segunda-feira, fevereiro 15, 2010

Segurem-me senão salto. -Não, não saltes pá...ainda

 não saltes

Todos estão fartos dele, todos o querem ver cair, mas ninguém parece interessado que isso aconteça agora. Ninguém pensa colocar uma “Moção de censura que inevitavelmente levaria à queda do governo e até teme que seja o governo a suicidar-se com a apresentação de uma de confiança. Andam todos muito preocupados com a governabilidade, com o vazio que existe em redor do Engenheiro. Triste Portugal.

3 comentários:

  1. O país não é ingovernável, o país tem governo mas, com um governo assim, mais vale não ter governo.
    Um abraço anarquista

    ResponderEliminar
  2. Caro
    Kaos,

    Ao contrário do que muita gente pensa, o melhor que podia acontecer a Sócrates era ir embora, pura e simplesmente porque o país no estado em que está não tem qualquer salvação com este regime.
    Quando toda a gente, principalmente, nos blogues, faz de Sócrates o bombo da festa, não se apercebe que ele está la precisamente para isso, para ser o alvo que toda a gente acusa de incompentente, mentiroso, desonesto, etc., etc.
    Ora, parece que quem diz isto - e são muitos - não percebeu que Sócrates e apenas uma marioneta nas mãos dos seus verdadeiros (e nossos) patrões, o grande poder económico e financeiro, esses é que mandam realmente no país, Sócrates é apenas um saco de boxe para levar com as culpas.
    Claro, que isto reflecte a personalidade e carácter de tal figurinha, um indivíduo que vem da província, sem nada de notável no seu currículo político, que é vaidoso, arrogante, obstinado, e que de repente se vè guindado ao posto mais alto do Governo.
    Estava mais do que isto, que essas suas "qualidades" o tinham de levar por este caminho, a destruição económica e até moral do país, uma destruição praticamente sem remissão e que não deixa grande viabilidade para em verdadeira democracia poder novamente ser reeerguido.
    Eu, pessoalmente, não acredito nisso.
    É evidente, que não podemos apenas acusar Sócrates desta desgraça, todos os governos anteriores tem igualmente contribuido para esta situação, só que Sócrates devido à sua vaidade, era o homem menos indicado para uma situação destas, lembram-se por exemplo do Verão de 2005, um Verão particularmente seco que encheu Portugal de fogos de lés-a -lés???
    O que fez o Sr. Sócrates???
    Foi de férias para África, salvo erro para o Quénia, não foi???
    Será correcto, que um 1º Ministro que vê o seu país a arder de lés-a-lés, vá calmamente para o estrangeiro, então, um homem que ocupa esse lugar, não tem obrigação - até moral e solidária - quer com os bombeiros e todos aqueles que combatem os fogos, quer com a própria população atingida de ficar no seu país ou não é nada com ele???
    Então, tem horário de funcionário público, é???
    Logo, isto este foi um mau sinal, em plena batalha, o comandante que abandona o seu posto costuma ter um nome muito feio, mas, parece, que Sócrates nem sequer foi à tropa, daí, talvez o seu desconhecimento das regras de ética militar.
    Ora, quanto a mim, um 1º Ministro não tem só por obrigação governar bem, tem também de conseguir mobilizar o seu povo para vencer quaisquer obstáculos que porventura apareçam, na condução duma Nação não é só o aspecto material que conta, o aspecto moral ainda tem mais relevância, pois é esse que move os tais escolhos, será que Sócrates tem essa capacidade???
    Acho que não, Sócrates não tem categoria para mais do que escriturário de 3ª e mesmo assim...
    Se mesmo assim, depois desta destruição que tem levado a cabo, ainda o mandam para casa descansadinho, certamente com um bom tacho, isso aparece não como um castigo, mas sim como um bom prémio.
    Claro, que pessoalmente ele não ficaria no lugar nem mais um minuto, o drama de Portugal é que igualmente nos outros partidos não existem figuras de relevo e com experiências dadas que consigam sanear o buraco aonde nos encontramos, o que me leva à conclusão de, ou isto continua como está, mesmo que se mude o protagonista principal e isto afunda-se sem qualquer solução, ou isto vai acabar mal, à tareia ou desemboca numa ditadura, mesmo que não formal, de qualquer forma, Portugal não tem muitas saídas, e não venham com a "estória" da "crise internacional", aliás, não disse Sócrates no ínicio dessa "crise", que tendo "resolvido" o nosso défice, nós até estávamos em melhores condições para enfrentar essa tal "crise internacional"???
    Aonde estão esses célebres resultados, será esta pinderiquice miserável em que caímos???
    Meu Caro Amigo, haja alguém que dê soluções, eu não as consigo encontrar a não ser à bruta.
    Cumprimentos.

    LUSITANO

    ResponderEliminar
  3. Tutankhamon16/2/10 04:17

    A imagem do filme "yes man" com jim carey foi bem escolhida. Afinal o Sócrates diz sim a tudo que seja para meter ao bolso!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo