sexta-feira, setembro 30, 2011

Uma questão de estilo


O Presidente da República reconheceu hoje que a omissão de dívidas públicas na Madeira configura uma situação grave, mas sublinhou que o programa de ajustamento não pode ser preparado "de um momento para o outro". O chefe de Estado recusou ainda fazer qualquer comentário às reacções do presidente do Governo Regional da Madeira, apesar de admitir que tem um estilo diferente de Alberto João Jardim. "Cada dirigente político tem a sua forma específica de fazer política":

Governo recua e só apresenta amanhã a auditoria às contas da região. Oposição acusa Passos Coelho de não "honrar” a palavra. "Falei demais". Foi esta a frase de Passos Coelho que acabou por marcar o debate quinzenal de ontem no Parlamento, onde o primeiro-ministro deu o dito pelo não dito e revelou que só depois das eleições regionais de 9 de Outubro será conhecido o plano de ajustamento para a Madeira.


Sei que todos são do mesmo partido, que às vezes se zangam e depois fazem as pazes, que quando chateiam o Bicho da Madeira ele ameaça abrir a boca e todos se encolhem, mesmo considerando tudo isto é uma vergonha que não utilizem os mesmos critérios que utilizaram nas eleições legislativas. A Troika analisou as contas de um país e apresentou o plano de resgate em menos tempo que este governo consegue fazer uma auditoria na Madeira. No continente passam o tempo a tirar-nos à cara que as medidas de austeridade da Troika foram aceites pelos portugueses quando votaram e deram uma maioria ao PSD/CDS, mas na Madeira pedem aos eleitores que votem num futuro desconhecido. Se eu fosse madeirense queria que o Bicho ganhasse, pois assim podia não sofrer tanta austeridade por ele não cumprir com plano nenhum e por ainda obrigar os "Cubanos do "contenente" a pagar o buraco que fez na Madeira.
Se já pagámos um BPN porque não haveremos de pagar outro chamado Buraco da Madeira?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo