segunda-feira, dezembro 14, 2009

O homem que já era velho quando nasceu

elixir da eterna juventude

Cavaco Silva desafiou ontem os governantes a conhecerem o País real dos jovens que têm uma forte vontade de vencer sem medo da crise. "Nem um TGV consegue esconder os benefícios que aponto aos jovens em matéria de criatividade, iniciativa e inovação, e que tive oportunidade de avaliar nos últimos dois dias", concluiu o Presidente da República no final do Roteiro para a Juventude, no Porto.

Muito gosta esta gente de falar da juventude nos seus discursos mas nunca se coibindo de depois lhes ir estragar o futuro. Muito gosta esta gente de ir falar em criatividade e iniciativa quando vivem aperreados ao passado e aos velhos e falidos ideais capitalistas. A juventude deste país não são a imagem que nos transmitem pelos “Morangos com açúcar”, mas são muitos milhares de jovens, saídos das nossas escolas e que não encontram emprego e quando o conseguem é precário e com salário mínimo. A juventude deste país quer um futuro e não palavras bonitas de políticos a pensar em popularidade e eleições. O que os jovens necessitam é que lhes deixemos um país decente e onde lhes seja possível viverem condignamente.

PS: Que faz o TGV naquele discurso?

4 comentários:

  1. Jaime Bond14/12/09 01:40

    Ás vezes não te entendo.Que faz o TGV naquele discurso?!
    Apenas um lembrete que a ruína do país está a um passo.
    Que a coberto de aldrabices se esconde um poderoso lobby que vai lucrar biliões e distribuir milhões por vários partidos políticos que vão dizer sim à miséria do povo!
    O teu ódio visceral ao PR leva-te à cegueira.
    Aprende a olhar além dos rótulos e dos preconceitos.
    Não me digas que te revês naquele inacreditável bloco de aldrabões que fingem ser de esquerda e que decidiram adoptar o TGV,sabe lá Deus porquê(tenho uma idéia),como mascote.
    Sendo assim,se o combóio é de esquerda,os estádios do Euro eram também de esquerda?
    Ahahahaha!!!

    ResponderEliminar
  2. Rigor mortis e mau cheiro de defunto.







    ZecaHuHu

    ResponderEliminar
  3. James bond:
    Não, também não sou a favor do TGV mas por motivos diferentes dos teus. Os meus motivos passam pelo fim do sistema implantado, pelo fim dos ditos Engenheiros mas também dos Cavacos e gente que o rodeia. Acredito num país que produza de acordo com as suas necessidades e não em abstrato para servir a globalização. Acredito em muitas coisas e em valores de esquerda que passam por uma melhor repartição dos recursos do país. Não acredito é que seja um TGV a fazer a diferença entre a ruina do país ou o seu esplendor.

    ResponderEliminar
  4. Nasceu velho, ou já morreu?
    Não estaremos perante um zombie?

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo