domingo, janeiro 08, 2012

Sabe tão bem não lhes pagar nada


A transferência do domicilio fiscal da empresa Jerónimo Martins para a Holanda tem sido um dos assuntos desta semana. Primeiro foi a indignação geral e até políticos do PSD vieram apelar a um boicote ao Pingo Doce. Depois vieram os jornalistas e comentadores do sistema defender o homem com a afirmação de que iria continuar a pagar os mesmos impostos em Portugal, que só fez aquilo que todos nós faríamos se pudéssemos, (mas não podemos), o que muitos outros já tinham feito, para terminarem que não tinha sido cometida nenhuma ilegalidade. Também nos comentários dos blogs houve uma enorme mobilização em defesa do homem utilizando os mesmos argumentos. Hoje, a coisa chegou ao ponto de o próprio Primeiro-ministro também o fazer no Parlamento. Afinal parece que é só parte do IRS referente aos dividendos dos accionistas que será dividido entre Portugal e a Holanda. Perde-se algum dinheiro, mas nada que não possa ser compensado com mais umas décimas nos aumentos de impostos quando chegar a altura de inevitável Orçamento rectificativo.
Primeiro gostava de afirmar aqui que aquilo que ele fez é inaceitável, como inaceitável é que 18 das 20 empresas do PSI20 já o tivessem feito antes. Não me interessa que sejam só uma parte dos impostos que sejam perdidos e não a sua totalidade. Se é em Portugal, com os consumidores portugueses que fez e continua a aumentar a sua fortuna não há razões para que não pague a totalidade dos seus impostos em Portugal. Quanto ao argumento de que só fez o que todos nós faríamos, chegando a apresentar o exemplo da compra de gasolina em bombas em Espanha, parece esquecer um pormenor. É que quem compra em Espanha vê o seu salário cada vez mais curto em meses que parecem cada vez mais longos enquanto ele só vê os seus lucros a aumentarem. Uns fazem-no por necessidade, outros por ganância. Quanto ao estar a fazer o mesmo que muitos outros já fizeram, não me parece um bom argumento. Certamente já muita gente roubou coisas no Pingo Doce e isso não justifica que todos o devamos fazer também. Já quando falamos de não ter cometido nenhuma ilegalidade, facto que o Passos Coelho não deixou de salientar no Parlamento, não chega a ser argumento. Não foi ilegal porque as leis feitas por ele e gente como ele o permitem. Se a lei está mal, mude-se a lei e não se justifique o injustificável apoiando-se nelas.
É por tudo isto que continuo a afirmar que não comprarei nada nos supermercados deste Senhor e apelo a todos que boicotem o Pingo Doce, assim como também há muito boicoto o Continente do Belmiro. Esta gente merece o nosso desprezo.

8 comentários:

  1. Anónimo8/1/12 00:23

    Acho que o país vai nu e que vivíamos à beira mar plantados com a Alice das maravilhas, e agora que caímos na real é demasiado tarde porque afinal afinal o país é do Ali Babá….

    ResponderEliminar
  2. Kaos,

    A decisão do Soares dos Santos, é evidentemente, motivo de controvérsia e de contradições e também não tenho boa imagem destes grandes grupos económicos, que exploram os trabalhadores.

    Mas, a mim, como cidadão, o que que considero como importante analisar é a questão da carga fiscal existente em Portugal e para que serve pagar impostos em Portugal.

    É uma vergonha um estado como o Estado português, cobrar tantos impostos a empresários e trabalhadores e depois, o mesmo dinheiro dos impostos desaparecer, porque alguém simplesmente roubou e a justiça não actuou.

    O excesso de impostos, somente atrofia a economia.

    Mas, o mais grave em Portugal, é que além de termos impostos altos que atrofiam a economia, a iniciativa privada e a vida dos cidadãos, ainda por cima, chega-se à conclusão de que os cidadãos portugueses, não têm na sua vida prática, o retorno dos impostos que pagam.

    Isto porque as receitas provenientes de impostos são mal geridas e distribuídas e porque a "Corrupção de Estado" rouba o que os cidadãos pagam em impostos.

    Com esta fiscalidade alta, com esta má governação, corrupção e falta de justiça, nunca vamos passar deste estado económico atrasado e atrofiado.

    E este é que é o cerne da questão.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo8/1/12 10:26

    KAOS, me desculpe, hoje não lhe dou razão.
    Este homem mais não fez se não defender os interesses dele e da família,
    Se em Portugal, os bancos não têm dinheiro para emprestar, ele se virou para a Holanda.
    Mas tome uma informação, ele criou em 2011, mil postos de trabalho.
    mais no final do ano deu a cada trabalhador €400.
    Tem os os salários em dia, em 2012, vai investir 800 milhões em Portugal
    Tem funcionários (quadros) na Polónia, e agora na colombia.
    Sabe, deveríamos ter muitos Alexandres dos Santos

    ResponderEliminar
  4. JS

    Concordo que a carga fiscal é alta e a receita fiscal é mal gerida. Cada vez pagamos mais impostos e cada vez eles servem menos para nos servir e só para engordar alguns. Mas isso não implica que o segundo homem mais rico de Portugal faça o que ele e os outros mais ricos fujam de os pagar enquanto a grande maioria sofre grandes dificuldades. Ele que se lixe.

    Anónimo
    Depois de ler o comentário já estou a pensar fazer-lhe uma estátua para colocar num altar; São Francisco do Pingo Doce

    ResponderEliminar
  5. Eu também vou boicotar o "pingo doce". A partir de hoje só faço compras no "recheio". Pronto.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo9/1/12 02:47

    Você não acerta uma. Então não percebeu que o que foi transferido foi a sede da SGPS da família accionista. Se fosse da JM a mesma empresa deixaria de pagar impostos cá, o que não acontece. Os seus posts são falaciosos.

    ResponderEliminar
  7. Desculpe que lhe diga mas esta questão do Pingo Doce começa realmente a ficar fora de prazo e bafienta.Destas centenas ou milhares de vozes discordantes e apoiantes do boicote ao mesmo, são as vozes que no final de 2010 elogiaram a acção do JM ao distribuir parte dos lucros pelos funcionários...e mais essas vozes discordantes de que faz parte o KAOS não fizeram o mesmo alarido quando empresas como a Rhode (fab.calçado de V.Feira) e outras como ela, fecharam as portas da empresa e abriram novas fábricas em países do leste.Que diabo, o homem não fechou as lojas, continua a dar emprego em Portugal (e no estrangeiro) a mihares de pessoas, pretende investir mais em Portugal e continua a pagar impostos em Portugal.Sabe o que acho no meio disto tudo? É que o povinho português para além de ser esquecido (talvez coma muito queijo do Pingo Doce), de ser seguidor de modas ou correntes é tb muito invejoso do sucesso do vizinho...
    Irra, abram os olhos, pensem pela v/ cabecinha e deixem os investidores investirem em Portugal...

    ResponderEliminar
  8. Após ter aassistido na TV ao choradinho do cavalheiro do Pingo doce,enquanto vai andando para a Holanda...
    Após ter aaaistido ao comentário do nosso primeiríssimo ministro...
    Após ter assistido aos comentários
    do prof PSD (desculpem, Marcelo Rebelo de Sousa)...
    E após ter lido o que se escreveu neste blog...
    Resta-me perguntar a todos onde é que tencionam fazer as v/compras futuramente.
    Não é no Pingo doce, nem no Continente... Talvez no Jumbo (acham que é melhor?
    Ou no DIA onde tudo é espanhol e de qualidade mais pobre... Ou no Lidl - idem, idem...
    Ou estão com as finanças em melhor estado e vão comprar para locais onde tudo é mais caro?
    Ou são donos duma quinta autosuficiente?
    Isso, por acaso, era o meu sonho, cada vez mais longínquo!!!!!
    Laura B. Martins
    http://apoliticadospoliticos.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo