quinta-feira, dezembro 22, 2011

A Divina Troika para nos salvar


Chamar-lhes filhos da puta é pouco porque esta gente é aldrabona, mentirosa, esclavagista e subserviente. Passaram todo o tempo a garantir-nos que as medidas de austeridade e os sacrifícios eram parte do acordo com a Troika assinado pelo anterior governo. Todos já tinhamos visto que este governo era mais troikista que a própria troika e onde ela dizia mata o Gasparzinho dizia esfola. Mas com grandes sorrisos o Passos Coelho não se cansava de dizer que estávamos a cumprir todas as exigências. Cortaram nos direitos e salários, taparam "buracos" que nunca ninguém soube quais eram e espalharam a fome e a miséria. Isto antes de o pior que estava previsto nos cair em cima em 2012. Mas, surpresa das surpresas, o governo continua a negociar com a Troika e ao que parece a adequar o acordo àquilo que faz e ainda lhes pede para carregarem mais no lápis vermelho dos direitos. Cumprimos tudo o que exigiam, até fizemos mais, mas agora passamos a ter de cortar nas indemnizações por despedimento (foi de 30 para 20 e agora vai para 10 dias por ano de trabalho), facilitar o despedimento (ao ponto de bastar o patrão pensar que há alguém de quem ele goste mais para o lugar), baixar os ordenados da função pública, cortar mais nos serviços de saúde, aumentar as taxas moderadoras, despedir professores e eu sei lá que mais. Podia aqui perguntar se o PS foi consultado nestas alterações assim como o PSD exigiu ser parte no acordo com a Troika, mas prefiro perguntar-me se já não merecemos a sorte de um balde de bosta, com balde e tudo, lhes cair em cima?

PS: Esta é a mesma gente que já fez com que na Grécia haja crianças que desmaiam nas salas de aula por fome e desnutrição.

3 comentários:

  1. E não há um boneco para os meninos da CP?
    Mais uma vez suas excelências os meninos bem, empregados na CP, vão fazer greve.
    E quem é que se vai ver fodido para andar de um lado para o outro? Os gajos do costume... Desde logo quem não tem carro ou não tem dinheiro para andar de carro. A rapaziada que vai ter de trabalhar nos dias da greve, porque se faltar ou chegar atrasada ao emprego ainda se arrisca a ouvir das boas, e no fim do mês ainda vai ter de pagar impostos para pagar o ordenado dos meninos. Os reformados. Os que, como eu, querem ir ver a família no Natal, e vão ter de ir de carro. Para o cúmulo, os pequenos príncipes que trabalham na CP, ainda vão ser pagos com o dinheiro dos passes, não obstante suas excelências vigarizarem os Clientes porque se vão abotoar com o dinheiro dum serviço que não vão prestar, nem nos vão indemnizar!
    Já não quero saber se é a troika ou a bitroika! Só quero é que estes grandes cabrões se governam com o que a puta da CP ganha! Nem mais um centavo da classe trabalhadora para estes chulecos de merda que confundem emprego com trabalho. Puta que os pariu a todos!

    ResponderEliminar
  2. SAbe sr.anónimo, exietem mais pessoas com o mesmo problema que o seu, mas uma coisa lhe garanto, não é com esse tipo de atitute subserviente e fascizóide, que nos vemos livres disto.Só a contitnuar a lutar por uma vida melhor que nos vemos livres destes malditos parasitas que no dizem governar.Talvez o sr.anónimo esteja melhor a fazer parte do lado deles,do parasitas...

    ResponderEliminar
  3. Filhos da puta não é nada de novo, pois, já no pós 25 de Abril, o CDS (Partido que era designado por Comer, dormir e sonhar), hoje, com um remendo de PP (Partido popular), já tinha um slogan de Campanha, que dizia o seguinte: "Putas ao Poder, porque os filhos já lá estão". Na Itália, já houve uma Cicciolina, em Portugal, este retângulo de merda, onde o SOL só brilha para alguns filhos da puta, ponham putas a governar talvez elas saibam melhor do que ninguém, governar este país ingovernável. Não acham?!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo