terça-feira, janeiro 18, 2011

O Macho Português


Cavaco Silva foi interpelado durante a campanha eleitoral por uma idosa que lhe pediu ajuda com a reforma. O presidente candidato puxou então pela mulher, Maria revelando o valor da sua reforma. «Esta é a minha senhora. Esta senhora trabalhou praticamente a vida toda. Sabe qual é a reforma dela? Não chega a 800 euros por mês. Foi professora em Moçambique, em Portugal, nunca descobriram a reforma dela. Portanto depende de mim, tenho de trabalhar para ela. Mas como ela está sempre ao meu lado e não atrás, merece a minha ajuda», disse Cavaco.

Há uns dias, interpelado por uma idosa que lhe pedia ajuda para alimentar os seus filhos, mostrando a comida que tinha retirado de um contentor do lixo, o Sr. Silva aconselhou-a a dirigir-se a uma Instituição de solidariedade social, mas não uma do Estado, (que ele representa), mas a uma privada. Desta vez, perante o pedido de uma outra idosa com a sua reforma, preferiu lamentar a pequena reforma de 800 euros da sua mulher e que por isso dependia dele.
Como se deverá ter sentido aquela mulher ao vê-lo depreciar 800 euros de uma reforma e a brincar com o assunto.
Esta gente devia ter vergonha.

2 comentários:

  1. Eles os políticos só pensam neles nos seus vencimentos e nas suas reformas. O povo inculto anda atrás feito estupidos só para os levar para o poleiro. Passados estes anos ainda não perceberam que eles estão lá mas não é para ajudar as classes desfavorecidas. Eles estão lá mas é para defender quem os defende a eles. Não façam pela vida tal como eles também fazem e nunca terão nada. A vida para eles também não é fácil andar de terra em terra a aturar cada um e com tanta concorrência no encalce não é fácil. Mas quem ganhar no fim tem a recompensa e as benesses não vão faltar.É assim a vida.Se eu não fizesse pela minha estava bem tramado porque ninguém dá nada a ninguém de mão beijada.

    ResponderEliminar
  2. "A vida para eles também não é fácil andar de terra em terra a aturar cada um" ESSA É BOA ISSO É PARA TER PENA DELES? Os sem abrigo deviam invadir o palácio de Belém

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo