quinta-feira, maio 03, 2012

Alexandrita no 1º de Maio



Tinha pensado não falar mais  sobre a vergonhosa campanha orquestrada pelo Pingo Doce no 1º de Maio, que procurou transformar o  Dia do Trabalhador no dia do consumidor. Aceitou vender tudo a metade do preço para ter as lojas a abarrotar e criou as condições para a violência do desespero nestes tempos em que a pobreza alastra. Apelou ao pior de cada um e com isso trazer ao de cima o irracional que existe em todos nós. Lutas por um sabonete ou um pacote de bolachas que provavelmente nem fazia muita falta a ninguém. Policias, conflitos, confusão e desespero para uns e alegria vitoriosa de quem conseguia sair ileso com um carrinho cheio de compras. Como disse no principio tinha pensado não referir mais este assunto pois há muito que já deixei de consumir ou respeitar o Merceeiro com sede fiscal na Holanda, mas ouvir um orgulhoso gestor, ou chefe ou qualquer coisa do Grupo Pingo Doce a fazer-se santinho, a falar de tudo isto como se a data do 1º de Maio fosse um acaso, tinha de ser no dia 1 porque é quando as pessoas fazem as compras do Mês, porque as pessoas não compram no dia 30 nem no dia 2, só compram no dia um, que tudo foi feito só para ajudar os seus clientes, que foi uma acção de ajuda social, fazendo inveja a qualquer Madre Teresa de Calcutá, meteu-me nojo. Nem vergonha têm na cara.

11 comentários:

  1. Anónimo3/5/12 15:17

    Kaos......vai te tratar.........a esquerda vale 000000000000

    ResponderEliminar
  2. Anónimo3/5/12 15:54

    Anónimo... a esquerda vale 00000000000, mas a direita vale 0,0000000000000000 ao quadrado. Quanto á campanha de markting do Pingo Doce claro que não perderam dinheiro, mas não fazia mal nenhum todas as cadeias de supermercados fazerem tb descontos iguais nem que fosse uma vez por mês pois eles facturam todos o mesmo , os preços equivalem-se. Não não foi bonito esta campanha no dia 1 de Maio, mas os empregados tb não tiveram G3 apontadas a cabeça para ir trabalhar, foram porque ficam com um dia de folga e receberam o dia a 100% e na conjuntura actual tal como dá jeito compras a 50% também dá muito jeito mais 60 ou 70€ ai fim do mês essa é que é a TRISTE REALIDADE. Claro que quem tem o dinheiro e o poder do seu lado, usa o mais fraco, mas eu não vi lá nem a Maria Cavaca, nem a Passas Coelha simplesmente não precisam porque teem milhares de euros ao fim do mês e não precisam de gerir ordenados de 600€

    Ana Mendes

    ResponderEliminar
  3. Anónimo3/5/12 16:36

    Parabéns ao grupo Jerónimo Martins.....os portugueses a viver na polonia orgulham-se do vosso trabalho neste pais...temos vergonha da esquerdalha portuguesa que nos envergonha em todo o lado.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo3/5/12 17:21

    Tal como os caneirinhos caminham em filinha ordeira para o matadouro, também o povo portugues, feliz e contente com a super promoção do patrão mor, não percebe para onde está a ser conduzido.
    Não gostam da esquerdalha...é natural, os esquerdistas não vestem de branco limpinho e ordeiro para o matadouro,nem lá vão sem dar luta.
    É isso que custa á direita "caviar"

    ResponderEliminar
  5. Anónimo3/5/12 18:16

    quando o povo é mantido estupido pelas politicas do governo combinadas com uma boa TV não mais passa disso PORQUE RAIO NO PAÍS DA DONA DE PORTUGAL E DO IMPERIO GERMANO NÃO SE TRABALHA NO DIA 1 DE MAIO NEM TRABALHAM AO DOMINGO PORQUE LÁ O DOMINGO É DEDICADO À FAMILIA GOZAM O 2º DIA DE NATAL E A 2ª FEIRA DE PÁSCOA MAS OS TUGAS É QUE TÊM MUITOS FERIADOS. LOGO PELAS 20 HORAS COMO BONS TUGAS VAI TUDO (MENOS EU) ADORAR UMA MEIA HORA DE TELEJORNAL COM O MOURINHO QUE GANHOU EM ESPANHA depois um pouco de crise e para acabar FUTEBOL E MAIS MOURINHO. VAI UMA APOSTA?

    ResponderEliminar
  6. Anónimo3/5/12 18:17

    Alias acho que vai ser uma semana inteira a falar de mourinho e de tornados

    ResponderEliminar
  7. Anónimo3/5/12 20:13

    O povo portugues sabe o quer.....não são mentecaptos como a esquerdalha os quer adjectivar......a maioria dos portugueses esta-se a borrifar para a agenda esquerdalha e para o significado idiota que querem atribuir a determinadas datas do calendário. Os portugueses sabem bem em que mundo viviam os do outro lado do muro......era socialismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo7/5/12 00:36

      Devias ser enrrabado por uma equipa de Mocambicanos (equipa tecnica incluida) fascista de merda!!!

      Eliminar
  8. Anónimo3/5/12 22:14

    Infelizmente, não foi só isso.
    Foi ver no plenário da AR, dia 2 de Maio, a ministra Assunção Cristas a defender novamente a implementação da taxa social única para bens de alimentação, dizendo que uma taxa tão pequenina no meio daquelas compras todas não fazia diferença nenhuma. Disse-o com modo autoritário e arrogante.
    A estupidez foi daqueles que caíram nesta cilada, sem entender que ao fazerem as compras que fizeram estavam a dar razão à lógica da ministra e do novo imposto para bens de consumo.

    ResponderEliminar
  9. Henrique Duarte5/5/12 12:16

    Hoje surgiu na comunicação social que o Grupo Pingo Doce irá atribuir um beneficio de 50% na aquisição de compras aos trabalhadores que estiveram ao serviço no dia 1 de Maio. Esta situação configura a atribuição de uma Remuneração em Especie e como tal passivel de ser taxada em sede de IRS. Não me parece que exista qualquer deligência do filantrópico grupo em reportar este tipo de remunerações o que significará, muito presumivelmente que se trata de uma Fuga ao pgamento de Impostos

    ResponderEliminar
  10. Anónimo5/5/12 21:53

    moral da historia disto tudo (e afinal era o objectivo do governo em conjunto com os grandes grupos económicos) TRABALHOU-SE NO 1º DE MAIO E JÁ NINGUÉM FALA NISSO pois interessa é se o gajo teve lucros legais ou não como se lhe fizessem alguma coisa, ou a historia de pagar 30.000€ é alguma mossa quando ganhou uns milhões nesse dia? já deve é de estar a pensar fazer isso umas poucas de vezes por mês (O CRIME COMPENSA) Mas como dizia pro ano este feriado se calhar já era e põem todos a trabalhar dia 1 de maio ou quem sabe talvez não para o jerónimo martins ter muitos gajos para ir ás compras.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo