sexta-feira, junho 15, 2012

O poder do tudo saber


Durante dias não se falou de outra coisa que das fugas de informação das nossas secretas para empresas privadas, das pastas com informação sobre a vida cidadãos, da proximidade do Miguel Relvas com o Jorge Silva Carvalho, das falsidades que foi afirmando e mudando de cada vez que era apanhado numa sem esquecer as ameaças sobre a jornalista do público se publicasse uma noticia que mostrava uma dessas contradições. Falou-se tanto, prometeram-se inquéritos rápidos e o tempo passa e tudo parece ter entrado no esquecimento. 
É que isto de se ter informação sobre os cidadãos é uma prática já há muito utilizada e que garante um poder enorme sobre a sociedade. Houve uma altura em que eram os padres das aldeias que, sabendo tudo o que se passava através das confissões, as controlavam, hoje é quem tem acesso aos serviços secretos que possui o poder de silenciar o que não quer que seja divulgado, "queimar" um inimigo ou conseguir um favor ou um negócio. A informação sempre foi poder e cada vez mais parece sê-lo mais.

13 comentários:

  1. Prémio da Asneira -- Secretário de Estado da Saúde.

    Ontem ocorreu algo assaz irónico, mas do ponto de vista da comédia negra!

    Uma entidade independente divulgou um relatório demolidor para o actual Ministério da Saúde, acusando esse ministério de racionar o acesso aos cuidados de saúde e também de esse racionamento estar a provocar a abandono do tratamento por parte dos doentes. Eu posso confirmar que tudo isso é verdade, pois conheço uma pessoa que trabalha nas urgências do hospital de S. José que me disse que assistiu à morte de milhares de idosos no espaço de meses. Esses idosos vinham parar ao hospital já moribundos por não terem tido acesso a cuidados de saúde. Essa pessoa disse-me que o hospital não perdeu a organização, não é disso que se trata. Trata-se de racionamento dos cuidados de saúde a montante do hospital de S. José.

    Ontem apareceu Leal da Costa, o Secretário de Estado da Saúde, numa declaração disparatada, a dizer o relatório se baseava em "casos anedóticos" e que era "ideologicamente motivado".

    Ora, é uma declaração que não faz sentido. Casos anedóticos? Será que eles acham que os casos das pessoas que morreram por racionamento dos serviços médicos são casos anedóticos? Certamente que não.

    Suponho que o que aconteceu foi o seguinte. Em inglês, "anecdotal cases" quer de facto dizer "casos particulares" ou "exemplos da vida real". Os técnicos estrangeiros que terão escrito aquilo quereriam dizer que faltavam estudos estatísticos no relatório. Era uma afirmação técnica, nada mais.

    Se assim for o Ministério da Saúde, por não ter capacidade própria para responder a um relatório tão bem elaborado, terá encomendado o estudo a estrangeiros, provavelmente a americanos. Ao receberem a resposta, eles terão interpretado mal a expressão "anecdotal cases"; e como vinha dos chefes da troika, deverão ter concluído que se lá vinha "casos anedóticos" pois sim senhor, eles sabem isso melhor que nós, devem ter muita razão, e quem somos nós para lhes dizer o contrário? Além disso, essa ideia de que os portugueses são "casos anedóticos" deverá ter reforçado a ideia que o Sr. Leal da Costa e os outros colegas de governo têm do povo português.

    É o que dá quando o governo é exercido à distância. Pergunto eu: como pode uma sociedade moderna, tecnológica, ser governada como era o Império Romano? Não deriva tudo isto de uma profunda alienação da realidade das elites mundiais?


    que o relatório estava extraordinariamente bem feito e o Ministério não tinha competência para

    ResponderEliminar
  2. "morte de milhares de idosos" ???? Não está a exagerar?

    Já verificou as estatiticas de mortes de idosos em anos anteriores?

    ResponderEliminar
  3. Isto é um "caso particular" (banco do Hospital de S. José), não é um estudo estatístico, mas a pessoa com quem falei confirmou-me isso mesmo. Sem exagero.

    Se querem um estudo estatístico, aqui vai. A Rússia de Yeltzin (década de 1990-2000) implementou medidas de "racionalização" dos serviços de saúde análogas. O resultado foi que a esperança de vida baixou 10 anos.

    Com Putin as coisas começaram a melhorar, mas tem sido um processo lento e penoso, mais a mais porque o país sofre de corrupção endémica. Aparentemente, é muito fácil destruir, mas extremamente difícil reconstruir.

    É bom que o povo pense no que está a perder e que aja, antes que seja tarde demais.

    ResponderEliminar
  4. No que diz respeito às doenças cardiovasculares, que é onde o racionamento de cuidados de saúde mais poderá fazer baixar a esperança de vida -- e, portanto, reflectir-se inegavelmente nas estatísticas -- só se vai ver o resultado após dez anos desta política.

    ResponderEliminar
  5. O que aconteceu este ano é que houve um anormal aumento de morte em idosos devido ao longo periodo de frio que os idosos, especialmente os do sul não estavam habituados. A gripe foi epidémica e as pessoas mais debilitadas não resistiram. Agora dizer que morreram milhares de idosos é pura mentira.

    Não sei que idade você tem, mas se tiver mais que 40, facilmente constata que o nosso serviço de saúde publico, apesar de todos os defeitos que tem, é de boa qualidade, com excelentes hospitais e corpo clínico do melhor que existe por esse mundo fora. Conhece alguém que não tenha sido assistido no hospital por não ter meios de pagar?
    Eu conheço um país (por acaso de regime comunista) onde só é assistido quem tiver crédito no hospital, caso contrario pedem à família para o ir buscar. Já me aconteceu ter um acidente com um motociclista, levei-o ao hospital e foi sempre a pagar, mal entrou tive que carregar um cartão com crédito e à medida que ia fazendo exames tinha que ir carregando o cartão, caso contrário o paciente tinha que sair do hospital. Isso é que eu chamo de vergonhoso.

    Derivado da minha profissão, conheço vários hospitais por este país fora e pode acreditar que a maior parte deles parecem clinicas privadas. Exemplos: H.Braga; H Pedro Hispano; H Sto Antonio; Hospital S. Joao, Alguns serviços do H Sta Maria, etc, etc.

    Nem tudo está mal...!

    ResponderEliminar
  6. Eu não inventei o que disse. Para o ano há-de ser igual, e hão-de inventar que foi o inverno ou a vacina da gripe ou qualquer outra desculpa esfarrapada. Na verdade, há muitos idosos sem dinheiro para medicamentos e outros cuidados de saúde elementares; e, pelo que me foi dito, são os idosos que estão a ser ceifados.

    Como eu disse lá atrás, isto nada tem a ver com a qualidade dos profissionais de saúde ou das equipas clínicas, mas com opções de política de saúde deste governo e, em parte, do anterior. Pois parte do mal já vem do passado, este processo começou por volta de 2010.

    ResponderEliminar
  7. Há ainda o problema insidioso de a medicina preventiva necessitar do empenho e colaboração do doente. Dada a situação calamitosa em que o país se encontra, as pessoas que se sentem bem deixam pura e simplesmente de cuidar da sua saúde, abandonam essa preocupação.
    Isto é muito relevante para a prevenção das doenças cardiovasculares e do cancro.

    Além disso, os mais jovens adoptam mesmo comportamentos de risco, p.ex., consumo de alcool, de drogas, promiscuidade sexual pois, dada a falta de horizonte de futuro, passam a viver apenas o momento e a não se preocupar com o futuro.

    Isto cria, a prazo, pressão sobre os hospitais, na medida em que todas estas pessoas vão desenvolver patologias graves em idades muito menos avançadas, o que poderá levar a um aumento brutal dos gastos com o SNS, a prazo. Tudo a bem dos grandes monopólios químico-farmaceuticos, como é evidente.

    ResponderEliminar
  8. E eu acho até incrível como podem andar pela internet pessoas a escrever textos maliciosos e demagógicos sobre a saúde. A saúde é algo relacionado com um direito humano fundamental, que é o direito à vida. Uma descida da esperança de vida de 10 anos, a nível europeu, representa a morte prematura de centenas de milhões de seres humanos.

    ResponderEliminar
  9. "Não sei que idade você tem, mas se tiver mais que 40, facilmente constata que o nosso serviço de saúde publico, apesar de todos os defeitos que tem, é de boa qualidade, com excelentes hospitais e corpo clínico do melhor que existe por esse mundo fora. Conhece alguém que não tenha sido assistido no hospital por não ter meios de pagar?"

    (Anónimo anterior)

    Está a tentar por palavras na minha boca que eu não disse. EU NÃO DISSE QUE OS NOSSOS HOSPITAIS, OS NOSSOS MÉDICOS E OS NOSSOS ENFERMEIROS NÃO ERAM COMPETENTES. A tutela é que ontem disse que os médicos não queriam saber dos doentes, quando comentava a próxima greve dos médicos.

    O meu caro vai ter que explicar por que é que a QUIMIOTERAPIA ORAL está PROÌBIDA PELA TUTELA de ser utilizada, que até CHATAGEOU as administrações dos hospitais que usavam essa terapia ameaçando-as que NÃO PAGAVA A CONTA DESSES TRATAMENTOS. Explique, porque este tipo de tratamento é o mais indicado nos cancros do colon, por exemplo.

    ResponderEliminar
  10. porque é 20 vezes mais caro que o tratamento injectavel, também comprovadamente eficaz!

    ResponderEliminar
  11. "tudo parece ter entrado no esquecimento" - claro que é tudo para cair no esquecimento. E o pessoal deixa que, calmamente, tudo caia no esquecimento, para não ter chatices... temos o que merecemos. É uma pena!

    ResponderEliminar
  12. http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/06/todos-falam-em-revolucao-em-destronar.html#more

    ResponderEliminar
  13. http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/04/areia-para-os-olhos-na-luta-contra.html

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo