sábado, novembro 07, 2009

Não querer ouvir, não querer ver, não querer dizer

 Não ver, não ouvir, não falar

O chefe do Governo sublinhou que "é tempo de instituir na administração e nas empresas públicas verdadeiros códigos de conduta e medidas de prevenção dos riscos de corrupção".

Mas não têm? Já não deviam ter desde sempre? Não será isto mais um discurso vazio e só para acalmar a indignação que reina no país com a catadupa de notícias sobre corrupção que aparecem todos os dias? Que fizeram até agora os partidos para verdadeiramente acabar coma corrupção? Nada. A recusa das propostas do Cravinho e o afastarem-no para uma reforma dourada em Londres provam que, mais que não fazerem nada, não querem é que nada seja feito. Serve os seu próprios interesses e daqueles que apadrinham. Tudo isto mete nojo.

3 comentários:

  1. Na política portuguesa, aplica-se bem a velha frase do Giuseppe Tomasi di Lampedusa, no seu livro "O Leopardo":

    É preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma

    ResponderEliminar
  2. concordo contigo, penamente. Mete nojo tanta imoralidade.
    beijinhos

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo