quarta-feira, janeiro 19, 2011

O grande olho do...Tio Sam


Rui Pereira garante que o acordo que Portugal assinou com os EUA para a cedência de dados pessoais dos cidadãos portugueses não viola nenhuma norma da Constituição Portuguesa.

Pois eu digo que se não viola devia violar porque não entendo a razão, mesmo com a desculpa do terrorismo, dos dados pessoais de um cidadão que nunca praticou actos ilegais, que não anda para aí a pôr bombas e que está descansado em sua casa, podem ser oferecidos a uma potência estrangeira. Porque toda esta subserviência a gente que já mostrou não ser de confiança, gente que já mandou assassinar Presidentes e outros cidadãos de países independentes, gente que já invadiu países soberanos sem qualquer legitimaidade para o fazer, gente que já bombardeou populações inocentes, gente que pratica a tortura e mantêm uma prisão totalmente inaceitavel em Guantanamo. Porque tenho eu de dar a esta gente os dados dos portugueses? Se não é inconstitucional devia ser.

7 comentários:

  1. É uma autentica violação dos direitos de cada cidadão, além de ser a forma mais RASCA DE DAR O CÚ em nome de todos os portugueses...

    ResponderEliminar
  2. É vergonhoso. Os meus dados, de pacato cidadão, que nunca cometeu um crime,fornecidos a um país estrangeiro com total livre acesso? Se quiserem informações, peçam-nas às autoridades portuguesas, com a devida fundamentação e provas que fundamentem o pedido.

    J Valente

    ResponderEliminar
  3. In: thebests2010.blogspot.com

    FBI pretende ter acesso a dados Biográficos e Biométricos dos Portugueses e Governantes dispostos a disponibilizar

    Em nome da luta contra o terrorismo, o FBI pretende ter acesso aos dados biográficos e biométricos dos Portugueses que constam no arquivo de identificação civil e criminal. O acordo com o Governo já está a ser feito e falta apenas ser ratificado pela Assembleia da República.


    Reflexão:

    a) Será que tenho o direito de decidir se estou ou não interessado em disponibilizar os meus dados biográficos e biométricos aos americanos?

    b) Como é que o Governo Português entende que tem legitimidade e se arroga ao direito de poder decidir por mim e disponibilizar os meus dados biográficos e biométricos a um outro qualquer país, ainda por cima exterior ao espaço Europeu?

    c) Onde está a protecção de dados?

    JLM

    ResponderEliminar
  4. Caro Anónimo das 12:20
    O Estado faz o que quer sem pedir a sua autorização!
    Eu por mim sinceramente, estou-me nas tintas, não tenho um único papel que não seja falsificado, pelo estado, diga-se!

    ResponderEliminar
  5. http://www.esquerda.net/sites/default/files/dhs_portugal_crimeagreement_port_1.pdf

    ResponderEliminar
  6. Caro
    Kaos, claro que se eetá perante uma violação ou pelo menos um abuso de poder por parte das ditas autoridades portuguesas, neste momento, quando se trata de um cartão de cidadão ou de passaporte, as fotos do potencial "criminoso" já não podem ser tiradas num vulgar fotógrafo como sempre aconteceu, são tiradas quer no registo, quer nas lojas do cidadão para poderem ficar com os dados biométricos do "criminoso" em questão, a referência é a pupila e como não há duas iguais, esta não pode ser falsificada (pelo menos assim parece), esse o novo ponto de identificação.
    Agora, que os EUA exijam a quem lá vá os dados de cada um, ainda compreendo, agora fazer de todos os portugueses possíveis suspeitos e todos estarem a ser tratados da mesma maneira mesmo que não façam tenções de viajar apara esse país, é que não me parece lá muito razoável, mas como a carneirada até ser conduzida ao matadouro não muge nem bule, que se lixem, cada povo (de merda) merece o que tem.
    Cumprimentos.
    LUSITANO

    ResponderEliminar
  7. Deixem-sede teorias da conspiração...mééé´....mééé

    É sem duvida como o David Icke diz, as ovelhas ainda necessitam de 1 cão pastor para ser colocadas em rebanho, nós, humanos, tratamos de encaminhar para o matador quem tiver a audácia de abrir a pestana e pergunta...mas porquê.

    Nuno

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo