sábado, setembro 03, 2011

Subserviência agradecida

Até agora o Passos Coelho não me tinha surpreendido nem negativamente, nem positivamente. As minhas expectativas eram de que seria mau Primeiro Ministro, empenhado em destruir tudo o que é público e social para entegar tudo ao grande capital e tem sido isso que tem mostrado. Vê-lo a babar-se em frente da Merkel , subserviente e obediente, fez-me sentir envergonhado como portugues. Ainda somos um país com uma históeia, uma cultura e uma identidade que faz parte daquilo que somos. Ainda não somos uma provincia do Império Alemão.
Passos Coelho não quer os Euro-bonds porque a Merkel é contra, como se fosse dono da Constituição aceita alterála para passar a incorporar um limite para o défice porque a Merkel o exige e vai oferecer-se para lhe vender, a preço de saldo, as maiores e mais lucrativas empresas a privatizar. Agradece-lhe agradecidissimo do fundo do coração a ajuda que deu a Portugal e promete ser um bom menino cumprindo tudo o que exigir. Como se a Merkel tivesse moral para isso. Ainda há pouco tempo andou a acusar-nos de preguiçosos, de termos férias e direitos demais por termos mas esquece-se que o défice, que até estava a baixar de acordo com o acordado na UE, disparou por instruções da propria UE como forma de reagir à cride de 2008. Não importava o défice era necessário investir para não deixar paralizada a economia. Até nos exigiram que, em tempo de crise, o estado financiasse a compra de carros novos para defender a industria automovel alemã. A Merkel sempre pensou mais em como safar a Alemanha sem se preocupar minimamente com a Europa nem com os problemas e pobreza que ajudou a criar em alguns países da união. Quero que a Merkel se lixe porque eu não a elegi para nada. Esta gente não presta e como politicos conduziram-nos ao ponto em que estamos hoje e só nos prometem é mais miséria e pobreza.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo