quarta-feira, abril 11, 2012

Uma questão de confiança


O congelamento das reformas antecipadas foi feito sem conhecimento do público. "Se o Governo tivesse comunicado com grande antecedência que ia proceder nesse sentido, evidentemente que o objectivo que pretendia seria furado pelo recurso ainda mais intenso a esse mecanismo", disse o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho. "A decisão que o Governo tomou teve apenas a preocupação de garantir que o efeito que o recurso a pensões antecipadas estavam a ter sobre o orçamento da Segurança Social não pusesse em risco a execução do nosso orçamento para este ano". "Esta é daquelas medidas que os governos ou tomam, e têm de ser assim, ou não tomam".

Curiosa filosofia esta em que um governo considera que há medidas que devem ser escondidas aso cidadãos, quebrando uma relação de confiança que deve existir entre ambos. Vindo de quem vem, que já provou que mentir e enganar não é coisa que o incomode muito, não é coisa que possamos estranhar e, se lhe juntarmos a incompetência e desumanidade de que já deram provas mais que suficientes, só prova mais uma vez mais aquilo que aqui digo há muito tempo, que este governo já não tem legitimidade para governar e já devia ter sido demitido. Se não temos um Presidente, e não temos, com coragem para o fazer cabe aos cidadãos fazer ouvir a sua voz e correr com esta canalha.

8 comentários:

  1. Epa, este povo merdoso merece isto e muito mais.Ou então já tinha percebido que com este peixe podre não vamos lá.nem ps,nem psd/pp , por enquanto ainda há alternativa com os partidos de esquerda(não de extrema esquerda como eles vendem, e que esta cambada de ignorantes tendenciosos aceita com tanto deleite).POr isso não se queixem.Alguém já deu ao trabalho ded ver o programa eleitoral do pcp ou do be??não, claro que não, esta malta quer é banha da cobra , que é assim que vivem bem, sempre assim foi.

    ResponderEliminar
  2. Para estes gajos somos uns atrasados mentais, não podemos exercer a cidadania, por isso entramos na CEE sem sermos ouvidos, no Euro idem, idem, afinal só nos pedem para ir votar de quatro em quatro anos. No fundo temos os "líderes" que merecemos, somos uns anjinhos, por alguma coisa aguentámos 48 anos de fascismo, sempre alegretes e submissos. E, quando aparecem gajos e gajas de colhões pretos, são logo apelidados de: utópicos, esquerdistas, doidos, mal cheirosos, vadios, etc., entre outras coisas.

    ResponderEliminar
  3. já só falta mesmo fazerem tudo sem dizer nada e de semana em semana virem para a televisão falar num programa com o nome "CONVERSAS EM FAMILIA"

    ResponderEliminar
  4. Já falta poucochinho....

    ResponderEliminar
  5. Também acho que já faltou mais!
    Afinal são saudosistas!

    ResponderEliminar
  6. alem de saudosistas são filhos e netos deles pois é uma cáfila de xulos que passam o poder de pais para filhos com um contra no tempo da monarquia mudava de rei e faziam a festa agora mudam de "REI" na mesma mas fazem a festa durante 4 anos sem parar e ainda vão sacar algum nas eleições pois as eleições não são de borla (para a gente claro). E digo mais alguns que lá andam ainda são do tempo da outra senhora

    ResponderEliminar
  7. O Povão é estúpido,agora que se fodam!!!!!Há o benfica,a chuva de estrelas ,fátima e o trabalho.Vou-me embora desta cloaca e,já não acredito em democracias....

    ResponderEliminar
  8. O Governo manteve em segredo a proibição das reformas antecipadas, anunciada na semana passada, para evitar uma «corrida» por parte dos trabalhadores e poupou 150ME, afirmou esta quinta-feira à noite o ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares AXO KE O MOTOKEIRO VAI COMPRAR UMA FROTA DE FERRARIS PRO GOVERNO COM OS 150M

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo