sábado, fevereiro 11, 2012

Ninguém faz mal ao nosso Jotinha


O PCP pediu a audição de Passos porque é o primeiro-ministro que tutela directamente as ‘secretas'. Os comunistas querem explicações sobre as alegadas relações entre o ex-'espião' Jorge Silva Carvalho e o Governo numa eventual reestruturação dos serviços secretos.
O ministro Miguel Relvas, disse que a possibilidade de o primeiro-ministro comparecer na comissão de Assuntos Constitucionais é um «assunto encerrado». «Esse assunto está encerrado», afirmou Miguel Relvas aos jornalistas quando questionado sobre o facto de a presidente da Assembleia da República ter anunciado hoje que, segundo a interpretação do regimento, o primeiro-ministro não é obrigado a comparecer na comissão de Assuntos Constitucionais, conforme foi requerido potestativamente pelo PCP. «O Governo sempre foi claro nessa matéria. O senhor primeiro-ministro de 15 em 15 dias estará no Parlamento para discutir com os senhores deputados.

Tanto trabalho para impedir o Passos Coelho de ir à comissão dos Assuntos Constitucionais mostra que há ali algum receio e como "quem tem cu tem medo" pode-se concluir que também quem faz merda tem medo. É que o assunto é grave e, se vivêssemos numa verdadeira democracia em que a Constituição faz lei e é cumprida, até poderia levar à demissão do Primeiro Ministro. Mas não vivemos e por isso é o untuoso Relvas que vem declarar; assunto encerrado. Para toque final, a hipocrisia que se lhe conhece, "O senhor primeiro-ministro de 15 em 15 dias estará no Parlamento" para responder aos deputados. Como se responder num debate parlamentar, onde já tanto Primeiro-ministro mentiu tanto com todos a consideram isso normal, (é hora de espectáculo e de fazer flores para TWer), ou numa comissão em que é questionado directamente e onde a mentira ganha outro peso institucional.
Que verdade tanto procuram esconder e lhes causa tanto medo?

2 comentários:

  1. O declinar da nossa democracia...

    ResponderEliminar
  2. Provavelmente, era sacrificado logo ali. Não ia conseguir articular qualquer resposta às perguntas. Ia ser altamente embaraçoso. No plenário está mais defendido, porque se pode refugiar no segredo de estado.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo