quinta-feira, abril 29, 2010

Brincar ao Bloco Central

bloco central

5 comentários:

  1. DESFECHO FINAL
    Sócrates tinha uma dor de cabeça. Queria arrancar mais uns trocos, mas...
    Bem, agora que se reuniu com Passos Coelho já pode esmifrar o Zé... que a culpa não é só sua.

    ResponderEliminar
  2. Este casamento politico surpeende os portugueses honestos e que esperavam ansiosamente para se verem livre de um aldrabão e eis senão que no momento que a crise lhe ía caír em cima e dar a estocada final e o povo português gritar de alivio e comemorar a liberdade eis que aparece um mediocre que envergonha os eleitores do PSD e até os trai , a dar a mão invocando em vão o nome de portugal dizendo que é para salvar Portugal.
    Portugal só será salvo se correr com estes vendilhões e for entregue a portugueses íntegros,que felizmente ainda os há,e meterem na cadeia os ladrões deste sereno povo português.
    Portugueses vamos correr com estes políticos de merda,e o Passos só está a provar que é um clone do PM e portanto outro tal como ele, até na forma tardia como obteve um grau académico superior, quando o normal é tudo ser feito no tempo próprio e caso contrário até se pode dizer que este rapaz é um fora de tempo.
    Com esta jogada o Aldrabão de Vilar de Maçada só provou que é mais esperto do que o rapaz do PSD ,diga-se chico-esperto,porque assim entala o PSD nas medidas impopulares quando o PSD não tem culpas directas nas trapalhadas do Governo,diga-se,corrupção.
    O PSD tem que se afirmar como alternativa ,e isso só esmagando o PS e os seua lacaios.

    ResponderEliminar
  3. Zé Muacho30/4/10 01:05

    Notícias da Barbielândia
    Washington Postas

    Após terem conseguido a reforma compulsiva da bruxa que lhes derramava leite azedo sobre o há muito prometido leito conjugal Barbie e Ken, embalados por coros celestiais e música para fundos gostos, finalmente encontraram-se a sós. Antes, T. Solha, dedicado aio, entregou à nervosa mas esperançada donzela uma bandeja com o dote destinado ao noivo.

    Após três horas de íntimo tête-à-tête, Barbie e Ken abandonaram a alcova com um ar cansado mas feliz.

    Aos jornalistas, que ansiosamente aguardavam o final do encontro, por entre olhares lânguidos de cumplicidades adivinhadas, foram então transmitidas as importantes decisões que tinham tomado.

    Disseram então que com vista a exorcizar as nuvens negras que têm pairado sobre o seu tão prometido e desejado casamento, irão partir em romagem; assim, após uma meditação junto a um parque eólico e do respectivo registo nos seus Magalhães, viajarão de TGV até um qualquer novo aeroporto.

    Daí, num avião Embraer voarão até perto de um porto onde, por causa do furacão, embarcarão num submarino que os depositará num local livre de magos de Medina e onde o Sol já se pôs e a lua não tem face oculta.

    Lá chegados, proceder-se-á a esconjuração de todas as cabalas e campanhas negras que os têm apoquentado bem assim como aos seus amigos; os oficiantes serão os prestigiados feiticeiros Pinto M. e Candinha A. sob a supervisão do super-sacerdote Noronha M; se bem executado, o ritual remeterá para o olvido palavras e siglas como BPN, BPP, Cova da Beira, Casinhas, Registoss da AR, Licenciaturas, Freeport, Parque Escolas, etc., etc. e a boda terá lugar a curto prazo.

    E, assim dito, retiraram-se de mão dada.

    Angelito C., padrinho de Ken, como sempre incapaz de estar calado perante um jornalista, apressou-se a afirmar que, assim a mesa esteja posta, regressará dos desertos do norte de África onde tem estado a jejuar nos últimos anos.

    Cavaco S., presidente da Barbielândia, que se temia estar gravemente doente dado que nos últimos tempos as únicas palavras que conseguia pronunciar serem “não posso” ou “não devo” parece ter recuperado a razão; voltou a pedir bolo-rei e já se encontra de novo alcandorado na marquise de onde conta os navios que passam no Tejo.

    ResponderEliminar
  4. Vá...continuem a votar no PS e no PSD...

    ResponderEliminar
  5. Acabaram-se os fundos & empréstimos do Ocidente (leia-se, suborno) ao povo português. A única razão para votarem nos gajos era que eles tinham amigos que lhes mandavam o carcanhol, e sempre nos ia caindo alguma coisinha. Agora que os amigos lhes voltam as costas, é tempo de abrirmos os olhos e fazermos o que temos que fazer.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo