quarta-feira, agosto 10, 2011

Um dos mais pobres dos pobres

O amigo Nuno Correia deixou nos comentários de um posts o link para este artigo do Tiago Mesquite no Expresso que não resisti em reproduzir aqui. no WeHaveKaosInTheGarden.

Foi noticiado e salvo erro nunca desmentido, que Dias Loureiro não possuía qualquer bem em seu nome. Custou-me. Chorei. E agora gostava de o ver repatriado para podermos devolver-lhe a dignidade. Vamos todos.

Isto de Dias Loureiro nada ter em seu nome só pode acontecer por dois motivos:
O 1º, mais sórdido e maquiavélico, que desconsidero, teria a ver com o facto de Dias Loureiro ter algo a esconder em relação à origem da fortuna que dizem ter amealhado em poucos anos, e que por isso, dada a possível e aparentemente obscura proveniência dos lucros dos seus negócios, optara intencionalmente por não ter rigorosamente nada em seu nome. Nada. Nem um cão de loiça ou um CD do Angélico. Desta forma, e no caso de correr pelo pior (como veio a acontecer - acusado que está de danos no BPN no valor de 41,16 milhões de euros, conjuntamente com o Oliveira e Costa via SLN, da qual eram ambos administradores), não seria possível fazer qualquer tipo de arresto ou penhora aos seus bens.
O 2º, e no qual acredito sincera e piamente, aponta para que Dias Loureiro esteja efectivamente a passar por muitas dificuldades. E que nunca teve bens em seu nome porque é um verdadeiro altruísta e benemérito. E colapsado que ficou sem empregos, sofre agora silenciosamente de agonia financeira como qualquer outro desempregado comum. Agonia tal que até o Presidente da República lhe tentou garantir o sustento por mais alguns meses como conselheiro de Estado, mesmo após o rebentar do escândalo da SLN, de forma a que ele pudesse, pelo menos, comer uma sopita de nabo e um pão com fiambre por dia. Loureiro, agradecido, continuou sempre a aconselhá-lo: "Aníbal: tens de comprar mais acções do BPN, estão baratas e é de comprar, vais ver que não te arrependerás nunca dos conselhos sábios deste teu fiel amigo e escudeiro"
Partiu-se-me o coração vê-lo ter de pedir boleia a um senhor de Jaguar para poder chegar ao DIAP a horas de ser interrogado. E o senhor do Jaguar também deve ter sentido a mesma angústia pois esperou horas à porta pelo seu regresso.
Será mais um pobre diabo a calcorrear as ruas de Lisboa ou de Cabo Verde? Acabará Loureiro como um indigente, a mendigar para sobreviver? Uma triste e infelizmente cada vez mais comum realidade. Reflexo de uma sociedade desequilibrada, com uma balança mal calibrada que tende a favorecer quase sempre quem não precisa. São tempos difíceis até para Dias Loureiro. E porque o meu sentimento de humanidade e fraternidade não consegue assistir a tamanha falta de dignidade, infortúnio e pobreza, e impelido que está este meu espírito altruísta e desinteressado em ajudar este homem caído em desgraça e numa situação precária, decidi agir.
Desta forma, deixo um NIB de uma conta sita num Banco português de confiança (não pertence ao BPN ou BPP) de forma a devolvermos o sorriso, e quem sabe, os bens, a Dias Loureiro: 0036.0058.99100007846.65
Como sei que Dias Loureiro não pretende ter nada em seu nome, o NIB acima indicado pertence a uma conta minha. "Mas desde já asseguro sob a minha palavra de honra" (onde é que já ouvi isto?) que todo o dinheiro que for amealhado nesta iniciativa terá como único destino a ajuda a Dias Loureiro. Solidarizem-se com apenas 1€ que seja, porque neste caso "nada é tudo"! (literalmente). Obrigado pela vossa generosa colaboração!

Kaos: Como dinheiro não tenho para dar a mais este miserável aqui deixo a sujestão do Cartão de Pobre a que deveria ter direito. Ele precisa.

6 comentários:

  1. Nuno Correia10/8/11 06:36

    Obrigado Kaos! Consta que este senhor esta' em Cabo Verde porque e' dono de varios resourts ... Mas se calhar sao e' de um amigo ... E' um caso paradigmatico da desfacatez total e e' uma personagem habilidosa que merecia um case-study em psicologia ou na arte de saber viver.

    ResponderEliminar
  2. Pareceu-me ver este tipo na Sopa dos Pobres dos Anjos, se não era ele era outro bastante parecido.

    ResponderEliminar
  3. Óh Kaus,só o cartão de pobre,ele precisa de muito mais,um número num fato às riscas,etc.,etc.,...

    Um abraço,
    mário

    ResponderEliminar
  4. Está em Cascais,já voltou de Cabo-verde.

    ResponderEliminar
  5. e não há um carro que lhe passe por cima

    ResponderEliminar
  6. E eu nunca mais o vi andar de carro, ao Dias, sinal que lá estará pobre, pobre Loreiro, que a aprendeu no seminário.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo