sexta-feira, janeiro 28, 2011

O Abruxamento da Isabelinha


Perante a manifestação de Professores, pais e alunos das escolas privadas com acordo com o ministério, via a "sempre simpática e conciliadora" Ministra Isabel Alçada perder o verniz e transformar-se numa feroz bruxa Maria de Lurdes Rodrigues.
Neste caso confesso que não sei quem tem a razão. Sendo um defensor da Escola Pública considero que é obrigação do Estado dar as melhores condições possíveis para a aprendizagem dos nossos filhos em todo o lado. Se há locais onde o Estado decidiu que era preferível utilizar as escolas privadas em lugar e construir escolas públicas, justo será que gaste tanto com uns alunos como gasta com os outros. Nem mais nem menos, mas também não me parece ser bom baixar a qualidade do ensino em lado nenhum. O ideal seria aumentá-la em todo o lado.
Acredito que deve ser possível sentarem-se à mesa e chegar a um acordo, talvez diluído no tempo para facilitar adaptações e não creio que ameaçar com transportar os alunos de camioneta para escolas afastadas e muito provavelmente sem condições para albergar mais alunos em boas condições de ensino, prejudicando sobretudo as crianças, seja uma boa solução.

2 comentários:

  1. Depende desses (raros) casos em que não existe de facto alternativa devido à distância.

    De resto temos aqui instituições privadas de ensino a protestar quando têm regimes fiscais extremamente benévolas, por vezes por pertencerem à igreja, e um director de escola privada que se esteve a carpir numa entrevista de rua que ganha 7000€ por mês.
    Por experiência de família sei que as escolas privadas por vezes pagam pior do que as públicas e começam também a ser dominadas por contratos precários, uma desgraça transversal.

    Pessoalmente, como pai que tem filhas numa escola pública (com a qual estou bastante satisfeito) numa zona praticamente rural acho repelente que pessoas exijam que eu contribua com mais dinheiro para a sua opção privada, como se os seus Afonsos Maria e as suas Carlotas Constanças merecessem mais que as minhas filhas.
    E é disso que se trata, não é o encerramento mas somente a igualdade (para além do couro e cabelo que levam em mensalidades).

    É nojento este protesto.

    ResponderEliminar
  2. Os meus parabéns. Boa mensagem. Isto realmente está a sair fora de uma lógica perceptível.
    A demagogia e estupidez em que todos os sectores governativos estão a entrar nesta altura. Agora que era preciso uma verdadeira crença no público e na aposta num desenvolvimento nacional suportável por todos, e não isto que se vê. Escolas públicas a despedirem funcionários, docentes e cortarem em actividades. É uma realidade séria. Onde é que neste poço de estupidez, ainda arranjam lata para o privado protestar?

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo