quarta-feira, maio 04, 2011

Violência e parvoices perigosas


Podia vir aqui falar da Manifestação que se realizou em Setúbal no 1º de Maio e que terminou violentamente devido a uma despropositada carga policial. Posso afirma-lo porque estive lá, não assisti a nenhuma desordem ou desacato, e acabei por ser atingido por uma bala de borracha no pescoço ainda antes de me ter dado conta de que existiam problemas. Mas, não vou contar aqui a minha versão nem a da policia porque certamente alguns preferirão acreditar no lado em que se sentem mais à vontade. Não posso no entanto, deixar de referir uma passagem do comunicado da PSP que me parece demonstrativo da falta de todo o bom senso. O comunicado da PSP refere que o mesmo indivíduo, de 49 anos,(que foi atingido nos joelhos por tiros de shotgun e preso) também foi identificado no passado dia 25 de Abril, em Lisboa, quando tentava integrar a manifestação oficial sem conhecimento prévio do Governo Civil de Lisboa.
Referenciado porque tentava integrar a manifestação "oficial" do 25 de Abril? Conhecimento prévio ao Governo Civil para integrar uma manifestação? Que raio de livros de lei anda a ler a nossa policia? Pode qualquer cidadão ficar referenciado por participar no 25 de Abril? Voltamos ao tempo da PIDE?
Já agora mais um bocadinho da noticia. De acordo com a PSP, alguns manifestantes, gritavam palavras de ordem «Setúbal é nossa, Sonae fora daqui», «Partidos não, país em auto gestão».
É proibido falar de auto gestão? É proibido alguém dizer em voz alta aquilo em que acredita e que defende? Não podem existir opiniões diferentes em relação à forma como está organizada a sociedade? É isso um crime que justifique transformar Setúbal numa zona de guerra com tiros e violência?

4 comentários:

  1. Anónimo4/5/11 00:13

    Voltamos ao tempo da PIDE?

    Essa tá boa!

    ...

    ESTAMOS MAS É MUITO PIOR!!!
    a unica diferença é que temos liberdade de expressão a qual é gravada por tudo que é sitio e só não é manipulada ainda mas lá chegaremos!

    ResponderEliminar
  2. João Mateus4/5/11 02:19

    A "Nossa Polícia" simplesmente não lê! Pensei que todos estavam a par disso!!!

    A "Nossa Polícia" obedece a Ordens, não é paga para pensar. Obedecer a quem ordena, eis a sua função.

    Saber quem Ordena é outra questão, as ordens "vêm de cima.", defen-dem-se.

    Esperemos que não queiram dizer que o Paraíso é um estado policial....

    ResponderEliminar
  3. Será que as "ordens" vêm mesmo de "cima"?

    Ou será que voltamos ao monopólio da palavra? Detida sempre pelas organizações da "situação", e repara que eram/são sempre as mesmas.

    Só a que é dita pelo "chefe" é que é verdadeira, as restantes são "terroristas", "esquerdistas" (onde é que já ouvimos isto?), vadiolas, por tipos que não querem trabalhar, tipos que cheiram mal, que vestem de preto, têm os cabelos desalinhados, fazem sexo em pé, etc..

    Tu e eu já vimos este filme à 38 anos e antes.

    Como disse o João Mateus, a bófia é paga para bater, não para questionar, só se esquecem duma coisa, também são Povo, têm filhos e esposas e quase sempre o feitiço volta-se contra o feiticeiro.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Anónimo5/5/11 00:32

    por mim dava liberdade a tudo e todos, e assim podia ser que se auto-destruíssem...VIVA A POLÍCIA E VIVA A LEI...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo