terça-feira, agosto 09, 2011

Memórias de uma época execrável


«Os pobrezinhos

- Batem à porta. Meu filho, vai ver quem é.
- É um pobre, minha mãe, um pobrezinho a pedir esmola.
A mãe veio logo com um prato de sopa e deu-o ao pobre. Depois, voltou para a sala de costura e deixou o filho a fazer companhia ao mendigo. Este, quando acabou de comer, disse por despedida:
- Deus faça bem a quem bem faz!
O menino ficou comovido: - Que pena tive do pobrezinho!
- E é caso para isso, respondeu a mãe. Os pobres são nossos irmãos. Devemos fazer-lhes todo o bem que pudermos. Jesus ensinou que até um copo de água, dado aos pobres por caridade, terá grande prémio no céu.»

«A cantina escolar

- Gostei tanto de ir hoje à escola, minha mãe! A senhora professora estava muito contente, porque inaugurou uma cantina, onde os meninos pobres podem almoçar de graça. Se visse, Mãezinha! As mesas muito asseadas, os pratos branquinhos, jarras floridas e tudo tão alegre!
A sopa cheirava que era um regalo; e todos nós estávamos satisfeitos, ao ver os pobrezinhos matar a fome.
O filho do carpinteiro, a quem eu às vezes dava da minha merenda, de vez em quando ria-se para nós, como que a dizer:
- Está óptima, a sopinha!
Perguntei à senhora professora quem tinha feito tanto bem à nossa escola e ela respondeu-me:
- Foi o Estado Novo que gosta muito das crianças e para elas tem mandado fazer escolas e cantinas, creches e parques. Mas as famílias que possam também devem ajudar. Não te esqueças de o dizer à tua mãe.»

«Respeitai as autoridades

O pai é a autoridade na família. Os filhos são obrigados a ter-lhe amor, respeito e obediência. O professor é a autoridade na escola. Todos os meninos devem obedecer às suas ordens e estar com atenção às suas lições.
É Deus quem nos manda respeitar os superiores e obedecer às autoridades.»

Retirado do Livro da 1ª Classe no tempo do "Botas" e do Cabeça de Abóbera".

Quando vejo a forma como esta gente se propôe tratar a pobreza ainda vejo reeditados este livro no programa escolar.

9 comentários:

  1. Mais um boneco fantástico enquadrado num texto "just in time". Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo9/8/11 14:44

    Portugal deveria ter um novo "botas"

    ResponderEliminar
  3. Excelente boneco. Parabéns.
    Os textos fizeram-me recordar tempos de fome e miséria pela qual passei, tempo também em que sonhava com um mundo melhor, livre do fascismo que nos oprimia, de exploradores que nos acorrentavam e do capitalismo que nos humilhava. Afinal não passou de um sonho. Hoje, continuo a sonhar com um mundo melhor para todos, os salazarinhos de agora em nada diferem do mentor-mor de então. Infelizmente não tivemos arte nem engenho para matar de vez com as ervas daninhas fascistas, mas ainda tenho esperança.

    ResponderEliminar
  4. Incríveis estes textos!!!

    O que a gente era obrigada a ler...

    ResponderEliminar
  5. anónimo das 14:08
    se gostas tanto dele só tens de meter uma corda ao pescoço e ir para junto do bicho.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo9/8/11 22:47

    Nessa altura o Ministro da educação , foi um que depois passou a ser um grande democrata Veiga Simão.
    Botas, volta, estás perduado

    ResponderEliminar
  7. ò anónimo 14.44, porque é que não vais levar nas nalgas??passo a baixeza do comentário, e peço desculpas aos mais sensíveis.

    ResponderEliminar
  8. ò anónimo 14.44, porque é que não vais levar nas nalgas??passo a baixeza do comentário, e peço desculpas aos mais sensíveis.

    ResponderEliminar
  9. o gajo que vá levar no cú

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo