terça-feira, julho 19, 2011

Fenomenologia do ser Passos Coelho


Numa entrevista a uma revista francesa Passos Coelho tentou vender a imagem de um grande gestor de enorme cultura, tão culto, tão filosofo que até leu Kafka muito depois da 'Fenomenologia do Ser", de Sartre. E Voltaire mais cedo do que Eça". Só que, se há coisa em que não se deve fazer é querer mostrar cultura que não se tem. Rapidamente foge o pé e cai-se no ridículo. Mas, honra que seja feita que conseguiu ler um livro do Sartre que este nunca escreveu. O Pacheco Pereira já o desancou escrevendo que Não existe nenhuma 'Fenomenologia do Ser' de Sartre. Passos Coelho, em mais uma entrevista do nada, resolveu atribuir-se uma biografia do nada". "Fenomenologias só conheço as de Hegel e de Husserl". "A mania para mostrar cultura dá como resultado o 'Concerto para Violino' de Chopin e as mesas de cabeceira cheias de Eça". "Esta mania de querer parecer culto traduz um problema de carácter". Passos "é um produto de marketing, como Sócrates", concluiu.
Os defeitos estão lá todos só que menos inteligente que o seu antecessor, digo eu.

7 comentários:

  1. PINÓQUIO II!........

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar
  2. Sempre disse que o Enginheiro Socrates,não passava de um mentiroso,mas agora pensando melhor e comparando-o com o, Troca os Passos de Massama,não passa de um aprendiz.

    ResponderEliminar
  3. Nuno Correia19/7/11 16:04

    O Passos tem tambem muito estilo como o Socrates mas parece-me que este ultimo tem melhor cabelo.

    Preferia as gravatas do Socrates.

    O Passos deve tocar melhor o cavaquinho e cantar do que o Socrates. Se o Pais fosse uma tuna, penso que nos safavamos.

    ResponderEliminar
  4. Estamos mesmo entregues a medíocres, esta gente hoje "trabalha" muito o parecer, esquecem-do-se do ser. Sócrates deixou semente, só que este "Sócrates" é mais light, mais mentiroso e depois tem uma coisa (entre várias) que me irrita, a mania que é o gajo mais sériozinho da paróquia.

    ResponderEliminar
  5. O Pacheco Pereira deve ter ficado lívido porque Jean-Paul Sartre parte do indivíduo mas incorpora na sua filosofia a responsabilidade social. Isto corrói pelo lado de dentro as ideologias liberais, de tão habituadas que estão a pensar que só elas defendem a individualidade.

    ResponderEliminar
  6. E digo mais: os tomates do Pacheco Pereira até lhe devem ter caído ao chão. O pensamento de Jean-Paul Sartre é altamente subversivo para os liberais e neoliberais.

    ResponderEliminar
  7. Socrates era só mentiroso,daí o apelido e Pinoquio.
    Passos do Coelho para alem de mentiroso é burlão e ladrão..........
    o que é necessario desmacarar é quem está por detrás deste sebadola!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo