quarta-feira, dezembro 01, 2010

A nódoa no fatinho


O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, assegurou que o vazamento da página de internet Wikileaks afirmou "Que fique claro, tais revelações fazem correr riscos os nossos diplomatas, os membros dos serviços secretos e as pessoas de todo o mundo que apelam aos Estados Unidos para que as ajudem a promover a democracia e um Governo transparente".
Os "Estados Unidos condenam firmemente a publicação ilegal de informação, que coloca a vida de pessoas em perigo, ameaça nossa segurança nacional e prejudica nossos esforços para trabalhar com outros países", disse a secretária de Estado Hillary Clinton.

Pode a democracia e a liberdade coexistir com a mentira como forma de governo? Pode um governo afirmar-se como paladino dos direitos-humanos e ao mesmo tempo sentir-se ameaçado pelo conhecimento da verdade? Quem são essas pessoas de todo o mundo que apelam aos Estados Unidos para que as ajudem a promover a democracia e um Governo transparente? Se é transparente porque não se pode saber? Pessoas em perigo, segurança nacional, afinal que coisas tão graves andam a esconder? Nem se está a falar do que pensam fazer, mas daquilo que fizeram e está feito. Não podem os cidadãos de um país, numa democracia, saber o que os seus governantes fizeram? Têm medo que se suje o fatinho de super-heróis do mundo?

4 comentários:

  1. Eu costumo ser 1 seguidor assiduo do seu Blogue, mas ñ posso deixar de discotdar com o que escreveu... É lógico que nem tudo o que os Governos fazem pode ser de conhecimento público. Até 1 pais pequeno como o nosso tens os seus segredos. Logicamente q os EUA ñ vão andar a bradar aos 4 ventos tudo o que fazem. Vai ter de me desculpar mas o seu texto revela uma total ignorância, ou então o seu "ódio de estimação" pelos EUA está a ultrapassar os limites do razoavel... Alias, os Srs da Wikileaks deviam ter vergonha, pk se ha atropelos GRAVES aos dtos humanos q raramente sao referidos, veêm de países como a China, Irao, Russia, Coreia do Norte, etc... Para mim a wikileaks so sera credivel a partir do momento em q revelar tb os segredos de países ñ ocidentais. Alias, ate agora o q a Wikileaks conseguiu foi criar ainda mais instabilidade entre os paises Muçulmanos.

    ResponderEliminar
  2. Se põe em perigo ou não, eu parece-me que não pois são missivas de diplomatas e só falam de política e quase nunca de actividades operacionais de espionagem.

    Para mim, que me interesso por história, têm bastante interesse muito mais pelo que está nas entrelinhas do que propriamente pelos detalhes operacionais. Os telegramas de Buenos Aires são bastante elucidativos. É visível o ódio dos EUA pelo presidente Kirshner. No entanto, o seu único "pecado" foi mandar o FMI e os bancos credores estrangeiros que sugavam a economia argentina. Há muitas referências aos "titulares de obrigações". Esses vigaristas, que na sua larga maioria nem são os bancos que originalmente emprestaram, mas sim pessoas que compraram essas obrigações ao preço da chuva, esperando mais tarde ganhar bom dinheiro com elas. O governo da Argentina acabou por regularizar a maior parte dessas obrigações através de um credit-swap que negociou duramente, ao contrário dos nossos dirigentes que oferecem logo o rabo à finança internacional (desde que lhes untem bem a vaidade e a conta nas ilhas Caimão).

    Vê-se, nessas mensagens de Buenos Aires, quem realmente manda e estabelece a política do "Governo dos Estados Unidos" (USG, nas mensagens). Falo nisto pela sua relevância para Portugal, porque o nosso país (em conjunto com os outros PIGS) enfrenta um ataque da finança internacional do mesmo tipo que a Argentina enfrentou em 1999-2002. A situação só foi resolvida quando o presidente Kirshner, em 2003, suspendeu o pagamento da dívida. Isso (em conjunto com a desvalorização da moeda) à economia argentina voltar ao crescimento.

    ResponderEliminar
  3. Tiago
    A verdade pode ser incomoda algumas vezes mas nunca deixa de ser a verdade e os povos de cada país devem saber aquilo que os seus governantes fazem, ou pelo menos o que fizeram. Só assim a responsabilização de quem nos governa numa democracia é possivel. Bom seria que também se soubessem as verdades de outros países, mas para isso é necessário ter acesso aos dados. Bradar contra a verdade e o conhecimento é sempre perigoso

    ResponderEliminar
  4. Kaos... na diplomacia, como na politica, como nos negócios e como em quase tudo na via, o segredo é a alma do negocio.

    Se ler com atenção, muitos dos documentos disponibilizados pela wikileaks não passam de meras banalidades... mas tb ha material q pode deitar a perder mt do q se tem conseguido...
    Ou será q acha preferivel que a relação entre os EUA, U.E e Russia se deteriore em nome de uma suposta transparência? Sera q essa transparencia, q em nada veio mudar a sua vida nem a minha vale alguma coisa qnd comparado com o facto de q pode originar uma corrida as armas no medio oriente? Ou empurrar a Turquia para uma islamização ainda mais acelerada?

    O q a esmagadora maioria das pessoas nao consegue perceber, é q a diplomacia é um conjunto de equilibrios q tem de se conseguir por forma a minimizar tensões e solocionar conflitos. É verdade, ha mts interesses, mas a wikileaks nao esta a combater nenhum.

    O Sr. Julian Assange é uma criança com uma caixa de fosforos e um jerrycan de gasolina.

    Não é a toa que se diz "Em boca fechada não entram moscas"...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo