sábado, junho 25, 2011

O mar português


Os Estaleiros de Viana do Castelo vai despedir 380 dos seus 720 trabalhadores. Com 200 milhões de euros de passivo e um prejuízo de 40 milhões em 2010, dizem ser a forma de salvar o Estaleiro. Para ajudar à festa, o Presidente da Administração demitiu-se após ter sido vitima de insultos por parte dos trabalhadores. Assustados assistimos ao descalabro do pouco do bom que ainda resta do sector produtivo do país, mas agora temos os super-ministros do CDS que vão aparecer e resolver o problema. Ou não vão?
Lembro-me de ver o Portas, quando foi ministro na sua anterior passagem pelo poder, falar das soluções para o Estaleiros, uma infraestrutura essencial para o país. Lembro-me de ver o Presidente, o CDS e toda a nossa classe comentadora falar do nosso grande Mar, esse enorme espaço inexplorado onde se aloja o futuro do planeta. Um enorme mar, vazio de barcos portugueses por não os termos. Temos uns Estaleiros com problemas por falta de trabalho e o país necessita de barcos. Junta-se a fome com a vontade de comer, não podia ser melhor. Os Estaleiros fazem os barcos que o mar deste país necessita. Ou vão mesmo mais 320 trabalhadores para o desemprego e todos continuar a falar da enorme oportunidades, tão grandes como o mar português.

5 comentários:

  1. O kaos bota kriptonita nessa gente....

    ResponderEliminar
  2. Desconfio que neste caso um bom balde de bosta fazia mais efeito :)

    ResponderEliminar
  3. A sua memória é muito selectiva.
    O Portas disse o que disse e conseguiu as contrapartidas para os estaleiros de Viana pela compra dos submarinos, e reduziu simultaneamente o seu número para 2! O resto é história: os xuxalistas não lhe perdoaram ele ter evitado a roubalheira que estava associada aos contratos originais, e durante os 2 desgovernos do Sócrates espatifaram e roubaram dinheiro à tripa forra, e os estaleiros ficaram a vê-los passar... A última cena deste filme surreal foi a compra virtual dum barco pelo camarada Hugo Chaves, e mais umas encomendas virtuais da Venezuela...
    E agora vem o KAOS falar do Portas? Haja pachorra...
    Já agora: por que razão hei-de pagar impostos para sustentar os ordenados - de mais de 2.000 euros/mês - dum bando de gente que não tem trabalho, não faz nada para ter trabalho, e ainda se acha com direito a continuar a viver assim sem fazer nada?

    ResponderEliminar
  4. Espera para ver. Despedem os 380, quem vai pagar as indemnizações somos nós, para depois privatizarem. O novo proprietário recebe assim a empresa com metade do pessoal. De génio. De certeza que o novo patrão é da área do PSD/CDS, se calhar até entrou com algum para a campanha.

    O que me fo.........de são estes sindicatos de merda que não incentivam os trabalhadores a pegarem na empresa, a auto-geri-la. Estão todos dentro do sistema, comem na mesma gamela, e não se estão para chatear. Por onde anda o Carvalho da Silva?

    ResponderEliminar
  5. epá ela tá de grelo feito ?

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo