sexta-feira, janeiro 20, 2012

A saúde está de partida


Uma associação francesa está em Portugal para recrutar todo o tipo de profissionais das áreas médica e paramédica. O objectivo é preencher vagas em instituições públicas e privadas francesas. Mais de 700 médicos e enfermeiros portugueses já se mostraram interessados em trabalhar em França onde estes profissionais poderão ganhar €3.900 mensais em França. (Um jovem diplomado, em Portugal, pode ganhar €2.000 brutos).
Segundo a Lusa, estão a decorrer, também em Lisboa, outros recrutamentos para profissionais de saúde, neste caso para o Norte da Europa.

Depois de a Jerónimo Martins ter aceite o desafio do Passos Coelho e ter feito emigrar a sua sede fiscal para a Holanda, é agora a vez dos médicos fazerem as malas e partirem. Se a isto juntarmos a quantidade de médicos que têm pedido a reforma antecipada para escapar às medidas de austeridade do governo sobre os pensionistas, quem ouviu o Paulo Macedo afirmar na véspera que espera cumprir com a promessa eleitoral de, no fim da legislatura, todos os portugueses terem um médico de família, tem de ficar desconfiado das palavras do Ministro.
Custa entender esta política de exportar os nossos jovens mais qualificados e em que Portugal investiu milhões de euros. É que mesmo estando Portugal condenado a transformar-se no INATEL da Europa, ainda há serviços qualificados que quem vier a banhos vai exigir. Não vai bastar termos sopeiras e homens do lixo e por este andar nem esses vão ficar por cá.

9 comentários:

  1. acabam os medicos o governo deve ir atras??

    ResponderEliminar
  2. Os homens do lixo ja sao ucranianos

    ResponderEliminar
  3. A fuga de cérebros é inevitável, e acontece em todo o planeta: os países menos desenvolvidos não conseguem pagar ao nível dos países mais desenvolvidos.
    Os países menos desenvolvidos têm de pensar em formas de se adaptar a esse fenómeno.

    ResponderEliminar
  4. menvp
    É fácil, quem estuda no serviço público fica obrigado a servir o seu país durante um espaço de tempo que for considerado justo. Agora, se não há trabalho e o Passos Coelho os aconselha a emigrar não há futuro para o país.

    ResponderEliminar
  5. A direita tem sempre uns argumentos "muito engraçados":
    Então, um médico, um Engº , etc...anda estudar nas Universidades pagas por mim (que sou burro) e por mais uns milhões de portugas e depois faz a mala e vai para onde lhe pagam melhor. Muito bem !

    Então e eu ? Fico a arder com o dinheiro ? É essa a visão da direita ?
    Razão tem o KAOS ! Pagar o que for calculado como justo , isso sim, seria de um país decente... agora actuar como estão a actuar....CHIÇA !

    ResponderEliminar
  6. os meus filhos ,estudaram em faculdades publicas pagas por mim. Paguei as matriculas (caras) ,transporte ,alimentação e livros.Não estou a ver o que devo ao estado

    ResponderEliminar
  7. Cada dia que passa me sinto menos motivada para vir aqui dar alguma opinião.
    Opiniões para quê?
    A desfaçatez dos nossos políticos é tal que já nem vale a pena opinar.
    A única coisa que precisávamos era de líderes capazes de nos levarem a pôr estes gatunos todos fora do governo e mesmo de Portugal, não era de opiniões.
    Vejo mesas e mais mesas na TV onde toda a gente fala sem freio na língua mas o governo não se rala nada com isso. Já lá vai o tempo em que não se podia falar para não se descobrirem as carecas e os podres.
    Hoje, as carecas não se ralam nada de andar à mostra e começo a crer que até fazem luxo disso!

    ResponderEliminar
  8. duas medidas: 1 as vagas em medicina tem de aumentar e aumentar muito. o dinheiro para isso sai do fecho das universidades do estado que formam drs desempregados e sustentam um enorme bando de xulos disfarcados de professores. 2 rua com os bandos de gajos que estao empregados nos hospitais e nao fazem la falta para nada. so ficam medicos, enfermeiros, tecnicos de reparacao e manutencao de equipamentos, e meia duzia de administrativos. o resto, de administradores a administrativos, rua! o dinheiro dos salarios destes parasitas reparte-se pelos que la ficam e fazem falta para tratar da saude dos doentes.

    ResponderEliminar
  9. Júlio Beira21/1/12 01:23

    "Anónimo disse...

    duas medidas: 1 as vagas em medicina tem de aumentar e aumentar muito. o dinheiro para isso sai do fecho das universidades do estado que formam drs desempregados e sustentam um enorme bando de xulos disfarcados de professores. 2 rua com os bandos de gajos que estao empregados nos hospitais e nao fazem la falta para nada. so ficam medicos, enfermeiros, tecnicos de reparacao e manutencao de equipamentos, e meia duzia de administrativos. o resto, de administradores a administrativos, rua! o dinheiro dos salarios destes parasitas reparte-se pelos que la ficam e fazem falta para tratar da saude dos doentes."



    Só asneiras. Daqui por 2 ou 3 anos já temos licenciados em Medicina desempregados e este quer transformar aquilo num novo Direito. Lol, aumentar as vagas. Para haver ainda mais gente a sentar-se em escadas dos anfiteatros? Para uns quantos engatatões até é capaz de ser fixe, que têm uma gaja sentada em cada perna.
    Quanto aos drs. desempregados: vais acabar com faculdades de farmácia, engenharia, letras, direito, etc., só porque andam com dificuldades em colocar os alunos no mercado de trabalho em tempo de crise? Boa, esperto.
    Os meninos das academias militares que voltem a pagar propinas, que a guerra de África já acabou há muito tempo. Andar a pagar aos gajos da Força Aérea para formarem futuros pilotos da TAP ou aos da Marinha para formarem os futuros engenheiros maquinistas navais da indústria naval norueguesa é que não.
    Não há falta de médicos, estão é muito mal distribuídos. Implemente-se um sistema de colocação de médicos no SNS igual ao dos militares ou dos juízes; onde há necessidade é para onde vão.

    Ganha juízo e vai aprender qualquer coisa, ó ignorante anónimo.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo