse.
A procuradora-geral adjunta, acredita que há formas da redacção da lei não ser inconstitucional e defendeu que o conceito de corrupção existente no Código penal é "castrador".
"Ou então não há corrupção no país, porque só temos 300 e tal ou 400 processos, muito menos acusações e ainda muito menos condenações", ironizou.

Houvesse realmente vontade ou melhor não tivessem aqueles que estão no poder tantos telhados de vidro ou tanto dinheiro amealhado de forma corrupta e talvez tivéssemos leis que nos protegessem dos bandidos do regime, mas seria ingenuidade pensar que eles irão matar a galinha dos seus ovos de ouro.

6 comentários:

  1. Zé Leitão31/3/09 00:26

    É pena faltarem aqui os dois principais actores secundários, logo a seguir ao Socas, são eles Aventino Ferreira Torres e Alberto João Jardim.

    ResponderEliminar
  2. Zé Leitão31/3/09 00:36

    Outra coisa muito importante no meio deste assunto da corrupção é a compra pura e simples de juízes, advogados e sobretudo oficiais de justiça.
    Alguém que explique como são possíveis certas e determinadas absolvições. Como são possíveis certos e determinados atrasos processuais.
    Sem justiça, não há liberdade. E não havendo liberdade....
    Vivemos numa espécie de Matrix, onde as coisas mais importantes são virtuais,são a fingir, para que pareçam reais através das TV´s, rádios e jornais. Assim o povo, em Junho e em Outubro lá será encaminhado para "avalizar" o nosso triste status.

    ResponderEliminar
  3. Há qualquer coisa na imagem que não bate certo. O Sócrates no papel de Eliot Ness?

    ResponderEliminar
  4. Ze leitão
    É Impossivel meter todos os suspeitos de corrupção num só boneco. Tinha de ser um mural enorme
    Quanto às absolvições e à justiça tudo começa porque quem faz as leis são quem se vai aproveitar delas. Só correndo com a escumalha se pode resolver o problema

    ResponderEliminar
  5. anonimo:
    Há policias incorruptiveis, há bandidos intocaveis e há paises entregues à bicharada

    ResponderEliminar
  6. Anónimo1/4/09 00:31

    Se não fosse a crise internacional e o fado desculparem tudo, bem que podiam ser remetidos para certo sítio, sem dinheiro, obrigados a recomeçar carreiras sem política, anónimos e "honestos". EhEhEh!
    JSerra

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo