sábado, novembro 20, 2010

Já não há contos de fadas, mas antes grandes ....


Quando era mais rapazote lembro-me que havia uma história em que uma princesa picava o dedo num fuso e cumpria-se a praga rogada pela bruxa má. Agora também tivemos uma bruxa Ferreira e um ministro que se picou nos mercado e nos condena a todos a sermos mais pobres, pelo menos 5 ou 10% sem impostos incluidos e para sempre. Na história, como sempre acontece nestas histórias, aparece um garboso e jovem Principe que beija a Princesa, a acorda para a vida e se afastam em direcão a um alaranjado pôr-do-sol. Mas, histórias de principes e princesas, são contos de fadas e não a realidade. Essa, não tem gente a cavalo, mas gente de tanga que caminha na direcção da tempestade que se aproxima

1 comentário:

  1. Quem conhece os pavilhões da FIL
    fica admirado como conseguiram tranformá-los nas "fabulosas" instalações para receber os "senhores da guerra"!
    Os milhões que gastaram nesta "merda" toda, que tanto
    "prestígio" dá a este triste País
    onde todos pagamos para "sustentar"
    os "chulos" que a organizaram, faz
    falta, muita falta para muitas outras coisas!
    Mas esta gentinha não desce ao País real, não vê para além da sua
    vaidade pessoal e teima em alimentá-la à custa de um Povo
    que se sacrifica cada vez mais e cujas perspectivas animadoras de futuro são poucas ou nulas!
    Na rua, pelo menos em Aveiro, há décadas que se não vê um polícia a quem recorrer em caso de necessidade, mas em certas circunstâncias, ela aparece aos milhares para proteger suas excelências, porque são diferentes
    de nós, olha agora, preocupar-nos
    com gente "menor"!....
    Ainda sou do tempo em que se tivessemos necessidade de um PSP
    para nos acompanhar ao trabalho,
    em horários nocturnos, ele estava ali, na rua para nos acompanhar
    com prazer, sem qualquer pagamento extra!
    E não me chamem "saudosista!....

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo